Boston Celtics

Campanha em 2016-17: 53-29, primeiro colocado na conferência Leste
Playoffs: eliminado na final da conferência Leste, pelo Cleveland Cavaliers
Técnico: Brad Stevens (quinta temporada)
GM: Danny Ainge (desde 2003 no cargo)
Destaques: Kyrie Irving, Gordon Hayward e Al Horford
Time-base: Kyrie Irving – Jaylen Brown – Gordon Hayward – Marcus Morris – Al Horford

Elenco

11- Kyrie Irving, armador
20– Gordon Hayward, ala
42- Al Horford, pivô
13- Marcus Morris, ala-pivô
36- Marcus Smart, ala-armador
7- Jaylen Brown, ala-armador
0- Jayson Tatum
12- Terry Rozier, armador
46- Aaron Baynes, pivô
8 – Shane Larkin, armador
45- Kadeem Allen, ala-armador
26- Jabari Bird, ala-armador
55- Jonathan Holmes, ala-pivô
28- Abdel Nader, ala
37- Semi Ojeleye, ala-pivô
51- L.J. Peak, ala-armador
27- Daniel Theis, ala-pivô
38- Andrew White III, ala
30- Guerschon Yabusele, ala-pivô

Quem chegou: Kyrie Irving, Gordon Hayward, Marcus Morris, Jayson Tatum, Aaron Baynes, Kadeem Allen, Jabari Bird, Jonathan Holmes, Abdel Nader, Semi Ojeleye, L.J. Peak, Daniel Theis, Andrew White III, Guerschon Yabusele

Quem saiu: Avery Bradley, Jae Crowder, Isaiah Thomas, Gerald Green, Jonas Jerebko, Amir Johnson, Kelly Olynyk, James Young, Tyler Zeller

Revisão

Desde a chegada do treinador Brad Stevens, a franquia de Massachusetts foi a que mais evoluiu na NBA. Na última campanha, com um elenco “modesto”, mas que sabia jogar de maneira equilibrada e era taticamente irretocável, a equipe garantiu a primeira colocação na conferência Leste.

Em uma temporada onde grande parte dos times claramente priorizou o ataque, o Celtics foi mais uma equipe que acabou abdicando do sistema defensivo sólido. A ausência de um jogador eficiente no garrafão, para proteger o aro e pegar rebotes, contribuiu muito para esse retrospecto negativo.

Por sua vez, o conjunto fez a diferença para o time de Boston, que obteve a terceira melhor média de assistências da liga. O trabalho de movimentação da equipe para deixar o companheiro em uma condição favorável para o arremesso foi impecável, especialmente quando esse jogador era o armador Isaiah Thomas, destaque do time.

De maneira geral, a temporada foi importante para que o Celtics se tornasse oficialmente parte da elite da NBA. Saber que possui um técnico e elenco capazes de vencer qualquer adversário, deixa o torcedor muito otimista. Restava apenas a franquia trazer reforços que trouxessem maior qualidade, que tivessem condições de fazer a diferença no futuro.

O perímetro

Uma análise do perímetro do Celtics exige, primeiramente, um exame das trocas que modificaram completamente esse setor da equipe. Desembarcaram em Boston o armador Kyrie Irving e o ala Gordon Hayward, dois dos melhores jogadores da liga no momento, enquanto que deixaram a equipe o armador Isaiah Thomas, o ala-armador Avery Bradley e o ala Jae Crowder.

É inegável que a mudança traz muito mais qualidade para a equipe, principalmente se considerarmos que Thomas pode não ser mais o que era antes da lesão no quadril (talvez não imediatamente). O executivo da franquia, Danny Ainge, logo após a troca, afirmou que esse motivo pesou na hora de fazer o negócio.

Irving chega ao Celtics com a tarefa de ser o líder e principal jogador do time. Além disso, o armador será o grande rival da sua ex-equipe, o Cleveland Cavaliers, de ninguém menos que LeBron James, o que torna a sua transação uma das mais chocantes da história da NBA. Já Hayward vem de uma temporada excelente com o Utah Jazz e era pretendido por várias equipes ao redor da liga, mas a oportunidade de reencontrar o treinador Brad Stevens falou mais alto, já que trabalharam juntos na universidade.

