O Jogo das Estrelas do NBB

Por Antonio Carlos Jr.

O Jumper Brasil esteve presente no Ginásio do Ibirapuera neste domingo para acompanhar o Jogo das Estrelas do NBB, a maior festa do basquete brasileiro.

Fomos surpreendidos logo na chegada ao ginásio. Do lado de fora, áreas de entretenimento foram montadas pelos patrocinadores para que o público pudesse testar seus arremessos e ganhar prêmios dos patrocinadores. Público, que por sinal, lotou o ginásio e participou ativamente das brincadeiras feitas pelo NBB.

O primeiro evento do dia foi o torneio de habilidades, vencido pelo pivô Murilo Becker, do Vitória, que enfrentou Cauê Borges. Tyrone, campeão da modalidade em 2017 decepcionou e foi eliminado logo no primeiro duelo. Surpreso, Murilo agradeceu ao apoio do público e disse estar feliz por ter garantido vaga para competição do ano que vem.

Na sequência, o torneio de três pontos trouxe emoção para toda a arena. Rafael Hettsheimer, pivô do Bauru, venceu o campeão do ano passado, Jéfferson William, do Franca, e se sagrou campeão do torneio pela primeira vez. Essa também foi a última participação de Marcelinho Machado, do Flamengo, maior pontuador de três da história do NBB, que irá encerrar a carreira ao final da atual temporada. Durante o evento, Marcelinho foi homenageado pelo NBB, que no telão, transmitiu mensagens de Zico e Kobe Bryant, para o ala do Flamengo.

Dos mais aguardados, o torneio de enterradas, teve bons momentos e enterradas de tirar o fôlego do público, mas decepcionou no final quando MJ Rhett não conseguiu concluir sua enterrada e acabou entregando de bandeja o título para Gui Bento – do Pinheiros – que se destacou com algumas enterradas clássicas.

Enquanto os jogadores se preparavam para o evento principal, a NBB promoveu um show de atrações. Rolou desde um grupo de atletas no maior estilo Harlem Globetrotters, que deixaram a plateia inteira de boca aberta, até um pedido de casamento surpresa em quadra!

No desafio das celebridades diversos eventos foram realizados, como torneio de habilidades e um jogo da velha com bolas de basquete, os participantes foram divididos em time azul e time branco e se divertiram em quadra.

O Jogo das Estrelas coroou o grande evento. O primeiro tempo foi em ritmo de festa, com ambas as equipes pontuando muito e deixando a defesa muito aberta. Antes do segundo quarto, Shamell foi homenageado por ser o único jogador a participar de todas as edições do jogo das estrelas da NBB. O segundo quarto terminou com placar de 71 a 61 para o NBB Brasil.

No show do intervalo, Thiaguinho cantou seus grandes sucessos e levantou o público do ginásio. A apresentação ainda teve participação especial de Péricles, que mais cedo havia cantado o Hino Nacional e de Leandrinho que subiu ao palco para fazer uma graça.

A segunda metade do jogo foi diferente: o NBB Mundo não quis entregar os pontos e contou com sucessivas roubadas de bola de Tyrone para voltar para a partida. Um dos melhores arremessadores de todos os tempos, Marcelinho, resolveu brincar de armador e distribuiu lindas assistências em sua despedida. O time formado por jogadores brasileiros apertou a defesa no final e venceu a partida por 130 x 121 e Anderson Varejão, em sua primeira participação, foi eleito MVP da partida.

Na comemoração de dez anos do NBB, quem esteve presente no Ibirapuera pode presenciar uma linda festa.

Imagens: Camila Thomazette/Thoca µ imagens

Gustavo Freitas
Gustavo Freitas
Mineiro de Uberaba, é co-fundador do Jumper Brasil e fã do Boston Red Sox.
  • Camila Thomazette

    Um orgulho ver um evento desse por aqui!

  • Kauan Nassif

    Ótima matéria! Muito legal a cobertura do evento!!!

  • joana

    nossa, que legal! finalmente notícias de esporte sem ser só futebol!

    • italo

      quê? kkk

  • Nina Ferreira

    Amo basquete!!! Adorei a cobertura! Pena não ter ficado sabendo desse evento antes!!!!
    As fotos estão incríveis!

  • Isabella Egas

    Muito bom!

  • Isabella Egas

    Queria muito ter ido no evento

  • Amanda Gabarron

    É muito bom ver mais esportes sendo divulgados nas mídias, é importante darmos espaço a modalidades esportivas além do futebol

  • Mari Mendonça

    Ótima matéria!!! Parabéns pra quem escreveu e pra quem fez as fotos!!!

  • Curti a cobertura e as enterradas 😀

  • Dane

    Curti a cobertura e as enterradas 😀

  • Thais Rodrigues

    Muito bacana ver basquete nacional!

