Prospecto do Draft 2015 – Willie Cauley-Stein

Willie Cauley-Stein

Idade: 21 anos
Universidade: 
Kentucky
Experiência: 
Junior
Posição: 
Pivô
Altura: 
7’0.25’’ (2.14m)

Médias na temporada 2014-15: 8.9 pontos, 6.4 rebotes, 1.0 assistência, 1.2 roubo de bola, 1.7 toco, 1.2 erros no ataque, 57.2% de aproveitamento nos arremessos de quadra, e 61.7% de acerto nos lances livres em 25.9 minutos em quadra.

Pontos fortes: Cauley-Stein combina tamanho e envergadura ideais para um pivô profissional com impressionante condição atlética, agilidade e fluidez se movendo pela quadra. Trata-se de um talento natural operando no pick and roll, com velocidade para superar pivôs mais pesados em curto espaço e que não tem dificuldades para segurar passes em movimento para finalizar. Melhorou sensivelmente seu arremesso na última temporada, passando a converter até chutes de média distância eventualmente. Excelente reboteiro ofensivo, ele usa sua impulsão, rápido segundo salto e agilidade para surpreender oponentes mais desleixados. Seu maior potencial, porém, está no lado defensivo da quadra: mais do que bloquear arremessos, ele exibe sólidos instintos na proteção do aro e na ajuda defensiva. Além disso, seus atributos físico-atléticos de elite fazem com que seja capaz de marcar qualquer posição – no garrafão ou no perímetro, do pivô mais alto ao armador mais rápido. Acumula três temporadas como uma peça importante da rotação de um dos programas universitários mais vitoriosos da atualidade.

Pontos fracos: é provável que precise de um trabalho físico especial para desenvolver o corpo e aguentar os pivôs mais fortes da NBA. Cauley-Stein é um jogador muito limitado com a bola nas mãos, com pouco refino técnico e instintos ruins criando oportunidades ofensivas para si próprio ou passando. Refletindo o pouco apurado trabalho de pernas, seu jogo de costas para a cesta é quase inexistente. Não soa confortável finalizando jogadas simples, como ganchos, encontrando problemas para estabelecer posição dentro da área pintada. Até pela função de proteger o aro e hábitos ruins (não bloquear adversários), suas médias de rebotes defensivos são mais baixas do que se espera de um prospecto com suas características. Seus números na NCAA, em geral, não são muito expressivos para alguém com sua cotação nas projeções de draft. Com foco oscilante e jogo ofensivo limitado, o ex-titular de Kentucky projeta ser bem mais um coadjuvante do que um talento para se construir uma equipe em torno.

Comparação: Tyson Chandler / DeAndre Jordan

Projeção: TOP 8

Confira alguns lances de Willie Cauley-Stein:

https://www.youtube.com/watch?v=2hOZzBsofrU

https://www.youtube.com/watch?v=VUvq0ehLtn8

Legenda

Junior – Terceiro ano universitário

Ricardo Stabolito Jr.
Ricardo Stabolito Jr.
Jornalista de 27 anos. Natural de São Bernardo do Campo, mas vive em Salvador há mais de uma década.
  • Andre Fagundes

    Se tivesse o mínimo de refinamento nos últimos 2 anos Kentucky teria um título da NCAA. Porque as duplas que ele formou tanto com Towns (2015), Randle (2014) e Noel (2013 – apesar da lesão) tinham muita energia, mas a parte técnica era questionavel.

    Esse cara seria ideal pro Wolves caso a equipe consiga outra escolha no TOP 10 ou pra uma equipe como o Denver que corre bastante e tem um Lawson no Pick and Roll.

  • TRUETHIAGO

    Defensivamente parece pronto, seja protegendo garrafao ou mesmo cobrindo perimetro quando for necessario — vide o “h2h” dele contra o Jerian Grant nas jogadas finais daquele emocionante jogo entre Kentucky x Notre Dame no Elite 8 do March Madness.

    Apesar da estatura tem uma movimentaçao e mobilidade muito boas realmente. Ja no ataque vai depender de atuar com um PG competente e que o ajude para poder ter alguma relevancia ofensiva.

  • Galvão – EL HEAT

    Te espero em MIAMI WCS!

    • zorg

      Seria o Birdman versão atualizado …

    • Nbarcelos

      Vcs não queriam o Frank Kaminsky?

    • pedrokadf

      Exato !!

  • Vinicius Simões Bravo

    Pode ser o grande Steal desse Draft.

  • Álvaro S.R.

    Para mim defensivamente ele está pronto para NBA, lógico que precisa de um aumento na musculatura para conseguir brigar no garrafão com caras mais fortes, mas nesse quesito está pronto, o seu grande problema é a parte ofensiva, na qual ainda precisa evoluir em todos os aspectos.