Eu sempre fui entusiasta de pivôs, jogadores de mais força do que jeito. Para se ter uma ideia, alguns dos meus maiores ídolos na NBA são Dennis Rodman, Shaquille O’Neal, Theo Ratliff, além dos mitos Danny Fortson e Jamie Feick. Porém, isso nunca me impediu de gostar de jogadores de outras posições. 

No início desta semana, a NBA perdeu um dos melhores jogadores dos últimos anos para a aposentadoria, o armador Steve Nash. Sua belíssima carreira — que conta com dois prêmios de MVP — só foi interrompida por conta das inúmeras contusões. Mas o canadense deixa a liga liderando um grupo seleto de excepcionais atletas especialistas em arremessos, os 50-40-90.

Muita gente já sabe do que estou falando, mas para quem ainda não tem esse tipo de conhecimento, apenas seis jogadores — desde a criação da linha de três pontos — conseguiram índices superiores a 50% de aproveitamento nos arremessos de quadra, 40% nos de longa distância, e 90% nos lances livres.

Nash lidera esse “pessoalzinho” com quatro temporadas atingindo tais números. Para se ter uma noção desse absurdo, o ex-camisa 13 tem como companheiros nomes como Larry Bird (duas vezes), Reggie Miller, Mark Price, Dirk Nowitzki, e mais recentemente, Kevin Durant. Destes, apenas Nowitzki (2006-07) e ele (2005-06) conseguiram o MVP no mesmo ano.

Para um jogador se qualificar, basta acertar os singelos números: 300 cestas de quadra, 55 de três, e 125 lances livres.

Acredite se quiser: Nash poderia, com apenas dois lances livres convertidos, ter cinco temporadas consecutivas dentro deste grupo. O fato ocorreu em 2006-07, quando ele obteve 53.2% de chutes de quadra, 45.5% nos três pontos e 89.9% na linha. E em 2012-13, ele ficou próximo de atingir tais marcas. Sensacional, não?

Jogador Temporada  J FG FGA FG% 3P 3PA 3P% FT FTA FT% PTS PPJ  
L. Bird 86–87 74 786 1.497 52.5% 90 225 40% 414 455 91% 2.076 28.0  
L. Bird 87–88 76 881 1.672 52.7% 98 237 41.4% 415 453 91.6% 2.275 29.9  
M. Price 88–89 75 529 1.006 52.6% 93 211 44.1% 263 292 90.1% 1.414 18.9  
R. Miller 93–94 79 524 1.042 50.3% 123 292 42.1% 403 444 90.8% 1.574 19.9  
S. Nash 05–06 79 541 1.056 51.2% 150 342 43.9% 257 279 92.1% 1.489 18.9  
D. Nowitzki 06–07 78 673 1.341 50.2% 72 173 41.6% 498 551 90.4% 1.916 24.6  
S. Nash 07–08 81 485 962 50.4% 179 381 47% 222 245 90.6% 1.371 16.9  
S.Nash 08–09 74 428 851 50.3% 108 246 43.9% 196 210 93.3% 1.160 15.7  
S. Nash 09–10 81 499 985 50.7% 124 291 42.6% 211 225 93.8% 1.333 16.5  
K. Durant 12–13 81 731 1.433 51% 139 334 41.6% 679 750 90.5% 2.280 28.2  

Legenda:

J – Jogos
FG – Arremessos convertidos
FGA – Arremessos tentados
FG% – Porcentagem de arremessos convertidos
3P – Arremessos de três pontos convertidos
3PA – Arremessos de três pontos tentados
3P% – Porcentagem de arremessos convertidos
FT – Lances livres convertidos
FTA – Lances livres tentados
FT% – Porcentagem de lances livres convertidos
PTS – Pontos totais
PPJ – Pontos por jogo

Para alguns, Nash não defendia bem — o que de alguma forma não deixa de ser verdade — mas ele era o típico caso de quem compensava do outro lado. Com a bola nas mãos, ele sabia fazer a diferença e literalmente, colocava seus companheiros de cara para a cesta. 

A contribuição ofensiva estava acima dos números simples e frios. Entre 2001-02 e 2009-10, Nash participou de nada menos que oito campanhas com suas equipes liderando a liga em pontuação.

Passagem pelo Mavericks

Dois anos após um início devagar no Phoenix Suns, Nash foi para o Dallas Mavericks após uma troca. Ele demorou um pouco a desenvolver seu melhor jogo e o então técnico da equipe, Don Nelson, foi bastante criticado pela decisão de apostar em um armador “comum”.

Apenas em 2000-01, ele finalmente mostrou traços de um jogador brilhante e na temporada seguinte, aos 27 anos, ganhou uma vaga no Jogo das Estrelas pela primeira vez.