É inevitável que as novidades deixem o torcedor em Boston muito otimista, porém, nem tudo são flores. Para reforçar o elenco em termos de qualidade, foi necessário abrir mão do que a equipe tinha de melhor na relação custo-benefício. Para absorver o contrato de Hayward, a franquia negociou Avery Bradley, um dos pilares do sistema de jogo implantado, com habilidades dos dois lados da quadra (claro, muito melhor defensivamente). Kelly Olynyk foi outro que precisou ser dispensando. E Jae Crowder, outro titular e especialista defensivo, foi incluído no pacote por Kyrie Irving.

Ainda assim, os movimentos foram satisfatórios e necessários para que a franquia desse o próximo passo.

Vale destacar que as soluções para as lacunas do time podem ser caseiras. Os jovens Jaylen Brown e Terry Rozier já comprovaram que possuem potencial e estão aguardando maior espaço na rotação. Agora, quem deve ter um papel muito maior na equipe é o ala-armador (armador de origem) Marcus Smart, que já se consolidou como um bom defensor na liga. Ressalte-se ainda que a franquia se reforçou no draft com a escolha de Jayson Tatum, um dos prospectos mais interessantes de sua classe.

O garrafão

Tal como na temporada passada, a ausência de um rim protector foi o principal problema, já que no ataque, as peças do elenco conseguiam contribuir de forma eficaz. Além disso, o Boston Celtics teve a quarta pior média de rebotes por partida dentre todas as equipes da liga. O principal reboteiro do time foi Al Horford, com apenas 6,8 rebotes apanhados por noite. A falta de um especialista defensivo na área pintada é um problema a ser resolvido.

Uma das apostas da franquia para tentar solucionar essa questão foi a aquisição de Aaron Baynes, que pelo menos no primeiro jogo da pré-temporada, diante do Philadelphia 76ers, cumpriu papel tático que há tempos não se via um jogador fazer em Boston, protegendo bem o garrafão. Pesa contra o pivô a sua média ruim de 0.4 de tocos na carreira.

Outro reforço pontual foi o ala-pivô Marcus Morris. Se por um lado a equipe deve sentir falta de Avery Bradley, do outro chega um jogador que tem muita energia e pode arremessar de média e longa distância. Além disso, deve contribuir muito defensivamente. Definitivamente, com a chegada de Morris, o torcedor do Celtics não sentirá falta de Amir Johnson.

Quando o assunto é garrafão, impossível não mencionar o principal nome que a equipe tem no setor: Al Horford. Além de ser um ótimo defensor (mas não um protetor de aro), o pivô é peça fundamental dentro do esquema adotado por Brad Stevens, especialmente no ataque. Em 2016-17, o jogador teve médias de 5.0 assistências por partida – a melhor da carreira.

Análise geral

O Celtics foi um dos times que mais movimentou o mercado em 2017. O general manager da franquia, Danny Ainge, que estava fazendo um trabalho exemplar no processo de reconstrução da equipe, foi mais audacioso nesta offseason do que vinha sendo nos últimos anos. Agora, a franquia deixa de lado aquela impressão de um grupo emergente e vai ter que provar que está preparada para os desafios que estão por vir.

A expectativa é a melhor possível. Com o elenco mais talentoso dos últimos quatro anos, o time de Boston deve brigar pelo título da conferência Leste. Até a temporada passada, havia uma única estrela e um único scorer no elenco. Agora, com as aquisições de Irving e Hayward, o treinador Brad Stevens tem um repertório melhor para combater os rivais.

O small ball pode ser uma alternativa. Primeiro porque os dois jogadores mais altos do time são Horford e Baynes, que possuem apenas 2,08 de altura. Além disso, existem vários bons defensores de perímetro que podem entrar na rotação e ganhar minutos. Fora que Marcus Morris e o novato Jayson Tatum são jogadores versáteis, que podem desempenhar mais de uma função em quadra.

A equipe que jogará em 2017-18 é altamente qualificada. Al Horford e Gordon Hayward têm tudo para ser o complemento ideal para o jogo de Kyrie Irving, pois são bons passadores e possuem técnica diferenciada. Fechando o quinteto inicial, Marcus Morris será o jogador versátil que pode fazer mais de uma função dentro de quadra e, no perímetro, a solução deve ser caseira: Marcus Smart ou Jaylen Brown. Todavia, é sempre bom relembrar que a torcida precisará de paciência no início. Todo time que passa por uma grande reformulação requer tempo para adaptação.

