Previsão da temporada – Dallas Mavericks

Dallas Mavericks

Campanha em 2016-17: 33-49, 11º colocado na conferência Oeste
Playoffs: não se classificou
Técnico: Rick Carlisle (décima temporada)
GM: Donnie Nelson (16ª temporada)
Destaques: Dirk Nowitzki, Harrison Barnes e Seth Curry
Time-base: Dennis Smith Jr. – Seth Curry – Wesley Matthews – Harrison Barnes – Dirk Nowitzki

Elenco

1-Dennis Smith Jr., armador
5- J.J Barea, armador
30- Seth Curry, armador
11- Yogi Ferrell, armador
35- PJ Dozier, armador
18- Maalik Wayns, armador
8- Gian Clavell, armador
34- Devin Harris, ala-armador
23- Wesley Matthews, ala-armador
6- Jonathan Motley, ala
40- Harrison Barnes, ala
10- Dorian Finney-Smith, ala
41- Dirk Nowitzki, ala-pivô
7-Dwight Powell, ala-pivô
13- Josh McRoberts, ala-pivô
42- Maxi Kleber, ala-pivô
21- Brandon Ashley, ala-pivô
50- Salah Mejri, pivô
3- Nerlens Noel, pivô
17- Jeff Withey, pivô

Quem chegou: Brandon Ashley, Maxi Kleber, Josh McRoberts, Maalik Wayns, Jeff Withey, Gian Clavell, PJ Dozier, Jonathan Motley e Dennis Smith Jr. (Draft).

Quem saiu: Nicolas Brussino, AJ Hammons, DeAndre Liggins e Jarrod Uthoff.

Revisão

Sempre é esperado que o Dallas Mavericks, por mais remendado e desfalcado que esteja, chegue aos playoffs, ou perto disso. No entanto, Dirk Nowitzki sofreu para se manter saudável e aí não teve Rick Carlisle que fizesse a equipe render o suficiente. A temporada acabou sendo um grande experimento para o futuro, e ainda rendeu uma escolha de loteria no Draft.

O questionável movimento de pagar um contrato máximo a Harrison Barnes foi esquecido. O ala foi a principal arma ofensiva do Mavs atuando nas posições 3 e 4, o que levou Dirk a jogar muitas vezes como pivô. Mesmo com a chegada de Nerlens Noel, o esquema foi mantido e o ex-jogador de Philadelphia ficou no banco.

Outra boa notícia foi a chegada de Yogi Ferrell e Seth Curry. A dupla de armadores ajudou a espaçar a quadra, e ambos tiveram um ótimo aproveitamento de longa distância. Se não fossem pelas lesões de JJ Barea, a rotação poderia ser mais efetiva e Dallas conseguiria terminar algumas posições acima.

Ainda que fossem parte importante da rotação, Deron Williams e Andrew Bogut não estavam interessados no caminho que a franquia tomava e acabaram dispensados. Assim sobraram espaços para as peças mais jovens, como Dorian Finney-Smith, que se consolidou como um bom role player.

O perímetro

O torcedor verá algumas mudanças em quadra. Para começar Dennis Smith Jr. será o armador titular. O escolhido no draft se destacou na Summer League e agrada muito comissão técnica e direção. Ao lado dele deve ficar Seth Curry. O irmão mais novo do MVP vem de uma excelente temporada pela equipe e conquistou papel importante na rotação.

Yogi Ferrell, surpresa da última campanha, vai para o banco de reservas ser sombra de Smith Jr. JJ Barea e Devin Harris serão os outros suplentes. A dupla veterana terá o desafio de permanecer saudável e servir como mentor dos mais jovens.

Na ala, Wesley Matthews assumirá o papel que foi de Harrison Barnes (agora ala-pivô). Após uma temporada abaixo do esperado, Matthews tentará dar a volta por cima atuando em uma nova posição. Apesar de ser pequeno (1,96m), o small ball adotado por Rick Carlisle deve o beneficiar ao menos de um lado da quadra. Dorian Finney-Smith, mais alto (2,03m) e forte, é uma alternativa para marcar adversários mais agressivos.

O garrafão

A “área pintada” será dividida por Dirk Nowitzki e Harrison Barnes. Obviamente nenhum dos dois vão ficar muito tempo no próprio garrafão. O jogo será muito mais fluído e espaçado. Barnes já mostrou um arsenal ofensivo capaz de incomodar qualquer defensor, o problema será manter a consistência.

Nowitzki jogando como pivô, rodeado por arremessadores, ajudará muito o ataque texano, mas, na defesa é que está o problema. O Mavericks foi o pior time em rebotes na última temporada e isso pode se repetir. Para isso, Nerlens Noel, jogando por um contrato lucrativo na próxima offseason, é a esperança de uma proteção melhor no garrafão. O jogador sairá do banco de reservas até segunda ordem, mas deve ter muitos minutos dentro de quadra.

O restante dos jogadores não inspira confiança e não deve atuar com regularidade. Salah Mejri teve bons momentos recentes, mas ele, Jeff Withey e Josh McRoberts apenas jogarão com frequência em caso de lesões.

Análise Geral

O Dallas Mavericks será um time ousado nesta temporada. Um armador novato muito explosivo acompanhado de arremessadores, Dirk Nowitzki e Harrison Barnes, deve ser o suficiente para ganhar alguns jogos. Porém, a defesa estará exposta com certa constância. Em uma conferência Oeste disputada, a falta de consistência nos dois lados da quadra tornará as coisas mais difíceis. Rick Carlisle terá muito trabalho pela frente.

Na última temporada, o Mavs teve o pior ataque da liga. Espera-se que Dennis Smith Jr. consiga dar a dinâmica necessária ao lado de Seth Curry e Yogi Ferrell para revitalizar a franquia. Barnes, em um sistema mais rápido e atuando contra jogadores maiores e mais lentos como ala-pivô, deve melhorar suas estatísticas. A regularidade é que ditará se a equipe conseguirá incomodar ou não.

Nowitzki está indo para sua vigésima temporada na NBA. O alemão, ainda que com 39 anos e em uma posição diferente, será um dos principais nomes de Dallas. Sua despedida das quadras ou não, ele continuará dando tudo de si pela franquia. Fica aqui nossa torcida para que o agora pivô consiga pontuar. Sexto maior cestinha da liga com 30.260 pontos, Nowitzki precisa de 1.159 nessa campanha para superar Wilt Chamberlain, quinto colocado.

Previsão: 14° da conferência Oeste