Previsão da temporada – Brooklyn Nets

Brooklyn Nets

Campanha em 2015-16: 21-61, 14° na conferência Leste
Playoffs: não se classificou
Técnico: Kenny Atkinson (primeira temporada)
GM: Sean Marks (segunda temporada)
Destaques: Brook Lopez e Jeremy Lin
Time-base: Jeremy Lin – Randy Foye – Rondae Hollis-Jefferson – Trevor Booker – Brook Lopez

Elenco

7- Jeremy Lin, armador
21- Greivis Vasquez, armador
7- Jorge Gutiérrez, armador
15- Isaiah Whitehead, armador
10- Yogi Ferrell, armador
44- Bojan Bogdanovic, ala-armador
22- Caris LeVert, ala-armador
6- Sean Kilpatrick, ala-armador
22- Joe Harris, ala-armador
9- Beau Beech, ala-armador
24- Rondae Hollis-Jefferson, ala
34- Chase Budinger, ala
35- Trevor Booker, ala-pivô
13- Anthony Bennett, ala-pivô
1- Chris McCullough, ala-pivô
4- Luis Scola, ala-pivô
11- Brook Lopez, pivô
41- Justin Hamilton, pivô
55- Egidijus Mockevičius, pivô

Quem chegou: Caris LeVert (draft), Isaiah Whitehead (draft), Beau Beech, Anthony Bennett, Trevor Booker, Yogi Ferrell, Randy Foye, Justin Hamilton, Joe Harris, Jeremy Lin, Egidijus Mockevicius, Luis Scola, Greivis Vasquez.
Quem saiu: Markel Brown, Wayne Ellington, Jarret Jack, Sergey Karasev, Shane Larkin, Willie Reed, Thomas Robinson, Henry Sims, Donald Sloan, Thaddeus Young

O Brooklyn Nets, que há poucos anos cogitava brigar pelo título da NBA, após a chegada do russo Mikhail Prokhorov, caiu em desgraça por conta de negociações frustradas e descabidas, e formou grupos cada vez mais fracos. As diversas lesões e resultados negativos levaram a direção a mudar o comando da franquia. A troca de Billy King por Sean Marks foi o primeiro passo.

Em uma semana, Marks mandou embora os veteranos Andrea Bargnani e Joe Johnson, já que a equipe não pretendia contar com eles para os próximos anos e pretendia abrir mais espaço em sua folha salarial, o que de fato aconteceu. Mas quem se interessa em jogar pelo Nets de hoje? Bem abaixo do teto, o time montou um grupo pra lá de questionável.

No entanto, a evolução da equipe está “travada” até a temporada que vem, quando novamente terá de ceder sua escolha de primeira rodada do draft para o Boston Celtics. Até lá, haja sofrimento.

O perímetro

Jeremy Lin

Os armadores de Brooklyn serão comandados por Jeremy Lin, grande aposta da temporada. Após boas performances como sexto homem do Charlotte Hornets, Lin foi contratado para ser o dono da posição no Nets. Ao lado dele estará o experiente Randy Foye e o segundanista Rondae Hollis-Jefferson. O primeiro dividirá a armação das jogadas com Lin e será um dos chutadores da equipe. Já Hollis-Jefferson, que sofreu com lesões em sua temporada de estreia, é o ala defensor do time. Sem pressão imediata de vencer, a ideia é que o jogador continue se desenvolvendo.

No banco de reservas, Kenny Atkinson terá Bojan Bogdanovic. Após ótimas exibições com a camisa da Croácia, ele deverá ser o principal reserva do time e a esperança de pontos da segunda unidade do Nets. Existe a expectativa de que ele ganhe a titularidade no decorrer do ano.

Caris LeVert, se conseguir ficar saudável, pode ser um jogador fundamental para o futuro da equipe. O novato pode atuar nas posições 1, 2 e 3 devido a sua altura e ao seu arsenal ofensivo. Sean Kilpatrick teve um bom fim de temporada e espera-se que mantenha o nível para 2016-2017 com o seu ótimo arremesso de longa distância.
Para a reserva da armação, Atkinson terá a experiência de Greivis Vasquez e a juventude de Isaiah Whitehead.

O garrafão

https://www.youtube.com/watch?v=e0isV4CGXFM

A área pintada segue sob os cuidados de Brook Lopez. Com o garrafão quase inteiro reformulado, o pivô deve continuar sendo o cara da franquia. Sozinho, Lopez não vai levar o Nets a lugar nenhum. Foram 73 jogos na última temporada com 20,6 pontos por jogo e quase oito rebotes. Bons números, mas que precisam de auxílio. Auxílio que será dado por Trevor Booker, novo ala-pivô titular. Vindo do Utah Jazz, Booker traz o atleticismo e a defesa essencial para uma parceria com Brook Lopez. Municiados por Lin ou Vasquez, os dois podem dar trabalhos aos garrafões adversários.

Quem também chegou foi Anthony Bennett, primeira escolha do draft de 2013. Se tem um time na NBA com chances de dar a Bennett uma última chance, é o Nets. O ala-pivô ainda (será que um dia vai?) não provou sua capacidade na liga e está agora em sua quarta equipe em quatro anos.

Caso haja necessidade, o Nets tem opções não lapidadas, mas mais defensivas. Justin Hamilton e Chris McCullough precisam de tempo e treinamento para terem bons minutos na rotação. Luis Scola fecha as posições com sua experiência. Não fica claro se o argentino terá muito tempo de quadra ao lado de Lopez devido a sua defesa, logo, seu tempo de jogo deve ser limitado.

Análise Geral

Nets

A temporada da franquia depende muito do rendimento da dupla Linsanity-Lopez. Se a dupla conseguir ficar bastante tempo em quadra e rendendo, os jovens jogadores devem os acompanhar e conseguir algumas vitórias não programadas. Acredite, isso será raridade esse ano. Caso contrário, essa deverá ser mais uma temporada perdida e utilizada para arrumar a casa.

Não adianta dizer que o Nets vai tankar (perder de propósito), pois não é verdade. O time é apenas péssimo. Nada além. Sem direito a qualquer tipo de comemoração, música de introdução na apresentação dos jogadores, ou qualquer coisa do tipo. Será um verdadeiro saco de pancadas. O Philadelphia 76ers da vez.

De bom, é observar Hollis-Jefferson e Caris LeVert.

Previsão: 15° da conferência Leste