Previsão: Philadelphia 76ers (3°) x (6°) Brooklyn Nets

Philadelphia 76ers (3º) x (6º) Brooklyn Nets

Confrontos na temporada: Philadelphia 2 x 2 Brooklyn

04-11 – Sixers 97 x 122 Nets
25-11 – Sixers 127 x 125 Nets
12-12 – Nets 127 x 124 Sixers
28-03 – Nets 110 x 123 Sixers

Datas do confronto

13-04: Nets x Sixers – 15h30 (em Philadelphia)
15-04: Nets x Sixers – 21h (em Philadelphia) – com transmissão do Sportv 2
18-04: Sixers x Nets – 21h (em Nova York) – com transmissão da ESPN
20-04: Sixers x Nets – 22h30 (em Nova York)
23-04: Nets x Sixers – Horário a ser definido (em Philadelphia)*
25-04: Sixers x Nets – Horário a ser definido (em Nova York)*
27-04: Nets x Sixers – Horário a ser definido (em Philadelphia)*

* Se necessário

Horários de Brasília

Philadelphia 76ers (51-31)

Time-base: Ben Simmons (PG), JJ Redick (SG), Jimmy Butler (SF), Tobias Harris (PF), Joel Embiid (C)
Reservas com mais tempo de quadra: T.J. McConnell (PG), Mike Scott (PF), Jonathon Simmons (SG/SF), Boban Marjanovic (C), James Ennis (SF), Amir Johnson (C/PF)
Técnico: Brett Brown

Os anos em que o Philadelphia 76ers perdeu por querer finalmente trouxeram resultados importantes: Joel Embiid e Ben Simmons são hoje dois jogadores de elite na NBA. Durante a temporada, a diretoria ainda conseguiu angariar o ótimo Jimmy Butler, além de Tobias Harris, então destaque do Los Angeles Clippers. “Do nada”, o Sixers conta hoje com um dos mais talentosos quintetos de toda a liga. Nada mal para um time que, há pouco mais de um ano, lutava pelo oitavo lugar no Leste e, hoje, briga pelos primeiros postos da conferência.

Brett Brown faz o Sixers ser competitivo dos dois lados da quadra, especialmente depois das chegadas de Butler e Harris. Não que a equipe não fosse boa o suficiente antes, mas enquanto o ex-astro do Chicago Bulls e Minnesota Timberwolves é especialista em defesa, o segundo é aquele ala-pivô que espaça a quadra. Parecem ser as peças que faltavam para o time ir além nos playoffs.

O ala-armador JJ Redick, de 34 anos, sem qualquer alarde, obteve a melhor marca pessoal em pontos ao somar 18.1 por partida em 2018-19. Com quase 40% de aproveitamento nos tiros de longa distância, o veterano é letal também nos lances livres (89.4% de acertos).

Apesar de o quinteto inicial ser estrelado, o banco possui algumas boas opções, como T.J. McConnell, Mike Scott e Boban Marjanovic. Ex-Detroit Pistons, Greg Monroe fechou com o time já no fim da fase regular e pode ajudar, caso seja necessário.

Brooklyn Nets (42-40)

Time-base: D’Angelo Russell (PG), Joe Harris (SG), DeMarre Carroll (SF), Rodions Kurucs (PF), Jarrett Allen (C)
Reservas com mais tempo de quadra: Spencer Dinwiddie (PG/SG), Rondae Hollis-Jefferson (PF), Ed Davis (C), Caris LeVert (SG/SF), Shabazz Napier (PG)
Lesionado: Allen Crabbe (SG)
Técnico: Kenny Atkinson

Fora dos playoffs desde 2014-15, quando o time contava ainda com Deron Williams, Joe Johnson e Brook Lopez, o Nets é uma equipe completamente diferente e rejuvenescida. Tudo começa pelo armador D’Angelo Russell, estreante no Jogo das Estrelas deste ano. O ex-jogador do Los Angeles Lakers provou em 2018-19 ser capaz de liderar um elenco e o fez ao ponto de chegar nos mata-matas. Méritos de Russell, mas também da direção, que fez trabalho impecável nos últimos anos sem ter escolhas de loteria durante o processo.

O bom início de Caris LeVert foi brecado com menos de um mês de temporada. LeVert, que até lesionar-se gravemente produzia 18.3 pontos, 4.2 rebotes, 3.7 assistências, conseguiu retornar às quadras em fevereiro. Claro que não no mesmo nível, mas LeVert, vindo do banco, pode contribuir na série. O problema agora é a competição por tempo de quadra. Até o polivalente Rondae Hollis-Jefferson perdeu não só minutos, mas também jogos por opção técnica. Tudo porque o calouro Rodions Kurucs pintou como opção enquanto LeVert se recuperava. No entanto, para DeMarre Carroll e Spencer Dinwiddie, tempo não falta. Os dois, que saíram do banco durante quase toda a fase regular, são peças fundamentais no esquema do técnico Kenny Atkinson.

Joe Harris, vencedor do Torneio de Três Pontos do Jogo das Estrelas, liderou a NBA com impressionantes 47.4% de aproveitamento. Já o pivô Jarrett Allen, que completará apenas 21 anos nos próximos dias, comanda o garrafão com quase 60% de acerto nos arremessos, além de 8.4 rebotes em cerca de 26 minutos.

Análise do confronto

O Sixers teve muitos problemas com o Nets durante a temporada regular, quando Kurucs foi o responsável pela marcação em cima de Simmons, enquanto Russell pegou Butler. Até aí, tudo bem. Mas quando o time de Nova York precisou cuidar de Embiid, aí a coisa foi definida. Nos quatro confrontos, o pivô obteve média de 30 pontos, não dando a menor chance para Ed Davis e Allen.

O Nets foi o segundo time que mais utilizou a defesa em zona em 2018-19, perdendo apenas para o Miami Heat, com cerca de dez porcento das posses de bola. Entretanto, o artifício não caiu bem diante do Sixers no jogo do dia 28 de março, quando a equipe de Philadelphia obteve 12 pontos em seis posses.

Existem dúvidas se Embiid estará pronto para encarar o Nets neste sábado. Lesionado, o pivô não entraria em quadra caso fosse na fase regular. Como agora vale passagem para a semifinal do Leste, as chances aumentam. Sem ele em 2018-19, o Sixers venceu somente oito de 18 jogos.

De quinteto para quinteto, o do Sixers tem mais nome, mas tem mais basquete também. Claro que a presença do Nets é uma grata surpresa pela forma que o time se montou ao longo dos últimos anos, mas é isso aí. A tendência é que a equipe de Philadelphia passe com alguma tranquilidade.

Palpite: Philadelphia 76ers 4 x 1 Brooklyn Nets

Gustavo Freitas
Gustavo Freitas
Mineiro de Uberaba, é co-fundador do Jumper Brasil e fã do Boston Red Sox.