Previsão: segundo lugar na conferência Leste

  • Fernando Henrique

    Versatilidade é a palavra que melhor define o time do Celtics. São inúmeras possibilidades de formação, função dos jogadores e esquemas que Brad Stevens pode usar
    Pode até acabar em primeiro no Leste, como aconteceu no ano passado, beirando 60 vitórias. Se isso acontecer, belisca uns dois jogos nas finais contra o Cavs

  • Nilton Bitencourt

    Segundo pau a pau com os Cavs

  • Lucas Felipe Lopes Teixeira

    O time está com bons jogadores, mas na minha visão, fica pronto pra se consolidar na liga (título) em 2 ou 3 temporadas! Com a saídas perdeu um ótimo e pronto esquema de jogo, Brad tem qualidade pra fazer um novo estilo de jogo muito mais forte aparecer em Boston.
    Aguardemos…

  • Julio Zago

    Penso que a expectativa seja grande de todos os torcedores da franquia, pois a equipe para essa temporada é das mais capacitadas dos últimos anos. É bem verdade que o Cavs ainda se mostra mais forte, mas também é inegável que a distância entre os times diminuiu, o que dá esperança de uma disputa mais acirrada pelo título da Conferência.
    Mas não é só isso, também existe uma expectativa em relação aos jovens jogadores do elenco, como será o desempenho de Tatum? Brown vai se consolidar essa temporada? Rozier? Enfim essas são questões essenciais ao futuro do time e também para o presente, é preciso que o banco de reservas produza bem para rivalizar com o Cavs e as demais forças da Conferência.
    Por fim, Ainge foi extremamente ousado nessa offseason, ele agiu corretamente? Em um primeiro momento tive minhas dúvidas, principalmente em relação a troca envolvendo Fultz, mas neste momento começo a crer na visão de nosso GM novamente.

  • Deichmann

    Sou do seguinte pensamento, o time desse ano está mais forte? Sim, mas n muito. Achei a movimentação pra trazer o Irving precipitada. Se tivessem ficado quietinhos, Irving sairia do cavs por um pacote de jujubas ou jogaria a temporada insatisfeito e racharia o time, enquanto os c’s continuariam com um time forte, mais homogêneo e teria o principal rival enfraquecido e desmotivado

    • Marcinho Mueller

      Irving ia pra outro time e a gente ia perder a oportunidade de ter o mais promissor PG da NBA, e que em 2 anos vai brigar pelo posto de melhor PG com o Lillard. Fora que Irving vem pra brigar por MVP. Foi arriscado? Foi sim, mas uma hora Ainge ia ter que agir, ou ia juntar um monte de picks, bons prospectos e ia ficar nessa até quando? Igual o 76ers, que tem vários jogadores promissores, mas não sabe o que fazer com eles.

      • Deichmann

        então, aí temos os dois lados da moeda, pensando a médio prazo, ótimo. Irving vai evoluir, IT ia pedir o máx pra renovar e etc. oq eu digo é que se não tivesse ocorrido a troca, eu apostaria no celtics na final com o GSW ja nesse ano. Aí se pensarmos em um fracasso esse ano do Cavs, Lebron possivelmente sairia e o time se desmontaria. Com essa troca conseguiram no Zizic uma bela moeda, crowder com salário pequeno, pick alta de um draft que tende a ser muito bom e provavelmente conseguem manter o LBJ.

        • Marcinho Mueller

          Ahhhh nem nas minhas melhores projeções eu apostaria nos Celtics na final antes do Irving. Pra falar bem a verdade, tava achando até que o Wizards vinha melhor que a gente antes do Irving. Fora que o time ia se desfazer ano que vem do mesmo jeito, com Bradley e IT virando FA, ia ter que pagar dois contratos máximos, por dois jogadores muito bons, mas velhos que não tem o potencial pra mudar a franquia de patamar como o Irving tem. De tudo que mandaram pro Cavs, só o Zizic mesmo que eu acho que foi uma perda. Crowder é um bom role player com um contrato bom, mas da pra substituir fácil, pra falar a verdade já até foi substituído. A pick, eu acho que vai fica perto da #10, não vamos perder um jogador tão impactante assim no draft, e o IT é uma incógnita. Fez uma temporada MUITO boa, mas não vejo ele se mantendo como um franchise player por muito tempo.

