Previsão: Cleveland Cavaliers (4º) x (5º) Indiana Pacers

Cleveland Cavaliers (4º) x (5º) Indiana Pacers

Confrontos na temporada: Cleveland Cavaliers 1 x 3 Indiana Pacers

01 NOV – Pacers 124 x 107 Cavaliers

08 DEZ – Cavaliers 102 x 106 Pacers

12 JAN – Cavaliers 95 x 97 Pacers

26 JAN – Pacers 107 x 115 Cavaliers

  

Programação da série

15-04: Cavaliers x Pacers – 16h30 (em Cleveland)

18-04: Cavaliers x Pacers – 20h00 (em Cleveland)

20-04: Pacers x Cavaliers – 20h00 (em Indiana)

22-04: Pacers x Cavaliers – 21h30 (em Indiana)

25-04: Cavaliers x Pacers – horário a confirmar (em Cleveland)*

27-04: Pacers x Cavaliers – horário a confirmar (em Indiana)*

29-04: Cavaliers x Pacers – horário a confirmar (em Cleveland)*

* Se necessário
Horários de Brasília

Cleveland Cavaliers (50-32)

Time-base: George Hill, Rodney Hood, LeBron James, Jeff Green, Kevin Love

Reservas com mais tempo de quadra: J.R. Smith, Tristan Thompson, Jordan Clarkson, Kyle Korver, Larry Nance Jr., Jose Calderon

Técnico: Tyronn Lue

 

Indiana Pacers (48-34)

Time-base: Darren Collison, Victor Oladipo, Bojan Bogdanovic, Thaddeus Young, Myles Turner

Reservas com mais tempo de quadra: Domantas Sabonis, Lance Stephenson, Cory Joseph, Trevor Booker

Técnico: Nate McMillan

Análise do confronto

É preciso chamar a atenção, antes de qualquer coisa, para a temporada do Indiana Pacers. Com um elenco desacreditado e executivos alvos de piadas por uma troca aparentemente desastrosa envolvendo seu principal atleta (Paul George), a equipe merece os parabéns por suas convicções e chegar aos playoffs em um improvável quinto lugar do Leste. Pensar que esse time perdeu somente dois jogos a mais do que o atual tricampeão da conferência dá noção do feito alcançado.

Dito isso, o Pacers não parece ser o tipo de adversário a parar o Cavaliers. O time de LeBron James, como em anos anteriores, ganha jogos no ataque: possui uma defesa pífia e um ataque mais implacável do que qualquer outro do Leste. A trilha para derrotar o quarto colocado do Leste em uma série de sete partidas, então, é sobreviver ao seu ataque. Dono da 12a marcação mais eficiente da liga, a equipe de Nate McMillan não dá sinais de ter a excelência necessária para fazê-lo.

Os quatro jogos da temporada regular não servem como parâmetro para analisar a fundo essa série porque todos aconteceram antes da verdadeira reforma pela qual passou o elenco de Cleveland na trade deadline. Naqueles jogos, a dificuldade para marcar a dupla de armação composta por Victor Oladipo e Darren Collison foi bem exposta. O problema era previsível pela lentidão daquele grupo e deve ser menos crucial agora, com atletas mais versáteis defensivamente à disposição (George Hill, Rodney Hood, Larry Nance Jr.).

O elenco de Indiana tem algumas opções para “lançar” em LeBron, por exemplo, mas nenhum dos jogadores (Bojan Bogdanovic, Thaddeus Young, Glenn Robinson III – até Lance Stephenson) parece ter a capacidade de tirá-lo da zona de conforto. Além disso, os pivôs do plantel – Myles Turner, Domantas Sabonis – não soam ter a mobilidade para trocar marcações no perímetro e acompanhar Kevin Love na linha de três pontos nas formações mais espaçadas (leia-se mortais) de Cleveland.

O caminho para o Pacers não parece ser um mistério: tentará reduzir o ritmo das ações (registra o sétimo menos número de posses de bola por partida, com 98.2), forçar erros no jogo de meia quadra e sair rápido em oportunidades de transição (segunda maior média de pontos anotados a partir de desperdícios adversários). O Cavaliers não corre propriamente, mas gosta de fazer a bola “correr” – passos longos, ataques rápidos, muita incisão já no começo das ações – e tirar esse ritmo é simplesmente essencial para realizer uma defesa funcional.

A verdade é que um time que marque tão mal quanto o Cavaliers – segunda pior eficiência da temporada, embora costume melhorar um pouco quando chega aos playoffs – sempre terá a chance de ser surpreendido. É vulnerável: as noites em que as bolas não caem vão ser potencialmente longas. Mas, por mais sensacional que seja esse ano do Pacers, eles não parecem o candidato ideal a “cometer o crime” contra os atuais tricampeões do Leste.    

Palpite

Cleveland Cavaliers 4 x 1 Indiana Pacers