Previsão da temporada – Minnesota Timberwolves

Minnesota Timberwolves

Campanha em 2014-1516-66, 15º colocado na conferência Oeste
Playoffs: não se classificou
TécnicoSam Mitchell (primeira temporada)
GMMilt Newton (segunda temporada)
DestaquesAndrew Wiggins, Zach Lavine e Karl-Anthony-Towns
Time-baseRicky Rubio – Zach Lavine – Andrew Wiggins – Kevin Garnett – Karl Anthony-Towns

Elenco

9-Ricky Rubio, armador
24-Andre Miller, armador
1-Tyus Jones, armador
7-Lorenzo Brown, armador
8-Zach Lavine, ala-armador
23-Kevin Martin, ala-armador
15-Shabazz Muhammad, ala-armador
22-Andrew Wiggins, ala
12-Tayshaun Prince, ala
10-Damjan Rudez, ala
21-Kevin Garnett, ala-pivô
88-Nemanja Bjelica, ala-pivô
33-Adreian Payne, ala-pivô
32-Karl Anthony-Towns, pivô
5-Gorgui Dieng, pivô
14-Nikola Pekovic, pivô

Quem chegou: Karl Anthony-Towns (draft), Nemanja Bjelica, Damjan Rudez, Tayshaun Prince, Andre Miller e Tyus Jones (draft)
Quem saiu: Gary Neal e Anthony Bennett

Revisão

Com a saída de Kevin Love, o Timberwolves esqueceu de vez o plano de montar um “time de playoffs” e resolveu começar do zero. Na última temporada, lesões apareceram na equipe e, como de costume, Ricky Rubio e Nikola Pekovic atuaram muito pouco. O plano traçado foi dar tempo de quadra aos jovens do elenco e começar um reconstrução. E nada melhor do que conseguir a primeira escolha do próximo draft depois de tomar essa decisão.

E foi o que aconteceu. Os jovens, como Andrew Wiggins e Zach Lavine, corresponderam e tiveram boas atuações em seus primeiros anos na NBA e a equipe teve a pior campanha de 2014-15. Karl Anthony-Towns e Tyus Jones chegaram do último recrutamento, reforçando o elenco para que o projeto continue.

Um fato marcante foi o retorno de Kevin Garnett, maior jogador da história da equipe. O ala-pivô voltou para casa, depois de passagens por Boston Celtics, onde foi campeão em 2008 e Brooklyn Nets. E por falar em ala-pivô, Anthony Bennett decepcionou mais uma vez e, assim como no Cleveland Cavaliers, não conseguiu jogar. Foi dispensado e assinou com o Toronto Raptors.

O perímetro

Ricky Rubio será o armador titular, desde que as lesões não o atrapalhem mais uma vez. O espanhol tem uma ótima visão de quadra, apesar de arremessar muito mal, e conta com a confiança da diretoria, que acredita que um jogador com suas características é perfeito para comandar as ações de uma equipe como o Wolves. O veteraníssimo Andre Miller chegou à equipe para dar o toque de experiência necessário no setor e deve servir como armador reserva ao lado de Tyus Jones.

Apesar de mais experiente, Kevin Martin pode ir para o banco de reservas para dar lugar a Zach Lavine. O jovem teve uma temporada de estreia sólida e faz parte do projeto da equipe, diferente de Martin, que pode até ser trocado durante a temporada, inclusive. Shabazz Muhammad também ganhou bons minutos na última temporada e não comprometeu. Terá espaço na equipe, atuando nas posições 2 e 3.

Andrew Wiggins será o titular na ala e não se pode descartar uma temporada com ótimos números já em seu segundo ano de NBA. Como novato, o jovem não se escondeu e, depois de um tempo de adaptação, conseguiu atuar bem e com regularidade, obtendo média de 16.9 pontos na campanha. É a principal peça do elenco atualmente. O veterano Tayshaun Prince deve ser a principal opção do banco para o setor.

O garrafão

A disputa por minutos no garrafão do Wolves promete ser muito acirrada. Para a posição 4, Kevin Garnett deve iniciar as partidas, mas isso não significa que outros jogadores terão pouco tempo de quadra. O ala-pivô já está com 39 anos e não passa dos 20 minutos em quadra. Adreian Payne e Nemanja Bjelica devem ganhar oportunidades, além de Towns, que também pode atuar na posição.

Pekovic é o pivô mais experiente da equipe, entretanto, não deve ser o titular, pelo menos no início. Primeiro porque está lesionado, algo que já se tornou normal. Segundo, Gorgui Dieng vem fazendo um bom trabalho na equipe, é bom nos rebotes e defende melhor do que Pekovic, o que, convenhamos, não é algo muito difícil. Além dele, Karl Towns tem um potencial gigante e deve receber muitas chances já na primeira temporada. O jogador vem atuando bem na pré-temporada e também foi sólido nas ligas de verão.