          • André Passamani

            Na verdade eu acho que a grande diferença nessa troca mesmo foi a pick do draft, e pelo andar da carruagem é bem provável que a pick do Lakers vai ser melhor que dos Nets, então ponto para o Ainge.

          • #Banner18

            Mas a escolha só vai ser nossa se ficar entre a 2ª e a 4ª pick, né? Se não a do Sacramento sem proteção no ano seguinte… Prefiro Michael Porter/Marvin Bagley/DeAndre Ayton/Luka Doncic já no próximo ano mas se não drt a gente pega Rowan Barrett depois rsrrsrsrs

    • Michel Moral

      Em termos de qualidade técnica e individual, a equipe melhorou muito. Irving e Hayward são upgrades em relação a Thomas e Bradley. Fora que o Morris tem muito mais encaixe no time do que tinha o Amir Johnson.

      Acredito que Brown e Smart darão conta da rotação de perímetro, agora sem o Crowder.

      Taticamente é que nós vamos ver o que vai acontecer. O time estava encaixado, todo mundo sabendo o que precisava ser feito. Porém, o treinador é muito bom.

      Difícil seria você tirar qualidade do elenco, não o contrário.

      • Marcinho Mueller

        Esse talento todo ai na mão do Brad Stevens vai da muito bom. Só de ver os jogos da pré-temporada e ver o time jogando certinho, poucas falhas na defesa, e até a “terceira unidade” jogando entrosada. O que mais me doeu mesmo foi perder o Bradley. Já pensou Irving-Bradley-Hayward-Morris-AH?

        • Michel Moral

          Exato. Acho até que Ainge teria revisto o negócio se soubesse que Kyrie viria para Boston.

          Mas sem trocar Bradley, Morris também não teria vindo. Claro que prefiro o Bradley, mas ainda ficaria uma lacuna na 4.

          • Marcinho Mueller

            E Hayward não vinha também por causa do CAP. Não tinha como mesmo. Mas hipoteticamente falando, dava até pra jogar com o AH na 4 e Baynes de titular.

      • Deichmann

        Melhorou bastante, claro. Mas perdeu a profundidade do banco e os dois pilares defensivos do time mas ganharam um PG que pelo menos tem corpo pra marcar (pobre IT). Porém como expliquei no comentário abaixo, acredito que Irving saindo por jujubas ou jogando insatisfeito seria a chance perfeita do C’s ja ir a final esse ano, e possivelmente encerraria a dinastia LBJ no cavs. Seria possivelmente o favorito do leste por alguns anos

        • Michel Moral

          Eu acho também que o Celtics pagou caro. Aliás, com certeza pagou.

          Mas todo mundo sabia que a mina estava lá, né? Dificilmente você conseguiria trazer um superstar por jujubas, mesmo em último ano de contrato.

  • Marcinho Mueller

    Mesmo o Morris sendo o irmão ruim, to muito ansioso pra ver ele no encaixe desse time. Foi uma contratação pontual e ele tem tudo pra marcar o Lebron na final de conferência, tão chamando ele de “Lebron Stopper” já.
    Essa offseason foi muito boa pro Celtics, e parece que deu tudo certo, até chegar o Irving, eu tava meio receoso, achei que IT-Brown-Hayward-Crowder-AH não ia dar muita liga. E preferia muito mais que Ainge trouxesse PG do que Hayward. Mas depois de Irving que caiu como uma luva nesse time, essa offseason foi perfeita. Irving-Brown-Hayward-Morris-AH tem tudo pra dar certo com cada um completando as deficiências do outro. O banco é jovem, porém a molecada aparenta vim com tudo essa temporada, além de ser um dos bancos versáteis da liga. Foram as melhores contratações possíveis e pontuais. Esse time tem tudo pra dar certo, e por muito tempo. To muito confiante que vamos pra final, eu acho que esse time é melhor que o Cavs no papel, tem gente que não acha, isso é discutível, porém esse time tem um encaixe bom pra times como o Cavs.

