Obrigado, Luciano

Na tarde deste sábado, 19 de abril, morreu Luciano do Valle, aos 66 anos, um dos melhores narradores que o país já teve e que com certeza foi um dos principais responsáveis pelo que a NBA é hoje no Brasil.

Comecei a gostar de esportes muito por conta dele. Chegava aos domingos, já pela manhã para assistir futebol italiano. E vinha o Show do Esporte, com apresentação de Elia Júnior. Eu assistia a Bandeirantes desde cedo até o fim do programa, que era lá pelas 20h. Seu comando era um absurdo de bom. Fazia o brasileiro entender de esportes, sem meias palavras, sem muita frescura. 

Nos anos 80, Luciano, ao lado de Álvaro José, trouxe aos telespectadores algo que poucos imaginavam, um jogo de basquete com grandes lances de nomes que eu só lia nos jornais. Era algo inacreditável. Não existia essa coisa de TV por assinatura ou pela internet. Isso não existia aqui. Quem acompanhava, era só quem tinha antena parabólica ou pela Band. 

Os nomes Michael Jordan, Magic Johnson, Larry Bird, foram massificados aqui por conta de seu excepcional trabalho. Quem viu o último All Star game de Magic pela Band, sabe do que estou falando. Narrou com maestria. Me fez chorar pela primeira vez por causa de esporte.

[youtube=https://www.youtube.com/watch?v=FglKck_EUcY]

Ao mesmo tempo, trouxe a NFL e era um esporte completamente diferente para os nossos padrões. Ninguém entendia nada e Luciano dava aula sobre o assunto. Além disso, teve ainda a Fórmula Indy, uma concorrente de respeito da Fórmula 1. Ele era completo.

Infelizmente, ninguém está aqui para sempre, mas se tem uma coisa que podemos fazer é agradecê-lo por todo esforço que fez para trazer o esporte americano ao Brasil. Seu legado será eterno. 

Obrigado, Luciano.

Gustavo Freitas
Gustavo Freitas
Mineiro de Uberaba, é co-fundador do Jumper Brasil e fã do Boston Red Sox.
  • Big

    Que narração fantástica de um momento ímpar do basquete mundial. Momentos que temos que guardar com carinho em nossos corações. Vai empas, Luciano…

    • Big

      Em paz… Foi mal

  • MARTIN

    RIP.

  • Michel Moral

    A última narração de um jogo que vi com ele, com os jogadores da NBA, foi um all star game, no ano de 2000, salvo engano.

    Sou muito mais do Vale do que Galvão Bueno.

  • rodrigo

    luto

  • Ricardo Romanelli

    Um narrador espetacular, que deixou sua marca em praticamente todos os eventos esportivos ocorridos neste último meio século. Deixará saudades para todos os fãs de esporte, e especialmente para nós do basquete, que agradecemos demais os momentos narrados por sua voz. Vá em paz, grande Luciano.

  • Maia-bucks

    Mito.

  • Truth… Obrigado, Luciano(2).

  • Benny The Bull

    Perda irreparável ! Saudades do Show do esporte de Domingo na band.
    Narrava com emoção na medida certa.

  • Ricardo

    os mitos estão nos deixando, hj em dia a gente vê zé boquinha reclamando no ar pq a partida da nba foi pra prorrogação e ele queria ir dormir e quando a gente vê essa emoção de Luciano percebemos o quanto pobre o Brasil vai ficando em relação a tudo até mesmo um simples narrador pra a gente acaba se tornando um MITO, agora ele pode descansar num lugar bem melhor do q esse Brasil e irei salvar esse vídeo pra eu mostrar um dia para filhos e netos

  • M Dias

    Luto

  • robertolakers

    Tenho 15 anos e não tive o prazer de acompanhar sua trajetória mas pelas palavras dos q viram compreendo q ele foi um excelente apresentador e um dos principais mentores do q a NBA é hj no brasil então tenho orgulho pela sua incrível marca deixada no país e pela alegria q deixou para mt gente.