Análise geral

Mais uma vez, o projeto do Wolves será jogar para desenvolver os jovens do elenco. Esses jogadores precisam de tempo para adquirir experiência e temporadas sem perspectiva de classificação aos playoffs são necessárias. Não tem como os prospectos atuarem como all-stars desde o primeiro ano. O time está focado no futuro.

Interessante mesmo é a presença do trio de veteranos composto por Garnett, Miller e Prince. Nenhum dos três está ali para ter uma grande contribuição em quadra, por mais que ainda consigam ajudar. A principal função dos três será a de mentor para os mais novos. Além da experiência adquirida em quadra, os jovens terão apoio dos veteranos para uma maior facilidade na adaptação.

O Wolves segue com o plano. É muito improvável que exista a possibilidade de playoffs e esse nem é o objetivo do time. Também não significa que a campanha será tão ruim quanto a última. As principais peças da equipe terão tempo para mostrarem que podem fazer parte do elenco futuramente, aprenderão muitas coisas com os veteranos e, o mais importante: parecem ter muito talento. A franquia caminha para um futuro promissor e, para chegar lá, é necessário tempo.

Previsão: 13º colocado na conferência Oeste

 

  • Matheus Oliveira

    Eu só queria levantar uma questão.. Até quando esse time ficará em formação ? Quando poderemos falar “Esse time vingou sendo construído a partir do draft” “Esse time não vingou”?

    • Caseh

      Pois é, espero chegar esse dia, também.

    • Rodrigo Santos

      11 temporadas sem Offs…

    • Fernando

      Na verdade, desde a saída de Garnett o Wolves já teve pelo
      menos duas reconstruções fracassadas. A primeira era baseada nos jogadores que
      conseguiu na troca com Boston, e já estava condenada desde o início, pelo baixo
      nível de tais jogadores. Essa reconstrução durou até 2010 quando trocou Al
      Jefferson com Utah. A partir daí iniciaram uma nova reconstrução, a qual tinha
      como objetivo montar um time ao redor de Kevin Love. Aqui o fracasso foi
      resultante de más escolhas em drafts tomadas pelo seu GM à época (David Kahn).
      Exemplos: Jonny Flynn (com Curry disponível), Wesley Johnson (com Cousins
      disponível) e Derick Willians (essa era uma classe fraca). Esta tentativa durou
      até a troca de Love com Cleveland, a qual marca o início da reconstrução atual,
      a qual é a mais promissora, pois já possui dois jogadores com potencial de
      Franchise Player (Wiggins e Towns).

      • Al Jefferson não era um jogador que seria utilizado a longo prazo pela franquia, a sua troca foi ridicula, mas na contramão disso fez expandir o potencial de Kevin Love e eu também não diria que existiu um time em torno dele após isso. Talvez com Adelman ele tenha se beneficiado porque houve alguém que soube explorar seus talentos (Pekovic idem), a minha discordância para isso é porque Love esteve tão ausente neste período e a equipe continuava perdendo com ou sem ele não é clara uma dependência, em 13/14 sim, você tem um jogador que carrega seu time a brigar pelos playoffs sendo um dos mais eficientes da NBA.

        • Fernando

          Nos dois primeiros anos pós troca do Garnett, Minnesota
          apostava muito em jogadores como Foye, Mike Miller e, principalmente, Al Jefferson. Então a franquia concluiu que o time que estava montando não iria à lugar algum e que a dupla Love-Jefferson não encaixaria, e decidiu recomeçar
          novamente. Neste momento Jefferson deixou de estar em seus planos de longo prazo. Em relação ao Love, citei seu papel central em relação
          a montagem do time e não necessariamente dentro da quadra.

    • São dois ciclos bem distintos Matheus, quando você olha a gerência do David Kahn é uma ruptura total com toda a cultura que o Minnesota construiu desde a sua fundação em 1989. Ele considerava o time atrasado, lento e pesado. Investiu nisso, hoje sabemos que deu errado que os jogadores que ele selecionou não vigaram, mas as caracteristicas dos atletas apontavam o caminho e o perfil dos treinadores também.

      Quando a gente olha pra era “Saunders & Newton” é um retorno ao ‘velho Wolves’ de Garnett no auge e o grande mérito é ter feito a transição em 1 ano meio no máximo. Veja as peças que Minnesota tem hoje: Wiggins, Towns, Dieng, Tayshaun Prince e isso significa apenas uma palavra – DEFESA… É outra ruptura total com que foi feito de 2008-até 2013. As pessoas colocaram essa pencha em cima do rebuild porque naquele contexto era inovador apostar naquele tipo de jogador (Oklahoma é o exemplo de sucesso, Wolves é o fracasso).