  • Pedro

    Acho que entre Cavs e Celtics, o time que se adaptar a nova formação primeiro, leva a primeira colocação da conferência na temporada regular. Nos playoffs o favoritismo é todo dos Cavs;

  • Maurilei Teodoro

    Eu quero é uma final de Conferência Cavs x Celtics de 7 jogos !!! Bucks e Sixers evoluindo e tal

  • Rdrigo Cruz

    Não sei se teremos time pra bater Cleveland, mas o upgrade foi grande.
    Acredito numa eventual final de conferencia muito disputada!

    Primeiro, tem de encaixar. O talento está ai (na quadra e na beira), mas não me surpreenderia ver o time demorando a engrenar!

  • Rafael Victor

    Contrataram o Hayward, adquiriram o Irving, mas se desfizeram dos principais jogadores de defesa (só ficou o Smart), que era muito boa, porém nunca foi suficiente pra bater o Cavaliers!

    Irving pode meter 50 pts por jogo, mas sem uma defesa eficiente, vão continuar sendo saco de pancadas do time de Cleveland!

    • Samuel Muniz

      Como se a defesa dos Cavalinhos fosse algo q preste..

    • Marcinho Mueller

      E o cavs com IT-Wade-Crowder-Lebron-Love? Vai ter uma avenida ai, Irving vai marca 70 pontos hahahaha fora que marca IT é mais fácil do que marcar Irving. Morris é um ótimo marcador e um dos jogadores que melhor marca o Lebron na atualidade, Smart não preciso nem falar, Hayward marca bem, Al Horford da um baile no Love como Pivô, Irving com certeza vai marcar mais aprendendo com Brad Stevens, fora que a segunda unidade conta com ótimo marcadores. O foco do time mudou, ano passado a principal característica do time era a marcação, esse ano Boston vai se destacar ofensivamente, não precisa priorizar a marcação. Cavs pode ter o Lebron pra desequilibrar, mas esse ano vai ser MUITO mais difícil ganhar do Boston, isso se ganhar. Pois o time foi feito pra jogar contra o Cavs.

  • rafael machado

    Eu penso que essa equipe vai explodir mesmo é na temporada 18/19, Além de maior entrosamento, os bons jovens do elenco estarão melhor desenvolvidos e Boston vai ter a chance de reunir as peças que faltam mediante contratos mínimos para veteranos. A base é muito boa, armação ótima e a ala é bem completa. O time peca mesmo é pelos pivôs.

    Será que um Thiago Splitter não cairia bem nesse elenco??

    • Derielsen Brandao Santana

      Não…

    • Marcinho Mueller

      Cara, eu to assistindo o jogo aqui, e parece que o problema dos pivôs por hora foi resolvido no Celtics, o sistema de jogo proposto pelo Brad Stevens não comporta um pivô que não seja ágil e versátil, por isso o Al Horford cai como uma luva nesse time. E o Baynes é muito bom jogador, ta jogando bem, pega seus rebotes, e contra times com pivôs dominantes ele vai fazer seu papel muito bem. PF é o que mais tem nesse time, tanto pra formações Big Man, quanto pra Small Ball. Morris tem tudo pra se firmar nessa temporada e perder essa fama de “irmão ruim”, acho que junto com o Horford tem tudo pra formar uma dupla de garrafão muito boa. Acho que só se for chegar um jogador muito bom mesmo pra mexer nesse elenco. Splitter além de não ser o tipo de pivô bom pra esse sistema de jogo, não é mais o mesmo daquela época dos Spurs.

  • Bruno Macedo

    Celtics sem dúvidas melhorou o time, o time do cavs pelo fator LeBron é melhor sim, mas ter um técnico igual o Stevens é pra poucos, jovens com potencial grande pra evoluir e ne uma dessas virar all-star, Celtics melhorou muito pra mim banco ainda é fraco, mas como o técnico sabe montar boas rotações o time vai se segurar bem nesse ponto.
    Vejo o Celtics mais próximo do cavs nessa temporada talvez conseguindo ganhar a provável final, mas como são times mudados so na temporada vamo ver como vai se desenrolar a temporada e pro Celtics ganhar uma provável final tem que tentar ser seed1 pra ter vantagem de jogar em casa.