Sua parceria com Dirk Nowitzki e Michael Finley foi essencial para o crescimento da franquia. Até então, o Mavs ficava longe das primeiras posições do Oeste. A eliminação precoce em 2003-04 para o Sacramento Kings o fez pensar no futuro.

Volta ao Suns

Em julho de 2004, Nash já era considerado um dos grandes armadores da época. Ele somara duas convocações para o All Star game, e era agente livre. Ao contrário do que se possa imaginar, o ex-jogador jamais teve um dos maiores salários da liga. Nash assinou com o Suns com a promessa de ter um time jovem voltado para que ele pudesse construir as jogadas em velocidade na transição. O efeito foi imediato. 

Logo de cara, o Suns venceu 62 das 82 partidas, conseguiu o primeiro MVP, e carregou colegas para o Jogo das Estrelas. Não que Amare Stoudemire e Shawn Marion nunca merecessem, porém ele foi determinante a esse ponto.

O famoso estilo Run and Gun também era peça importante. Para alguns, Nash jamais seria candidato ao Hall da Fama e duas vezes MVP sem o jogo corrido. Pode ser, mas eu prefiro pensar que o “se” não existe.

O ótimo humor dos tempos de Suns não o acompanhou em Los Angeles e seus vídeos ficaram cada vez mais raros. 

Comparação com Jason Kidd

Steve Nash

Não adianta. Pode ser que seja por terem sido contemporâneos, mas quando você pensa nele, você lembra de Jason Kidd. O agora técnico do Milwaukee Bucks, foi o seu principal rival. Ambos jogaram pelo Phoenix Suns e Dallas Mavericks, e fizeram parte do mesmo elenco no time do Arizona em duas temporadas.

As comparações são enormes, pois os dois dominaram a tabela de assistências entre 1999 e 2011, sendo interrompidos apenas por Andre Miller (2002), e Chris Paul (2008 e 2009). No fim, cada um levou o título de melhor passador em cinco oportunidades.

Nash sempre levou vantagem nos arremessos, mas os números de Kidd impressionam, também. Kidd obteve 107 triplo duplos na carreira. Agora, quando o assunto é duplo duplo com pontos e assistências, quem teve mais? O canadense, com 436 contra 402 de Kidd.

Chances de título

Nos 19 anos de carreira, Nash não teve a felicidade de sagrar-se campeão da NBA. Nas melhores chances, o estilo de jogo do Phoenix Suns não ajudou e o time sucumbiu diante do San Antonio Spurs em três oportunidades.

Os embates diante de Bruce Bowen ficaram para a história. Bowen — para muitos considerado um vilão — fez questão de lembrar o quanto Nash brigou para conseguir ser duas vezes MVP.

Bruce Bowen 

Depois, já próximo dos 40 anos, ele foi para o Los Angeles Lakers atuar em um elenco consagrado, com Kobe Bryant, Dwight Howard, e Metta World Peace. Não deu certo. O Lakers não foi bem, Howard foi embora na primeira oportunidade e a equipe foi desmontada. Apesar disso, ele tentou. As lesões foram mais fortes, porém, e após três anos lutando para retornar às quadras, decidiu parar.

Estilo de jogo

É inegável que a NBA hoje vive uma verdadeira explosão de armadores de grande categoria. Diferentemente das duas décadas anteriores, os jogadores de hoje procuram muito mais o próprio arremesso para depois pensarem na opção do passe. Derrick Rose, Russell Westbrook, Kyrie Irving, e Damian Lillard, são alguns dos principais exemplos desse estilo de jogo.

Em sua época, Nash era uma das referências, ao lado de Kidd. Chris Paul e Deron Williams pareciam travar uma espécie de duelo similar, mas o segundo sofre com os tornozelos e passa longe de seus melhores momentos. Os dois são mais solidários e fazem parte de uma escola que está perdendo adeptos.

Hoje, armadores que buscam mais o passe são aqueles que não possuem um arremesso tão aprimorado. Rajon Rondo e Elfrid Payton são os mais recentes, enquanto Andre Miller — mesmo que ainda em atividade — e Rod Strickland, representam o passado.

Steve Nash

Você pode até questionar se Nash foi correto em seu final de carreira ao postergar a sua aposentadoria. Mas não tem como deixá-lo de fora da lista dos melhores jogadores dos últimos tempos. 

Gustavo Freitas
Gustavo Freitas
Mineiro de Uberaba, é co-fundador do Jumper Brasil e fã do Boston Red Sox.
  • ANDRÉ LÉO HAWKS

    só faltou o anel pra lenda !

    vai fazer falta, mais infelizmente a idade chega para todo mundo !

    fica otimas lembrancas !

