O segredo (não) está de longe

Não é nenhuma grande novidade que LeBron James e Dwyane Wade formam uma das melhores duplas da NBA. Na última temporada, os dois jogadores se reuniram no Miami Heat em busca de um título. Tudo bem que não aconteceu, pois foi derrotado merecidamente pelo Dallas Mavericks. Entretanto, neste começo de 2011-12, o Heat é um dos únicos invictos em cinco jogos, o melhor início em sua história. Culpados disso? Sim. Totalmente.

Para começar, há uma mudança de atmosfera no time da Flórida. Já não existe a mesma pressão que houve no ano passado. LeBron ainda é odiado por muitos, é fato. Porém, ele se diz muito mais tranquilo para atuar. E é verdade. James não vem sendo incomodado por fãs, jornalistas e até mesmo por colegas como era em seu primeiro ano na Flórida.

Mas existe uma situação em quadra que provavelmente pouca gente notou: Wade e James pararam de arremessar de três pontos.

É sabido que ambos nunca foram especialistas no artifício do arremesso de longa distância. James possui um aproveitamento de 32.9% na carreira, enquanto Wade é ainda pior, com meros 29.2%. Então qual a solução? Parar de forçar arremessos. Simples.

E o resultado está sendo visto em quadra. Nas cinco primeiras partidas, apenas um arremesso de três veio da dupla, e James errou. Tirando isso, o aproveitamento de quadra de ambos é sensacional, especialmente o de LeBron, com incríveis 59.8%. Wade está com 48.8%. E para quem acha que os dois tiveram uma queda na quantidade de arremessos, é porque provavelmente não os viu jogar. O volume é o mesmo de 2010-11. A diferença mesmo está na qualidade.

Sim, a qualidade. É quando o jogador pensa um pouco mais, ao invés de tentar chutes de qualquer forma de longe, e buscam as cestas de aproveitamento alto. Ou seja, não tentam mais arremessar de longe e ficam cada vez mais próximos à cesta.

No basquete Fiba, o arremesso de três é utilizado em boa parte das jogadas ofensivas, o que faz com que a porcentagem de lances convertidos caia. É apenas um artifício. O jogador não precisa morrer de amores pelos três pontos. Há outras formas mais eficazes de pontuar, e uma delas é buscar a chance dentro do garrafão.

Wade teve sim, uma diminuição de seus pontos em relação ao ano passado, quando fazia 25.5 pontos. Hoje, ele faz 20.2, mas está cada vez mais participativo nas assistências, subindo de 4.6 para 5.8 por jogo. Já James, subiu sua pontuação de 26.7 para 32.8 em 2011-12. Nos passes decisivos, praticamente a mesma coisa, com aproximadamente sete por embate.

Os números estão aí. Em apenas um jogo, James não anotou pelo menos 20 pontos. Foi na vitória esmagadora sobre o Charlotte Bobcats, quando ele esteve em quadra por 28 minutos, e ainda assim ele fez 16 pontos e pegou nove rebotes.

Quer que seu time arremesse de três? Então que deixe com especialistas. O Heat está fazendo isso em 2011-12. Não por menos, tem a segunda melhor pontaria da NBA, com aproveitamento de 43.8%, perdendo apenas para o Boston Celtics, com 47.8%. O resultado disso é que dois outros jogadores estão se destacando. James Jones, com oito acertos em 14 tentativas (57.1%), e Mario Chalmers, que acertou nove em 12 (75%).

É cedo, muito cedo apontar favoritos para o título. Mas é fácil dizer que o Heat está entre eles. Mais ainda que em 10-11.