O Jogo em Números (19-01-14)

O impacto de LaMarcus Aldridge

Para muitos, a grande campanha do Portland Trail Blazers (30-9) tem sido impulsionada por LaMarcus Aldridge: o ala-pivô de 28 anos deu um salto de qualidade e alcançou o patamar de candidato a MVP nesta temporada. No entanto, seu impacto positivo sobre a produção do time nos dois lados da quadra já vem de muito tempo. Mais especificamente, desde a primeira vez em que vestiu a camisa da franquia.

Aldridge é um dos raríssimos jogadores que acumula saldo de eficiência – a diferença entre os índices registrados quando está e não está em quadra – positivo no ataque (pontos anotados a cada 100 posses de bola) e na defesa (pontos cedidos a cada 100 posses) desde seu primeiro ano na NBA. Veja nos quadros os números de eficiência ofensiva e defensiva do ala-pivô da temporada de calouro até a atual:

Temporada

Eficiência ofensiva com Aldridge em quadra

Eficiência ofensiva sem Aldridge em quadra

Saldo de eficiência

2006-07

107.4

103.9

+3.5

2007-08

107.9

105.2

+2.7

2008-09

115.7

107.2

+8.5

2009-10

111.6

109.6

+2.0

2010-11

110.4

101.3

+9.1

2011-12

107.5

102.6

+4.9

2012-13

107.7

101.5

+6.2

2013-14

112.8

102.2

+10.6

Temporada

Eficiência defensiva com Aldridge em quadra

Eficiência defensiva sem Aldridge em quadra

Saldo de eficiência

2006-07

109.2

110.6

+1.4

2007-08

108.3

108.4

+0.1

2008-09

107.0

108.6

+1.6

2009-10

106.7

108.3

+1.6

2010-11

106.0

111.8

+5.8

2011-12

103.9

111.5

+7.6

2012-13

108.5

111.6

+3.1

2013-14

103.5

108.8

+5.3

Se Aldridge sempre beneficiou o Blazers nos dois lados da quadra, o que pode fazer a atual temporada tão especial em relação às anteriores? No ataque, o saldo de eficiência explica: o ala-pivô nunca influenciou tanto a produção da equipe na comparação dentro/fora de quadra quanto neste ano (são 10.6 pontos a mais por 100 posses de bola).

No lado defensivo, veja que o Blazers nunca foi tão eficiente com Aldridge em quadra quanto nesta temporada: 103.5 pontos cedidos a cada 100 posses. Na verdade, esta é somente a segunda vez em oito anos de carreira que o time sofre menos de 106 pontos por 100 posses com o astro em quadra. O ala-pivô já teve maior saldo de eficiência na defesa, como vocês podem notar, mas nunca viu a equipe permitir menos cestas em sua presença.

 

O número mágico de Ricky Rubio

Para o bem do Minnesota Timberwolves, Ricky Rubio deveria entrar em quadra todas as noites com um número bem fixo na cabeça: oito. Isso porque, quando o armador consegue anotar oito pontos – uma tarefa dificílima para o espanhol, já tão conhecido por sua ineficiência pontuando quanto por seus passes espetaculares –, a história da equipe nesta temporada parece mudar drasticamente para melhor.  

O time possui 19 vitórias e 21 derrotas neste momento. No entanto, nos 19 jogos em que Rubio marcou oito ou mais pontos, o Twolves saiu de quadra com 14 triunfos e apenas cinco reveses. Quando o passador termina com pontuação menor, a equipe se afunda na briga por uma vaga nos playoffs da conferência Oeste: cinco vitórias e 16 derrotas.

 

Spencer Hawes: um pivô raro

A importância dos jogadores de garrafão capazes de arremessar de longa distância cresce a cada dia na NBA, como todos sabem. No entanto, a maioria absoluta deles são alas-pivôs. Pivôs de ofício (aqueles “naturais” da posição cinco) que arremessem ainda são raridades. Neste cenário, Spencer Hawes é uma notável exceção.

Apenas 43 atletas já tentaram 100 ou mais arremessos de três pontos nesta temporada e seis deles atuam nas posições quatro e/ou cinco. Hawes não só é o único pivô de ofício da lista, mas também possui o 13º melhor aproveitamento da NBA nos tiros de longa distância (42.6%). Confira no quadro abaixo:

Jogador

Arremessos convertidos por jogo

Arremessos tentados por jogo

Aproveitamento (%)

Anthony Tolliver

1.45

3.18

45.7

Spencer Hawes

1.66

3.89

42.6

Mirza Teletovic

1.87

4.48

41.7

Ryan Anderson

3.04

7.45

40.9

Dirk Nowitzki

1.61

3.97

40.5

Channing Frye

2.15

5.33

40.4

O que torna o aproveitamento de Hawes ainda mais impressionante é que, diferente de outros grandes arremessadores da liga, ele não está se aproveitando das tentativas dos corners – os lados da quadra, cuja distância para a cesta é menor. Só oito de seus 128 tiros de três pontos aconteceram nos lados da quadra, como você pode ver abaixo:

Spencer Hawes shotchart

Só lembrando: Hawes está disponível e deve ser trocado até a trade deadline. Uma escolha de primeira rodada pode ser o bastante para convencer o Sixers a negociá-lo.