    • TimoteoRP

      Ou, como disse o pessoal do Blog Bola Presa um tempo atrás, faltou essa lenda pro anel…

      • ANDRÉ LÉO HAWKS

        kkkkkkkkkk lenda pro anel foi foda kkkkk

  • Paulo Bergamasco

    Um dos meus favoritos, marcou epóca!!

  • joão

    Mas quem foi melhor: ele ou kidd??

    • ANDRÉ LÉO HAWKS

      particulamente prefiro nash, mais completo !…

      mais eram 2 genios !…

      • Pedro Celta

        Eu não acho que o Nash era mais completo que o Kidd, ele era mais espetacular, fazia jogadas incríveis, sou fã dos dois.
        Mas o Kidd era mais completo, defendida mais, sabia contribuir e muito dos dois lados da quadra e sabia fazer o time jogar mesmo sem a bola em mãos.

        • ANDRÉ LÉO HAWKS

          na minha opiniao o unico fundamento que o kidd era superior era sua defesa, de resto ou eram igual, ou nash era superior !

          foras as incriveis jogadas do nash que voce citou tbm !

          OBS: mais isso tbm vai muito de gosto pessoal, respeito a opiniao de voces amigos, como falei antes, os 2 eram genios!

          • Pedro Celta

            Amigo, uma coisa e fato: Os dois são GÊNIOS. Podemos ficar horas discutindo quem era melhor e nunca chegaremos em um resultado a não ser este.
            Mas só disse em relação a ser completo, fundamento por fundamento o Nash era melhor, o Kidd demorou pra aprender a arremessar kkkkk

          • ANDRÉ LÉO HAWKS

            kkkk bem por ai mesmo pedro kkkkk

          • vitor

            Eu considero kidd melhor. Defendia de forma excelente, pegava mais rebote, era um monstro em.jogo meia quadra. No meu time iria preferir um kidd.

    • 55marcoac

      Prefiro Kidd. Mas os dois são os melhores de sua geração na posição, com certeza.

    • Galvão – EL HEAT

      Nash era mais gênial, mas Kidd era mais completo, o cara fazia TD sem pontuar rs.

    • Michel Moral

      Eu não ouso fazer comparações entre esses dois monstros que o basquete conheceu. Acho que fica mais na questão de gosto mesmo.

      Se fosse para eu escolher um para jogar no meu time, eu escolheria Kidd.

      Ao meu ver Kidd foi o jogador mais “termômetro” que teve. Era uma espécie de espinha dorsal do time. Era uma dependência não individual, mas coletiva. Parecia que até o técnico, o ropeiro, o porteiro do ginásio, o pipoqueiro… Todos dependiam de Jason Kidd rs

      O Suns também dependia de Nash, mas ao meu ver muito mais de uma qualidade individual, passando e arremessando.

      Mas uma coisa é fato: hoje os armadores têm muito mais habilidades individuais do que coletivas. Passar e dar assistência não é sinal de coletividade. Acho que o esquema é muito mais profundo.

      Teve um post há um tempo atrás, do Gustavo Lima, eu acho, que dizia comparava as gerações e dizendo para esquecer a era antiga dos armadores. Muito errad, na minha opinião. Não tem característica própria pra esse ou aquele momento, mas sim jogadores bons e ruins. Se surgir um cara bom que faça a função qur Nash e Kidd faziam, ele vai jogar, com certeza.

  • Fábio Henrique

    Lamento muito não ter tido a oportunidade de acompanhá-lo em seu auge!Nash uma lenda da NBA!

  • rubem

    Os 2 jogaram muito…aquele time do Suns foi top Nash liderava como ninguem…pena que tinha Lakers e San Antonio…e a derrota do Dallas pro Sacramento que foi um dos melhores times que vi jogar atrapalharam o titulo…mas Nash e Kid pra mim estarao eternamente entre os melhores de suas posicoes que vi jogar.

  • Kleber

    Melhor PG que eu vi. Esse sim era um armador, Corinthiano por influência do Leandrinho.

  • TiagoMadruga

    Gigante. Um dos melhores armadores da história.

  • robertolakers

    melhor armador q eu vi jogar, como armador ele era melhor q kidd, mas acho q kidd era mais jogador

  • Caseh

    Grande jogador! Um dos times mais divertidos de acompanhar foi aquele Suns do D’Antoni. Talvez Wall e Lawson ainda possam representar esse estilo mais “clássico” de armador.

    • danielzera

      J.Wall e o T.Lawson???

      Os dois são da pegada de pontuar primeiro, eles estão na msm onda da nova geração com o estilo do D.Rose e R.Westbrook.

