Previsão: Denver Nuggets (2º) x (7º) San Antonio Spurs

Denver Nuggets (2º) x (7º) San Antonio Spurs

 

Como foi o confronto na temporada regular?

26/12 – Spurs 111 x 103 Nuggets
28/12 – Nuggets 102 x 99 Spurs
04/03 – Spurs 104 x 103 Nuggets
03/04 – Nuggets 113 x 85 Spurs

Datas do confronto

13/04: Spurs x Nuggets – 23h30 (em Denver)
16/04: Spurs x Nuggets – 22h (em Denver)
18/04: Nuggets x Spurs – 22h (em San Antonio)
20/04: Nuggets x Spurs – 18h30 (em San Antonio)
23/04: Spurs x Nuggets – Horário a ser definido (em Denver)*
25/04: Nuggets x Spurs – Horário a ser definido (em San Antonio)*
27/04: Spurs x Nuggets – Horário a ser definido (em Denver)*

* Se necessário

Denver Nuggets (54-28)

Time-base: Jamal Murray, Gary Harris, Will Barton, Paul Millsap, Nikola Jokic

Principais reservas: Mason Plumlee, Malik Beasley, Monte Morris, Torrey Craig

Técnico: Michael Malone

San Antonio Spurs (48-34)

Time-base: Bryn Forbes, Derrick White, DeMar DeRozan, LaMarcus Aldridge, Jakob Poeltl

Principais reservas: Rudy Gay, Marco Belinelli, Patrick Mills, Davis Bertans

Técnico: Gregg Popovich

Análise do confronto

Nuggets e Spurs prometem fazer a série mais “caseira” dos playoffs: tratam-se dos dois times com maior diferença de net rating (o saldo de pontos por 100 posses de bola) quando analisa-se o desempenho em casa e como visitante. As duas equipes também se assemelham por terem figurado entre os 10 ataques mais eficientes, embora joguem em dois dos ritmos mais lentos da liga.

Uma diferença entre ambos é o momento. O time de Denver venceu 12 de 21 jogos desde março e quase perdeu a segunda posição da conferência Oeste na reta final da campanha, enquanto os comandados de Gregg Popovich tiveram 14 vitórias das últimas 19 partidas. No entanto, nesse período, a melhor performance do pessoal do Colorado aconteceu exatamente no encontro com o Spurs.

Há boas razões, na verdade, para os torcedores dos dois lados estarem animados com esse confronto. Os texanos, provavelmente, apostam na clara vantagem em termos de experiência, técnico e momento para surpreender aqui. O Nuggets, no entanto, parece contar com vantagens, digamos, mais sólidas e tangíveis.

Para começar, o Spurs não tem respostas para Nikola Jokic – e esse é um enorme problema, visto que é a grande referência técnica do adversário. O craque obteve médias de 17.0 pontos, 8.5 rebotes, 8.5 assistências e mais de 69% de conversão nos arremessos de quadra nos quatro jogos contra o Spurs nesta temporada. Ele tem sido especialmente destrutivo como passador e no post up.

A rotação de garrafão formada por LaMarcus Aldridge, Jakob Poeltl e Davis Bertans sempre vai ser um “cobertor curto” para a combinação de visão de quadra, passe, técnica no post e jogo de perímetro do jovem pivô. Para piorar, caso mantenha a tendência de iniciar os jogos com dois desses atletas juntos (Poeltl e Aldridge), Popovich facilitará o trabalho de “esconder” Jokic defensivamente.

Dobrar a marcação seria uma reação óbvia na tentativa de tirar a bola das mãos de Jokic, mas ele vai encontrar os arremessadores livres na linha de três pontos – que colocam pressão na defesa de perímetro pelo dinamismo e movimentação em torno do pivô. E, por sinal, o segundo colocado do Oeste acertou mais de 40% dos 132 tiros de longa distância tentados nos quatro jogos contra o Spurs.

É muito claro que, se atletas como Jamal Murray e Will Barton estiverem acertando seus arremessos de longa distância, o Spurs não terá respostas defensivas para o espaçamento do Nuggets e a versatilidade de Jokic. A série pode acabar ali.  

Mas as dificuldades defensivas e decisões complexas não estão somente do lado de San Antonio. DeMar DeRozan tornou-se um dos grandes playmakers de sua posição sob o comando de Popovich e o Nuggets ainda não parece ter encontrado a melhor forma de marcá-lo com seu elenco. O ala-armador está passando e pontuando com alta eficiência contra Denver nesta temporada: médias de 20.0 pontos, 5.0 rebotes e 6.2 assistências, além de 55% de acerto nos arremessos de quadra.

O perímetro titular do Nuggets não tem um atleta defensivo com a combinação de estatura e força para fazer-lhe frente. Will Barton não é o homem ideal para isso e, como ficou provado em outras partidas entre as equipes, Torrey Craig também não foi eficiente o bastante. É possível que Trey Lyles possa fazê-lo, mas compromete o espaçamento ofensivo em torno de Jokic – e Popovich, então, teria alguém para dobrar a marcação em Jokic sem maiores problemas.

Por outro lado, a outra válvula do ataque do Spurs não deverá ser um dilema dos mais graves. O Nuggets possui uma série de bons marcadores no post para atirar contra LaMarcus Aldridge e tentar neutralizar a jogada a que, geralmente, o time texano recorre quando tudo mais dá errado. Jokic, Millsap, Mason Plumlee e até Juancho Hernangomez são possíveis opções a serem estudadas por Malone.

É preciso falar sobre as duas equipes, mas nunca perca de vista a essência dessa discussão: são times que protegem seu mando de quadra. E, por mais que o Spurs seja mais experiente e viva melhor momento, o Nuggets terá um sétimo jogo em casa. E, claro, é o melhor entre os dois.

Palpite: Nuggets em sete.

Ricardo Stabolito Jr.
Ricardo Stabolito Jr.
Jornalista de 27 anos. Natural de São Bernardo do Campo, mas vive em Salvador há mais de uma década.