  • Harry Potter

    o eterno time do futuro

    • Caseh

      Exato, o 76ers do Oeste

      • Rodrigo Oliveira

        76 está há dois anos atrás para ser um time do futuro não tem nem armador direito

  • Time jovem e muito interessante, Towns fez boa pre-season, Wiggins oscilou um pouco mais tem tudo pra liderar essa equipe e o LaVine é um jogador que adiciona muita energia e velocidade, falta rodagem ao time, mas creio que em uns 3 anos eles poderão brigar mais acima, porém eu não ficaria surpreso com uma boa colocação já nessa temporada, falta mais comando a equipe, eu não conheço o Mitchell e não sei como é a forma dele trabalhar, mas essa molecada deve jogar sem muita responsabilidade e visando se entrosar cada vez mais nessa temporada…11º a 13º…

    • Matheus Oliveira

      Na próxima temporada, os caras já devem ser cobrados na moral.
      Ainda mais com alguns veteranos no time, tem que dar direção para o Wolves..
      Tendo Wiggins, Cidades, LaVine no mesmo time..

      • Sim Matheus, e ainda mais se eles pegarem mais uma escolha alta de draft pra 2016…aí não vai ter jeito de não jogar pra valer o time vai estar um pouco mais maduro…

  • Olavo #RipCity #Emerging

    Então, ao que parece, o Jumper tem o Blazers como o último do Oeste? ZZZZzzzzzzZZZZZ

    • Luiz Henrique Santos

      Não sei o Jumper, mas para mim o Blazão deve estar na disputa pela 8º vaga no Oeste (que sempre é bem disputada).

  • Lucas Ramos

    Eu acredito em 8° lugar

  • vitorhugoj3

    Não sei, mas seu eu fosse GM do Wolves, tentaria trocar os veteranos da equipe (Rubio, Martin, Pekovic…) pra tentar dar total espaço/liberdade pros jovens jogadores do time. As vezes penso que principalmente K. Martin poça atrapalhar no desenvolvimento de caras como LaVine, Wiggins… Tentaria montar algo como:
    C – Tows
    PF – Payne
    SF – Muhammad
    SG – Wiggins
    PG – LaVine

    Esses caras que citei (Rubio, Martin, Pekovic…), ainda possuem valor na liga. Poderiam conseguir algumas picks de primeira roda, etc…

    • Renato

      Um time só de jovens não vinga, precisa da experiência dos veteranos, tudo bem que alguns jogadores podem ser negociados como Pekovic e Martin, que são posições onde o Wolves tá bem servido, mas Rubio, Prince e Garnett dão um equilíbrio a essa equipe, e digo mais se a escolha draft fosse deles nessa temporada já fariam off, mas como se for acima do TOP 12 passa para o Celtics, é provável outro Tank, e estão certos.

      • vitorhugoj3

        Sim, até concordo em manter Garnett, Prince. Mas Rubio e principalmente K. Martin e Pekovic tentaria dar um jeito de trocar. E em relação ao próximo Draft, penso que eles devem conseguir ao menos um pick Top 7-10. Ainda é um time em formação. Com tudo ocorrendo conforme o esperado, devem começar a jogar bem mesmo daqui a umas 2-3 temporadas…

        • Rodrigo Oliveira

          Para trocar teria que ter alguém interessado e que possa enviar algo de valor certo? Ou só se desfazer dos caras a troco de nada?

          • vitorhugoj3

            Sim, tem que ter alguém interessado. Mas se determinada franquia quiser trocar um jogador, e claro, se o contrato do mesmo não tiver nenhuma cláusula, é só coloca-lo a disposição na trade deadline. E foi o que disse, peças como Pekovic, Martin, Rubio, poderiam render bons valores ao Wolves.

    • Rodrigo Oliveira

      NBA não é vídeo game, se fizer isso vai ser 80 derrotas e nenhum jogador satisfeito, só trocaria o Peck mesmo, Lavine não é armador, com isso prejudicaria o desenvolvimento do restante do time. Martin se aceitar seria excelente comandando o banco junto com o Miller.