 

A formação dos sonhos do Pelicans

Embora Ryan Anderson e Tyreke Evans sejam reservas, não há dúvidas de que o quinteto mais talentoso que o New Orleans Pelicans pode formar com seu elenco atual é composto pelos dois suplentes ao lado de Anthony Davis, Eric Gordon e Jrue Holiday. Os cinco atletas atuaram apenas 91 minutos juntos nesta temporada, mas, neste pouco tempo, deram uma pequena mostra do que são capazes de fazer no lado ofensivo da quadra.

Com o quinteto em quadra, o Pelicans registrou 123.5 pontos marcados a cada 100 posses de bola. São cinco pontos anotados a mais do que qualquer outra formação da NBA que tenha atuado, no mínimo, 65 minutos junta na atual campanha.

Em nível de comparação, o melhor quinteto titular da NBA neste quesito é o do Golden State Warriors (Stephen Curry, Klay Thompson, Andre Iguodala, David Lee e Andrew Bogut), com 116.6 pontos a cada 100 posses de bola. O melhor time da liga em eficiência ofensiva neste momento é o Portland Trail Blazers, marcando 110.6 pontos por 100 posses – ou seja, quase 13 pontos a menos do que a “formação dos sonhos” do Pelicans.

 

Cadê as atuações de 50 pontos?

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=nOTzDvAzEYg]

O ala Kevin Durant quebrou o recorde em pontuação da carreira ao anotar 54 pontos na vitória do Oklahoma City Thunder sobre o Golden State Warriors, na última sexta-feira (17). Esta foi a primeira atuação de 50 ou mais pontos da temporada, o que vem se tornando uma raridade na NBA. Desde o início da campanha 2010-11, a “barreira” dos 50 pontos só foi quebrada por um jogador em nove oportunidades:

Data

Jogador

Pontos

03/02/2011

LeBron James

51

07/02/2011

Carmelo Anthony

50

19/02/2012

Kevin Durant

51

04/03/2012

Deron Williams

57

23/03/2012

Kevin Love

51

18/01/2013

Kevin Durant

52

27/02/2013

Stephen Curry

54

02/04/2013

Carmelo Anthony

50

17/01/2014

Kevin Durant

54

Entre as temporadas 2007-08 e 2009-10, para se ter uma ideia da “queda”, a NBA assistiu a 19 atuações de 50 ou mais pontos. Já no intervalo de 2004-05 a 2006-07, a marca dos 50 pontos foi quebrada em 38 oportunidades e, sozinho, Kobe Bryant foi responsável por 16 delas.

 

Jogo rápido:

– Vamos voltar para a rodada de Natal: Russell Westbrook anotou um triplo-duplo (14 pontos, 13 rebotes e dez assistências) na vitória do Oklahoma City Thunder sobre o New York Knicks. O armador tornou-se apenas o quinto atleta da história a registrar um TD no feriado, juntando-se a grupo que inclui LeBron James (2010), Billy Cunningham (1970), John Havlicek (1967) e Oscar Robertson (1967, 63, 61 e 60).

– O Minnesota Timberwolves empolgou no início de temporada, mas, agora, simplesmente não consegue ultrapassar a marca de 50% de aproveitamento na campanha. Desde que passou a ter campanha negativa (em 27 de novembro), o time teve nada menos do que oito chances de voltar a ter mais vitórias do que derrotas e não conseguiu aproveitar nenhuma delas.

– No último dia 14, o pivô DeMarcus Cousins marcou 31 pontos e pegou 13 rebotes na derrota do seu time, Sacramento Kings, para o Indiana Pacers. Esta foi a 12ª vez que o atleta terminou uma partida com, no mínimo, 30 pontos e dez rebotes na carreira. Desde que o Kings mudou-se para Sacramento, em 1985, o único jogador com mais atuações deste calibre pela franquia foi Chris Webber (49).

– O ala LeBron James viveu uma situação bem pouco usual em sua carreira no último dia 10: ele foi eliminado do jogo diante do Brooklyn Nets por estourar o limite de seis faltas pessoais. Esta foi apenas a sexta vez em dez anos de carreira que o astro do Miami Heat cometeu seis faltas em uma partida. A última oportunidade em que isso aconteceu na temporada regular havia sido em abril de 2008.

