Aos 35 anos, Pablo Prigioni foi protagonista de um fato curioso nesta temporada ao se tornar o novato mais velho da história moderna da NBA. No entanto, o argentino ainda não se sabe se sua “aventura tardia” no New York Knicks terá um segundo capítulo. Em declaração ao jornal New York Post, o armador disse que ainda não pretende se aposentar, mas deixou aberta a possibilidade de voltar para a Liga ACB (Campeonato Espanhol) no segundo semestre.

“Eu vou jogar por algum time no ano que vem. Onde, eu não sei. Pode ser que seja na NBA ou na liga espanhola”, contou Prigioni, que tem contrato com o Knicks apenas até o fim da atual campanha. Entre 1999 e 2012, ele atuou em equipes da Espanha e criou um forte laço com o basquete local.

O armador ainda revelou ao Post que teve a opção de assinar um vínculo mais longo com o Knicks, mas não o fez. “Eles perguntaram: ‘Você quer dois anos ou apenas um?’. Escolhi só um”, disse. Já pensando na eventual saída do veterano, o jornal noticia que o Knicks estaria estudando selecionar um substituto no próximo draft, quando deverão ter uma escolha no fim da primeira rodada.

Prigioni faz parte da rotação de armadores do Knicks ao lado de Jason Kidd e Raymond Felton, mas não foi utilizado em dois dos últimos três jogos da equipe. Em 54 partidas disputadas em sua temporada de estreia na NBA, o argentino acumula médias de 3.4 pontos, 2.9 assistências e pouco mais de 40% de aproveitamento nos arremessos de longa distância.

  • Michel Moral

    Acho ele o melhor quebra-galho da liga, considerando que ele é a terceira opção no banco de reservas. É experiente e não avacalha o time.

  • Vinicius Simões Bravo

    foi para a NBA apenas para ter a liga no Currículo. Definitivamente não precisava ir, se não quisesse.

  • Zack Batista

    Fenomenal armador! Com 35 anos, coloca muitos muleques no bolso ainda… Ainda tem mais um pouco de lenha para queimar, com certeza…

  • Caio Aded

    Quem vê os jogos do Knicks sabe q ele smp entra muito bem,tomara q continue!

  • Álvaro Reis

    Um dos poucos não-americanos que já tinha total respeito por todos nós conhecedores de basquete, antes de entrar na NBA.

  • JJúnior

    Poderia ser um bom reserva para algumas equipes. Como o Jazz e o Raptors.

  • Jorginho

    Mike Woodson está vacilando muito na rotação da equipe. Semana passada ele colocou em quadra o James White e não utilizou o P. Prigioni nem o K. Martin.