  • Elber

    Acompanhava o Show do Esporte nos anos 90. Era fanático pelo Campeonato Italiano e pela NBA (quando a antena pé de galinha conseguia pegar a Band, rss)
    A palavra MITO usada no basquete para identificar jogadores de outros patamares se encaixa bem ao Luciano do Vale, que proporcionou a quem pôde acompanhar o esporte com ele vários momentos inesquecíveis.

    Até+ MITO do Vale!

  • Grande Luciano! Descanse em paz!

  • Julio Zago

    Parabéns pela homenagem, sem dúvida Luciano é um dos grandes responsáveis pela massificação da NBA no Brasil.
    Na minha opinião, não só pela narração, mas também por sua inigualável contribuição ao esporte nacional, o Brasil perdeu o maior narrador de todos os tempos.

  • Raphael Mascarenhas

    A galera fala muito que o Luciano foi o narrador mais épico que o Brasil já teve, mas aposto que quando o Silvio Luiz morrer, vai ser a mesma coisa. Galera, a gente tem que valorizar enquanto ta vivo. Quando o Luciano tava vivo, o vídeo que mais corria na net era ele metendo o pau no Neto, no Milton Neves, dizendo que pra trabalhar com ele, precisava ter diploma… Depois que morre, todo mundo elogia. Ta ai, o Silvio Luiz, um dinossauro, que marcou muita gente aqui. Só vão valorizar, depois que morrer.

  • Eu torço pela franquia dos Pacers por causa da narração dele. Na ultima temporada do M.Jordan pelos Bulls, a Band e o Luciano Do Valle, transmitiram as finais da Conferencia Leste e a final da NBA de 1997/1998; isso tinha uns 9 anos de idade. Aquela série final foi antológica. Lembro que ele se impressionou com o time de Indiana e o rendimento de Reggie Miller, fazendo os Bulls soarem. Depois na derrota dos Pacers, pulei de alegria quando o Jordan fez a sua ultima cesta da consagração diante do Utar Jazz de Karl Malone e John Stockton. Foi uma presença que irei guardar com carinho. Descanse em paz Luciano Do Valle e que com certeza está ao lado da lenda Fiori Gigliotti, observando os próximos radialistas esportivo.

  • caio_l

    Silvio Luiz, Luciano do Valle e Silvio Lancelotti na Band foi algo mais memorável que já vi, esses 3 eram MONSTROS. Outro que era fera no futebol era Januário de Oliveira, “Tá Lá o corpo estendido no chão”

  • marquin

    Grande narrador, mas só tinha um defeito: BAIRRISTA AO EXTREMO. Pra ele, tudo fora do estado de SP era Argentina. Mas sem dúvida é uma grande perda. Principalmente pra imprensa paulista.

  • Anônimo

    Baita texto. Muito dos fãs da nba, principalmente os das antigas, devem a esse cara. Que vaja bien.

  • Marcos Gordinho

    Tenho 42 anos. Estou de luto pela ida dessa força descomunal do jornalismo esportivo. Foi com a narração dele que fui apresentado a NBA e ao basquete como esporte. É uma vergonha o que fazem hoje. Narradores que sequer conhece regras, fundamentos, desafios de cada esporte que têm que narrar. Ele foi pioneiro, e nunca superado entre os demais como estudioso de cada categoria esportiva a qual emprestava sua voz. Pode parecer estranho, mas recordo que a dois anos faleceu uma atriz que interpretava uma personagem chamada Emanuelly. Musa de minhas noites de sábado logo após a transmissão da NBA na Band. Lazer completo para um jovem pérrapado e tímido. Mas a realidade é que a adrenalina causada pela narrativa de Luciano do Valle ajudava muito me manter acordado até 3 da madugada. Lamento quem nunca o ouviu, admirou, e compartilhou de seus comentários. Esse gigante não terá substituto a altura. Que descanse eternamente em berço esplêndido, pois este filho nunca fugiu das lutas. Nem nunca temeu o próprio fim. Agora choremos como mãe gentil, nós todos dessa pátria nem sempre amada, Brasil!!!