– Na última sexta-feira (17), Boston Celtics e Los Angeles Lakers se enfrentaram pela 353ª vez na NBA. A partida marcou o retorno do armador Rajon Rondo às quadras após 11 meses recuperando-se de uma grave lesão no joelho, mas vai ficar marcada nos livros de recordes por outro motivo: somando apenas 35.4% de aproveitamento na temporada, os dois times nunca estiveram frente a frente com campanha combinada tão ruim na história.

Fontes estatísticas: NBA.com, ESPN, Basketball Reference, NBA Wowy e Elias Bureau Sports.

Ricardo Stabolito Jr.
Ricardo Stabolito Jr.
Jornalista de 27 anos. Natural de São Bernardo do Campo, mas vive em Salvador há mais de uma década.
  • Bruno#L.A.Lakers

    Jogador atualmente faz mais de 50 pts neguim acha algo de outro mundo , …. começaram a ver NBA a 2 anos no maximo e não pegaram Kobe no auge 50 pts era toda semana fora o show aquilo sim q era um espetáculo !! SHOW TIME !

    • pedrokadf

      Toda semana ? Não força tbm né ..
      kobe já fez grandes jogos, mas todo semana jogos de 50 pontos ? vc pega pesado D+ kkkkkk menos, bem menos ..

  • Rômulo

    Essa questão da barreira dos 50 pontos tem uma resposta clara para mim. Os cestinhas concentradores de jogo, volume shooter são cada dia menos prestigiados . E geralmente são esses jogadores que ultrapassam essa barreira. NBA atual é bastante coletiva.

    • Anônimo

      Concordo quando vc diz que hoje ninguém mais é o dono da bola na NBA, pelo menos não a ponto de ser unanimidade.

      O problema é que vejo os scorers de hoje oscilar muito. Joe Johnson fez mais de 20 pts no primeiro quarto contra Miami, mas não fez nem metade disso nos outros três quartos do jogo. Ou seja, os caras fazem um quarto surreal e depois não mantém a intensidade.

      Antes vc via os caras com esse aproveitamento durante 80% da partida.

  • Tom

    Wolves não precisa desse 8 pra ir pros playoffs… Precisa é de um novo rebuild, novo Franchise Player e novo técnico.

    • RodrighoN

      Ou seja precisa nascer de novo, eles tiveram a chance da vida deles na era Garnet e não aproveitaram, o time parece certinho mais ta no oeste ja dificulta muita coisa, acho que vale apena ate nao ir para os playoffs nessa temporada para pegar um bom ala no draft.

  • caio_l

    Atualmente os únicos que tem mais chances que fazer isso são durant e curry, por ser muito foda em criação de arremesso em pouco espaço de tempo.

    • wellington origuela

      O Lebron nao consegue? O Melo nao consegue?

  • Danilo

    A salvação do Timberwolves para mim seria começar com o Shived armando como titular no lugar do Rubio. O espanhol pode ter mais nome, ser mais conhecido, mas o russo joga muito mais na posição. Ele consegue distribuir bem a bola, criar arremesso para os companheiros e ainda tem arsenal ofensivo. Marca 11 pontos vindo do banco atuando poucos minutos.

    O Rubio devia vir do banco junto com o Barea. Um armador que cria jogada para si mesmo (Barea) e outro que cria para os companheiros (Rubio). Já Shived começando de frente, mantem a qualidade do quinteto em distribuilção de bola e ainda aumenta o poder ofensivo,

    • CosmeCelta

      Acho o Shived muito bom mesmo, mas pra mim o Rubio é um dos melhores criadores de jogada da NBA, o problema dele é pontuar, mas não acho que o Shived acrescentaria mais que ele ao time. O Rubio é muito bom no que faz que é passar a bola, acho que isso mantém ele a frente do Shived.

    • Gosto muito do russo jogando, deveria ser melhor aproveitado em outra franquia, e não no time do “Ai quero sair” Love. Enquanto ficarem nessa de Kevin Love ficar fazendo birra e falando mal de companheiro não vão a lugar algum, troca logo o cara e reforça o time.

  • Anthony Tolliver, esse cara foi chutado do Wolves em pleno desenvolvimento(obrigado Kahn). E essa questão vai além de Rúbio tem haver com os reservas do Wolves.

    Novembro: 8.5 ppg / 4.5 rpg / 8.5 apg. Saldo: 8-9

    Decembro: 8.6 ppg / 4.7 rpg / 7.7 apg. Saldo: 6-7

    Janeiro: 7.6 ppg / 4.1 rpg / 8.0 apg. Saldo: 7-7

    Fevereiro: 10.8 ppg / 4.7 rpg / 10.0 apg. Saldo: 4-6