Previsão da temporada – Indiana Pacers

Indiana Pacers

Campanha em 2016-17: 42-40, 7° na conferência Leste
Playoffs: eliminado na primeira rodada para o Cleveland Cavaliers, em quatro jogos
Técnico: Nate McMillan (segunda temporada)
GM: Chad Buchanan (primeira temporada na equipe)
Destaque: Myles Turner
Time-base: Darren Collison – Victor Oladipo – Bojan Bogdanovic – Thaddeus Young – Myles Turner

Elenco

2- Darren Collison, armador
6- Corey Joseph, armador
4- Victor Oladipo, ala-armador
3-  Joe Young, ala-armador
1- Lance Stephenson, ala-armador
5- Edmond Summer, ala-armador
10- Trey McKinney-Jones, ala-armador
44- Bojan Bogdanovic, ala
40 – Glenn Robinson III, ala
26- Ben Moore, ala
12- Damien Wilkins, ala
20- DeQuan Jones, ala
21 – Thaddeus Young, ala-pivô
11- Domantas Sabonis, ala-pivô
19- Jarrod Uthoff, ala-pivô
22- T.J.Leaf, ala-pivô
0- Alex Poythress, ala-pivô
33- Myles Turner, pivô
7- Al Jefferson, pivô
13- Ike Anigbogu, pivô

Quem chegou: Bojan Bogdanovic, Darren Collison, DeQuan Jones, Corey Joseph, Trey McKinney-Jones, Ben Moore, Victor Oladipo, Alex Poythress, Domantas Sabonis, Edmond Summer, Damien Wilkins, Ike Anigbogu (Draft) e T.J. Leaf (Draft).

Quem saiu: Lavoy Allen, Aaron Brooks, Rakeem Christmas, Monta Ellis, Paul George, C.J. Miles, Georges Niang, Jeff Teague e Kevin Seraphin.

Revisão

Mais uma temporada inconstante em Indiana. A péssima campanha não é culpa de Paul George, mas não podemos isentá-lo disso. As diversas reclamações do ala e avisos de que deixaria a equipe em um futuro breve impulsionaram as más atuações e acentuaram a falta de química no vestiário.

Recuperado de uma terrível lesão, George começou a temporada muito bem e deu expectativas à franquia, que apostava tudo nele. Isso até as ações ofensivas do Pacers ficarem previsíveis, pois tudo acabava nas mãos do jogador. A falta de qualidade e entrosamento no elenco pesou, e melhoras só foram sentidas quando Lance Stephenson acertou retorno à Indiana perto dos playoffs.

Ainda assim, o Pacers não foi páreo para o Cleveland Cavaliers e acabou eliminado em quatro jogos, o que resultou em um processo de reconstrução muito questionado. Após receber inúmeras boas ofertas, que qualificariam a equipe a voltar a ser competitiva em dois ou três anos, a direção optou por mandar Paul George para o Oklahoma City Thunder em troca de Victor Oladipo e Domantas Sabonis.

O perímetro

Os nomes de Darren Collison, Victor Oladipo, Corey Joseph e Lance Stephenson como peças principais do perímetro da equipe não empolgam. O conforto é saber que o Pacers tem sua escolha no próximo Draft, o que pode render um bom reinício ao time.

Collison é um veterano provado e decente, mas em uma liga cheia de grandes armadores, não será o suficiente para chegar na pós-temporada. Seu reserva, Corey Joseph, acabou o ano em alta no Toronto Raptors, mas longe do organizado elenco canadense, fica a dúvida se Joseph renderá ou não.

Victor Oladipo é uma verdadeira incógnita. Após um começo de carreira promissor, e uma última temporada apagada na sombra de Russell Westbrook, o ala-armador tentará reviver os bons momentos de Orlando Magic. Oladipo terá liberdade total para atacar e pode acabar como o cestinha da equipe. Outro que busca uma revitalização é Lance Stephenson. Ele viveu seus melhores momentos com a camisa do Pacers e, sem Paul George, deve ter mais responsabilidades este ano.

A ala, a princípio, terá Bojan Bogdanovic como titular. O croata é um ótimo pontuador e será um bom mentor para o reserva Glenn Robinson III. A dupla deve dominar os minutos da posição e, eventualmente, dividi-los com TJ Leaf, novato ala-pivô de origem, que vem sendo muito elogiado pelo técnico Nate McMillan.

O garrafão

O jovem Myles Turner será a principal “estrela” em Indiana. No seu terceiro ano na liga, Turner assumirá as atenções no garrafão e, com seu atleticismo e capacidade de espaçar a quadra para converter arremessos de longa distância, será o foco ofensivo da equipe.

Ao lado dele, Thaddeus Young terá mais uma temporada como titular na posição 4. Com uma player option em seu contrato para o ano que vem, Young deve optar por sair do atual e tentar um salário mais lucrativo na próxima temporada. O ala-pivô tentando provar que merece mais dinheiro poderá ser algo positivo para o ano do Pacers.

Al Jefferson, mais um próximo de encerrar o contrato (este com uma team option para o ano seguinte), começará como o principal reserva para o garrafão. Indo para seu décimo quarto ano na liga, o pivô terá papel fundamental também fora das quadras. Além de Myles Turner, Domantas Sabonis e TJ Leaf são outros jovens que ouvirão os conselhos de Jefferson para irem ganhando espaço na rotação ao longo da temporada.

Análise geral

Ninguém ficou satisfeito da forma como a última temporada terminou em Indiana e mudanças foram feitas. Com um perímetro inteiro novo, e a evolução de Myles Turner no garrafão, este deve ser um ano de evolução das jovens peças da equipe.

Tudo é possível em uma enfraquecida conferência Leste, mas o rendimento do Pacers depende de tantas incógnitas, que é impossível garantir o time nos playoffs. Nate McMillan vem sendo questionado pela imprensa norte-americana e pode terminar o ano desempregado.

Uma grande surpresa seria a equipe ser regular e se classificar. São tantas variáveis, tantos possíveis erros e acertos que é possível ver o Pacers terminar o ano na pós-temporada, brigando por uma vaga, ou com a pior campanha da NBA. O elenco é novo e recheado de jogadores sem experiência. Resta saber se Myles Turner terá a temporada de all-star esperada pela franquia e se o resto do time acompanhará o pivô.

Previsão: 11º colocado na conferência Leste

  • Leo Matos

    Turner é um dos meus favoritos para MIP.

  • Felipe D.

    E pensar que apostei na 4º colocação pra eles na last season. Uma pena mesmo, encaixou quase nada.