  • Vitor Martins

    Se não tem a técnica e glamour do all-star da NBA, o jogo das estrelas do NBB ganha em charme e carisma. É uma festa muito mais divertida de acompanhar do que o já batido evento da liga americana!

  • Ligia Egas

    Uma pena ter perdido, ano que vem levo a familia!

  • Caio Correa Siqueira Marques

    Ótima matéria!!

  • Rosinei Nobrega

    Parabéns pela matéria. O evento deve ter sido ótimo pelos detalhes que descreveu.

  • MDias

    Nossa, invasão feminina no Jumper!!!

  • Bea

    Boaaaa!

  • TRUETHIAGO

    Parabéns pela cobertura, pessoal. Fico muito feliz de ver o NBB crescendo e se consolidando dessa maneira, felizmente o basquete brasileiro ainda respira.

    Faço até um mea culpa, afinal em meio a NBA e NCAA, acaba não sobrando muito tempo para dar uma atenção maior. Sei que vai começar os playoffs daqui algumas semanas, vou aproveitar o fim da temporada do College e tentar acompanhar melhor, especialmente como anda o desenvolvimento da molecada (Yago, Lucas Dias, Meindl, Alexey, Jau, Uchendu, etc). Inclusive hoje o Bulga estava elogiando bastante o time do Paulistano, durante a transmissão do MM.

  • Gustavo Macedo

    Me sinto membro do Jumper!
    Quando vou escrever, tento usar minha capacidade(?)(será)(sqn) pra tentar escrever um comentário com palavras do meio rural e coisas do meu cotidiano do Goiás.
    O Jumper é a democracia!
    Eu e muitos podemos nos ixspreçar (expressar)!
    Acho que nosso basketebol nacional tá precisando da qualidade que a gente tem aqui no site (managers e leitores/colaboradores) pra falar dele!
    Entendo que pra nossos gestores, seria difícil sobreviver no cotidiano dedicando atenção exclusiva de 6/8/10/12 horas por dia pra cobrir o Basket. Gustavo’s, Ricardo e mais alguém que eu estou esquecendo, devem ter milhares de outras coisas pra fazer e compromissos pra resolver. Tem que botar o “arroiz pra drento de caza”!
    Mas a gente poderia sair da nossa zona de conforto e inovar/ousar.
    Quando vocês soltam essas colunas maravilhosas tipo o “TIMES HISTÓRICOS” é fantástico!
    Uma coluna dessas demanda muito tempo de pesquisa. Suponho eu que com menos de 20h de trabalho bruto não sai um texto massa igual esses do Ricardo.
    Cobrir a NBA é relativamente mais fácil. Acompanhando ESPN, YAHOO e aquele Adrian SopadeLetrinhavisk vocês conseguem inserir conteúdo.
    Mas a gente tem tanta coisa boa na Europa e no NBB pra ser dita! E não temos fonte de informação.
    Perdi a paciência com o UOL faz tempo. Lá não existe um fórum de discussão como o nosso. O politicamente correto matou o UOL e infelizmente eu virei um ex-leitor da coluna do Fábio Bala que é até parceiro/amigo da galera daqui.
    O que adianta ler e não poder interagir?
    Mandei um e-mail pra ouvidoria daquele portal lá, me responderam depois de um mês.
    O JUMPER É A CASA DE QUEM GOSTA DE BASKET!
    Dá um jeito aí PCC (PRIMEIRO COMANDO DO CONTEÚDO) e arruma informação da Europa e do NBB pra nóis que é do meio rural!

    • Gustavo Freitas

      Nós já tentamos fazer NBB no Jumper. Há alguns anos, tínhamos publicações diárias, mas não havia repercussão alguma. Ninguém se importava, de verdade. O sujeito que vem aqui, sabe que o assunto é, basicamente, NBA.

      Mas cara, é claro que podemos fazer NBB de novo. Precisamos de tempo (que não temos muito) e de gente para escrever sobre o assunto. Eu, particularmente, não faço NBB desde os tempos em que eu escrevia para o iG, com o Sormani. Mas seria legal. Vamos ver.

      Ah, e nunca fazemos cópia ou tradução de conteúdo. Tem muita gente por aí que faz, mas o Jumper nunca fez. Traduzimos apenas o que está entre aspas.

      • Gustavo Macedo

        Xará eu falei que a tentação é grande… Mas vocês não fazem!
        Oxi… Tô aqui todo dia e sei disso!
        É nóis!

  • Ótima matéria! O NBB vem crescendo muito e ficando cada vez melhor, ano passado foi a primeira vez que acompanhei os playoffs do início ao fim e me surpreendi bastante, vi ótimas séries com um nível técnico nitidamente superior ao dos anos anteriores, quando vi alguns jogos aleatórios.