      OBS: J.Wall é o novo G.Arenas, só q dessa vez sem a porraloquice. rs

  • Mailson

    Quanto as chances de títulos de Nash. Vamos lembrar que em 2011, na Free Agency, o Heat queria Nash. Ele, erroneamente, e querendo mais dinheiro, preferiu ir para os Lakers, pois achava que os Lakers era mais contender/ tinha mais chances de título do que o Heat. Vamos lembrar que o Heat só pegou Ray Allen após não ter conseguido ter pego o Nash. Essa foi a última grande chance de ele buscar o título, e acabou desperdiçando essa oportunidade.

  • vitorhugo.j3

    KD 🙁

  • Cadu#5

    Dos que vi jogar (PG), só não foi melhor que o Magic e que o Stockton.

  • Felipe

    “OFF TOPIC”: Aplicativo da NBA acaba de confirmar que Durant está fora do restante da temporada. Uma pena!! Durante é um dos meus jogadores prediletos da atualidade. Mas o show não pode parar…

    • Galvão – EL HEAT

      Essa temporada é pra ele esquecer, eu achava que ele iria vir pra brigar pelo primeiro anel dele nessa temporada.

      • vitorhugo.j3

        Se não me engano, foi essa mesma lesão no pé que infelizmente acabou com a carreira de Yao Ming. Também Espero que KD não se torne um novo T-Mac da vida .

        Mas pensamento positivo nessas horas
        #PrayForKD

    • Uncle Drew

      Ae é foda! OKC corre o risco de perder essa geração por causa de lesões! Primeiro foi o Westbrook, na temporada seguinte o Ibaka e agora o Durant! Some isso com a perda de talentos, James Harden e Reggie Jackson…. É foda! Mais uma vez esse ano OKC ñ irá ganhar o título!

  • MARCOSOKC

    AGORA FUDEU, KD FORA DA TEMPORADA 🙁

    • vitorhugo.j3

      ;(

  • RafaelRox

    Kidd defendia e também pegava rebotes, mais era mais lento e chutava menos.. era + clássico que o Nash? Acho que o Anel consagra o Kidd como melhor.
    Do mais queria saber o que aconteceria se o Lakers não tivesse feito aquele investimento pesado para ter o Nash.
    Mas o menos o que acho que aconteceria:
    O Nash iria para Toronto pelos 12 milhões que foram oferecidos.. jogaria apenas meia temporada pela equipe, seria um belo de um prejuizo ja que não teriam Lowry que foi quem deu o up que levou eles aos playoofs , mas poderia quem sabe ter nesse ultimo draft a 1º escolha e ter selecionado o Wiggins.
    Já o Lakers daria tantas escolhas pra outro armador.. quem sabe o propio Lowry e teria um time mais qualificado hoje.

  • Junior Andrade

    Ao contrário do que a maioria prega, não é necessário um anel para alguém se tornar uma lenda dentro da liga.

  • Uncle Drew

    Essa ultima foto do Eric Gordon correndo atrás do Nash foi sensacional! hueheuehueh. Além de ser um baita jogador de basquete tbem ele é um grande boleiro! Por isso ele escolheu a camisa 10 quando foi jogar no Lakers.

  • Frank

    A unica diferença entre o Nash e o Kidd é q o segundo defendia melhor. Mas o Nash, considero eu, foi mais genial.

  • joaomcgrady

    Foi você quem me inspirou a jogar de armador, Nash, e me fazia ficar até tarde da noite assistindo os jogos do Suns, e ainda mais: me ajudou a gostar ainda mais do time de Arizona. Melhor armador ofensivo da história. Obrigado por tudo.

  • Wadson Pinheiro

    Sou torcedor do Suns e tive o privilégio de acompanhar a carreira dos dois. Hoje olho para troca que o Phoenix fez, liberando Ennis para o Bucks. Acho que num futuro próximo eles devem buscá-lo novamente. Não que ele seja o novo NASH. PARABÉNS NASH PELA GRANDE CARREIRA!

  • John

    Do grupo de 50-40-90 há que se tirar o chapéu pro Larry Bird, o primeiro a conquistar tal feito.

    Razão pelo qual ainda o considero o melhor SF de todos os tempos.
    L.Bird e Lebron tem stats parecidas, mas estilos diferentes. LBJ mais atlético, L.Bird mais técnico. Sempre prefiro o mais técnico.

    Qto ao Nash, para mim é o jogador com o melhor shot selection que eu vi. Raramente fazia um arremesso bobo ou forçado. Que qi para o jogo!

  • diegocassad

    Kidd foi melhor, por pouco, mas foi melhor! De qq forma, Nash foi mito…