    • Marcinho Mueller

      Eu não acho o banco fraco, eu acho o banco imaturo, essa molecada ai vai surpreender muita gente. Rozier e Smart evoluíram muito desde a última temporada, Tatum todo mundo já viu que o moleque tem potencial e personalidade, só precisa ganha um pouco mais de corpo, Baynes é um ótimo pivô, PF é o que mais tem no elenco Yabusele, Theis, Ojeleye todos fizeram bons jogos na pré-temporada e são bastante versáteis. É um dos bancos mais versáteis na NBA, além de a garotada ser atlética e querer mostrar serviço. Acho que a gente tem tudo pra firmar bons roles players nessa temporada.

      • Bruno Macedo

        Banco do Celtics pra mim não evoluiu nada do ano passado pra cá, até piorou ao meu ver, jerebico, green, olinyk eram jogadores com experiência mesmo defendendo mal sabiam o que fazer já estavam prontos pra desempenhar o que era pedido pelo técnico, fora questão bolas de 3 que esses jogadores acertavam bastante e agora com Tatum e esses PFs ai não vai ser a grande virtude deles.
        E olinyk é muito bom jogador sabe fazer de tudo em quadra, gostei muito da contratação de Miami e ele tem tudo pra se firmar no time é quem sabe ser titular esse ano mesmo sendo difícil porque Miami ama o small-ball.
        E deu liga parece ele e Tyler, Josh e Winslow vindo do banco.

        • Marcinho Mueller

          É o que eu falei, falta experiência pro banco? Sim, mas qualidade o banco tem. Com Baynes, Morris, Tatum jogando as vezes de PF, você fala de Olynyk? Acho que eu e 90% dos torcedores do celtics não vamos ter saudade dele, mesma coisa o Jerebko, dos que você falou, o Green até podia fazer alguma coisa, e quase fechou com os Celtics de novo, mas acabou fechando com os Bucks. Acho que essa temporada, Smart e Rozier se consolidam bons role players, podendo no futuro serem até titulares em várias franquias, Tatum e Brown tem bola pra serem All Star no futuro. Theis fez bons jogos até aqui na pré-temporada, Ojeleye ta me cheirando Steal, só o Yabusele que eu esperava mais um pouco, ta meio gordo e tem tido um aproveitamento tanto em quadra quanto no perímetro muito abaixo do esperado pra uma pick #16 de uma classe de draft tão promissora, e que até agora tem sido decepcionante, acho que não se acostumou com a NBA ainda, deviam ter colocado essa molecada pra jogar ano passado mesmo, Yabusele, Zizic, Nader.

          • Bruno Macedo

            Pra mim esses jogadores tirando smart e baynes que são jogadores regulares os outros são tudo incógnitas ainda é cedo pra falar o que vão render nessa temporada por isso falo que o banco é fraco e com pouca experiência.

          • Calma lá. Olynyk é um ÓTIMO scorer, e se encaixava perfeitamente no esquema do Stevens (Além de ser o menos pior reboteiro da equipe). NUNCA que 90% dos celtas não vão sentir sua falta.

            Olynyk vai fazer bons números no Heat. Viva e verá!
            Além disso o banco perde o Smart, que vai virar titular.

            Jerebko e Green não farão falta alguma.

            No fim, acho esse banco atual mais versátil e com mais defesa no garrafão, mas ainda muito cru.

            No fim das contas, acho que inicialmente vai ser um banco pior que o anterior, mas que tem potencial para até o fim da temporada ser um banco melhor, com o crescimento dos garotos, como Brown, Tatum, Rozier e Theis.

  • Marcelo Desoxi

    Tô achando que vão beliscar esse ano, e tomar uma sapatada pra qualquer um que vier da outra conferência.
    O time com Bradley ficaria muito animal :
    Kyrie Irving – Avery Bradley – Gordon Hayward – Marcus Morris – Al Horford

    • Marcinho Mueller

      Nem me fala, toda vez que vejo Bradley com a camiseta do Detroit, me vem esse pensamento, mas com Brown e Smart a gente ta bem servido também.

      • Marcelo Desoxi

        Sou torcedor do Detroit hihihi