Para Brad Stevens, Celtics já “virou a página” de fracasso na temporada passada

O Boston Celtics entrará em uma nova temporada tentando deixar um recente e incômodo passado para trás. A equipe iniciou a campanha passada como favorita ao título do Leste, mas “perdeu-se” entre supostos problemas de relacionamento que levaram a uma pequena reformulação no elenco durante a offseason. Foi uma história que trouxe lições, mas o técnico Brad Stevens deseja deixar para trás.

“Não jogamos como queríamos. Eu acredito que tivemos alguns momentos em que mostramos um ótimo basquete, mas, na maior parte do tempo, não fomos tão bons quanto em anos anteriores. E acho que esse elenco fez um bom trabalho ‘virando a página’, focando no que está por vir. Realmente gosto da mentalidade do grupo de atletas que temos hoje”, contou o treinador, em entrevista nessa segunda-feira.

De fato, o fracasso na última temporada teve fortes reflexos no plantel: embora os jovens talentos continuem lá, três titulares experientes foram embora: Al Horford, Kyrie Irving e Marcus Morris. Kemba Walker e Enes Kanter estão, por outro lado, entre os reforços que chegaram a Boston nas férias. Stevens tem certeza de que essas mudanças vão conduzir, inevitavelmente, a outros sistemas de jogo.

“Nós temos um desafio diferente agora do ponto de vista tático, com as mudanças de características de nossos jogadores – especialmente, entre os pivôs. Então, não tenho dúvidas de que vamos ver algumas coisas novas. Mas não existe razão para pensar que nós não podemos mudar. Colocando trabalho e foco no dia-a-dia, tudo vai se ajeitando”, afirmou o técnico, cobrando óbvio empenho dos atletas.

A decepção também acarretou críticas e especulações para o Celtics, chegando a envolver até o antes inquestionável Stevens. O trabalho do jovem comandante foi questionado sistematicamente pela primeira vez em Boston e sua habilidade para lidar com altas expectativas passou a ser contestada. Para a nova temporada, ele pretende recuperar o prestígio fechando o elenco em torno do básico.

“Eu sei que muitas coisas são ditas lá fora, mas a minha preocupação é fazer com que joguemos basquete com esforço e união. Sinto que temos uma boa fundação aqui e precisamos jogar com aquele aguerrimento com o qual os times de Boston jogam. Tudo além disso, de sistema de jogo a jogadas desenhadas na lousa, vai acontecer naturalmente a partir daí”, garantiu um confiante Stevens.

Ricardo Stabolito Jr.
Ricardo Stabolito Jr.
Jornalista de 27 anos. Natural de São Bernardo do Campo, mas vive em Salvador há mais de uma década.