      • vitorhugoj3

        Realmente NBA não é video game rs. Mas creio que como o próprio técnico do Wolves disse ( http://jumperbrasil.lancenet.com.br/2015/10/09/lavine-supera-kevin-martin-e-ganha-titularidade-do-timberwolves/ ), a preocupação do elenco, agora, deve ser com o plano de reconstrução e desenvolvimento de seus jogadores. Claro, ninguém iria gostar de ter 80 derrotas em uma temporada. Mas penso que, derrotas, ainda não é a principal preocupação do T-Wolves. Geralmente equipes que estão em reconstrução, tem um número elevado de derrotas, e conseguem picks altas nos drafts. Acredito ser esse o “plano” do Timberwolves. É um projeto sendo efetuado a longo prazo. Pelo menos por enquanto, ainda não há uma preocupação/pressão com a campanha da equipe. É por isso que penso que seria interessante trocar Martin, Pekovic, talvez Rubio. Com isso poderia dar um espaço maior aos jovens jogadores, e assim ajuda-los a se adaptarem melhor na liga. Sobre o LaVine. Sim, em UCLA ele jogava como SG, mas na temporada passada, por ter um corpo franzino pra posição na NBA (189 lbs), e também pela ausência de Rubio em grande parte dos jogos, o mesmo jogou como armador. Inclusive foi muito bem. Fechou o mês de Abril com médias de +6.0 assistências por jogo. Creio que não seria um problema deixa-lo como o PG da equipe. Russell Wesbrook, por exemplo, hoje um dos grandes armadores da liga, também era um SG no College. Mas por conta da transição pra NBA, começou a jogar como armador…

  • RennanLAL

    Wolves tem 2 first pick no time, tem tudo pra crescer no futuro. E nesse processo tem que pegar mais um bom draft pra arrumar um terceiro elemento pro Towns/Wiggins. Quem sabe um Skal ou Simmons nesse time, ficaria uma base muito foda!

    • Victor Chittolina

      Velho, eu acho que principalmente se vier o Simmons, há uma boa possibilidade de começar uma dinastia do Wolves em uns 5 anos.

      • RennanLAL

        Sim, se os 3 chegassem no patamar esperado, seria sensacional. O time seria atlético demais.

  • Zack Batista

    Time talentoso e “acima de tudo”, jovem. E, por conta desse último, eu cravo: vai ser mais uma vez saco de pancadas na temporada. Necessário para o amadurecimento, claro.

  • Penisvaldo

    Pekovic seria uma boa pra uma equipe que precisa de pontuar no garrafão, o problema dele e a defesa. Ele jogando ao lado de um ala pivô que saiba defender ele e muito útil. Talvez o vindo do banco no time do pelicans, que tem o Davis

  • Thiago Legori

    Deve ser mais uma temporada sem offs, mas esse time é promissor e pode render bons frutos já na temporada 16/17

  • É um time do futuro, fato, mas isso é muito perigoso, porque não há garantias de que o planejamento dará certo.

    Mesmo que todos esses jovens se desenvolvam, em 5 anos ainda teremos KD, Griffin, AD, Cousins e vários outros craques, possivelmente em elencos mais fortalecidos.

    Acho reconstruções baseadas totalmente em drafts muito perigosas e não lembro de nenhuma que tenha dado em título.

    • Eduardo Schaustz

      GSW esse ano ou Spurs(de smp)…

      • Verdade, apesar do GSW ter o Bogut e o Iguodala como figuras fundamentais.

  • Cean Costa

    Esse time ai vai ser a sensação da temporada ao lado do Kings, tem peças boas em todos os pontos da quadra, Bjelica é um caminhão, joga bem e faz tudo vai depender de como vai encaixar na nba, Dieng é um diamante bruto que vai evoluindo aos poucos, realmente é um time do futuro, infelizmente o Flip nao vai acompanhar esse projeto dele

  • Eu gostei da projeção do meu time, não ficou otimista demais e nem substimou o potencial da equipa (como o Adérito diria). Tenho especulado que o Wolves vai ter o ápice técnico enquanto grupo por 2016/2017, este time precisa visitar a loteria mais uma vez antes de apanhar um pouco nos playoffs pra maturar. Na projeção de um draft é difícil pensar com o elenco já bem definido só restaria a posição 2 ou talvez o melhor talento disponível é muito complicado porque o Draft 2016 é forte em PF’s / C’s.

    Dessa temporada eu quero ver Wiggins como manipulador da jogadas, já que ele parece bem subestimado enquanto passador e evoluiu bem no Catch and Shot sendo opção interessante do perímetro. Bjelica me fez esquecer que Budinger algum dia vestiu a camisa do MN e se Sam Mitchell parar de negar a realidade (ele esconde da NBA inteira uma das duplas mais promissoras do post baixo) o garrafão precisa terminar a temporada com: Karl Anthony-Towns & Gorgui Dieng.

  • Elinho

    R.I.P. Coach Saunders!

  • jc

    Muito talento na equipe, mas que ainda precisa amadurecer. Ainda precisa de peças pro perímetro, principalmente, mas ta no caminho…daqui a uns 2 anos acho que poderemos ver o Wolves novamente nos playoffs.

    P.S: Wiggins esse ano vai estourar nesse time.

  • Renan Domok

    Pekovic vai ser a primeira troca do ano e ele vai para o Mavs. Vai ser bom para todo mundo. Podem anotar.