Presidente do Real Madrid revela sonho de incluir clube espanhol na NBA

Vira e mexe, a inclusão de equipes europeias torna-se assunto de discussão nos bastidores da NBA. E, se a proposta ainda divide opiniões nos EUA, um dos mais tradicionais clubes do velho continente está totalmente de acordo com a ideia. O presidente do Real Madrid, Florentino Perez, confirmou que defende e já trabalha para colocar o gigante espanhol na liga norte-americana.

“O Real Madrid disputa 80 jogos por temporada e grande parte deles não é muito competitivo. Eu tenho o sonho de jogar na NBA. Gastamos muito dinheiro com o basquete e queremos competir contra os melhores. Além disso, só duas franquias têm mais seguidores do que nós nas redes sociais, então poderíamos trazer uma nova dimensão à liga”, afirmou o dirigente, em entrevista ao diário Ok.

Um dos principais empecilhos para a inclusão de times europeus na NBA seria o remanejamento do calendário da liga para viagens maiores, mas Perez já não vê isso como um obstáculo. “Viajar de Madrid para Nova Iorque, por exemplo, não é tão desgastante hoje em dia. Eu sei que a logística seria um problema para a NBA, mas continuaremos trabalhando para viabilizar”, garantiu o presidente.

Ricardo Stabolito Jr.
Ricardo Stabolito Jr.
Jornalista de 27 anos. Natural de São Bernardo do Campo, mas vive em Salvador há mais de uma década.
  • Elinho

    Gasta muita grana com o time, ao menos sonhar não custa kkkkkkkk

  • Rodrigo Morais

    Muito longe, ai força a amizade.

  • João Víctor Matos

    Loucura. Para possibilitar isso a NBA teria que mudar calendário e organização de uma maneira como nunca antes. Dúvido que americano, patriota do jeito que é, irá apoiar isso só para incluir um time estrangeiro.

  • Toni von Mises

    “Uma pena o Concorde ter se aposentado”, pois levava apenas 3h de Nova York à Paris(um aviação convencional leva 10h). Aí sim seria possível. No momento temos q aguardar o projeto da Hermeus, q promete lançar um aviação supersônico em 10 anos. Levaria apenas 1:30h de viagem de NY à Londres.

    Se for pra aceitar franquias da Europa, então q crie uma divisão com 5. Meu palpite: Madrid, Barcelona, Milão, Paris e Londres.
    Maaas muitos podem dizer:”Ah, mas a Grécia, Rússia e a Turquia possui uma liga forte, deveriam levar em consideração”. Sim. Mas de importância de mercado, creio q devem ser essas cidades inicialmente(mesmo Reino Unido não ser tão fã de basquete, Londres iria ganhar uma franquia).

  • Guilherme Petros

    mas… oi?

  • Só se o Real Madrid mudasse para os EUA, as viagens são muito longas e nunca seria aceito…

  • Lockdown defense

    Só se os times alugarem os caças do exército americano. Imagine sair de Los Angeles para jogar em Madrid. Totalmente sem condições.

  • Guilherme

    Utopia das brabas.

  • Alex Alves

    Isso é uma maluquice das brabas, o mais real seria aumentar os jogos da Euroliga para 45 ou 60 rodadas faria muito mais sentido (até mesmo do ponto de vista comercial).

  • Cavs nas Europas¨¨ TH

    Já diria Bethânia: sonho meu

  • victor

    Pode ser uma realidade distante, mas é o Real Madrid, talvez um dia aconteça. Uma forma de mitigar o problema da distância pra Madrid seria o adversário fazer os 2 jogos seguidos na Espanha. E tbm o RM fazer um tour de uns 10 jogos seguidos nos EUA.

  • Lucas Henrique

    Vendo o vídeo, esse time do OKC foi talvez um pouco subestimado não acham? Deram todo o crédito da campanha e ir pros offs pro Westbrook, pela média de TD pela primeira vez, pelo temporada fantástica dele e tals, mas… se for ver bem, o time tinha Oladipo, Sabonis, Roberson, Kanter, Grant, İlyasova, são bons role players, tanto é que Oladipo hoje é all star, Sabonis é um dos melhores 6º homens da liga, Kanter e Adams se completavam no garrafão, İlyasova é um jogador importante de rotação, Grant e Roberson pilares defensivos, o time não era essa baba toda que pregavam não

    • KleineBosch

      Se reunisse esse time todo de novo, podia ser um timasso (se montado a tática de forma certa)

      • Lucas Henrique

        Verdade, West-Oladipo-Roberson-İlyasova-Adams , com İlyasova de titular para espaçar a quadra, no banco com Grant-Sabonis e Kanter, só precisaria de um armador reserva, mas seria um time interessante e com bom banco mesmo

  • Mestre

    Melhor seria tentar entrar na NFL. Isso seria viável hoje, falando em logistica. Mas não tem tradição. Um time de Londres seria bacana.

  • RSMC

    Real Madrid adora essa aura de prepotência. Se ainda tivesse um domínio amplo na Europa. Mas nem no campeonato nacional tem um domínio invejável.

    • Alan Ribeiro

      É só utilizar o teletransporte aí fica tudo mais fácil.

  • Michel Moral

    Não há logística para incluir outro continente na liga. Não pelos meios que temos hoje.

    Se o Florentino Perez desejar, vai ter que convencer a NBA a criar ou comprar/vender alguma franquia nos Estados Unidos, acolhendo algum Estado ou cidade como sede, chamando-a de “Real Madrid”. É a única opção.

    Mas daí, já não dá para saber até que ponto a cultura da instituição, a equipe propriamente dita e a filosofia de trabalho seriam importadas da Espanha.

    Pra mim, seria como quando se criou o Bobcats. Entraria no draft, teria dificuldade nos primeiros anos e, só depois de algum tempo de trabalho sério, é que conseguiriam ganhar um pouco mais de respeito. E mais, acho que já se tornariam um time da NBA, em termos de pensamento, gestão e tudo mais (o que faz todo sentido, afinal, vc está jogando na NBA).

    Agora, convenhamos, se fosse nesses moldes, que diferença faz ser o Real Madrid? A marca e só.

    Prefiro o Sonics de volta…

    • MessiGOAT

      Perfeito, amigo!

    • Mestre

      Mas seria da hora hein, caso fosse possível logisticamente. Real Madrid e Barcelona na NBA. Assim como seria fantástico uma Champions League com Boca, River e mais dois ou três brasileiros. Fantástico pra nós sul anericanos, evidentemente. Eu particularmente gosto muito mais de torneio de clubes doque seleções.

  • Jurandir Pedrosa

    Seria interessante incluir também a equipe de Saturno!

  • Rodolfo Ucke

    Na NFL tb falam de vez em quando em criar uma franquia em Londres (já se tem 4 jogos por ano lá da NFL), e sempre esbarra na logística. Possível até seria, uma viagem de avião de qualquer parte dos EUA para Madri ou Londres não é tão longa assim (ás viagens internas dentro do próprio EUA, já são longas, afinal de contas é 1 país continental de mais de 9 milhões de km2. Mais sabemos como os atletas criam obstáculos, e até que ponto valeria a pena ter uma franquia em Londres ou Madri, se a grande maioria dos astros não vão querer jogar lá? Se um Carmelo com a carreira dele com pé na cova, não tenta jogar na Europa, imagina um all star no auge? Americanos geralmente, tem uma visão de resto do mundo mto restrita,se o Canadá já atrai pouco, imagina a Europa. Grande mercado por grande mercado Toronto tb é, e ngm quer ir pra lá. É foda.