Prospecto do Draft 2016 – Isaia Cordinier

Isaia Cordinier

Idade: 19 anos
País: França
Time: Denain ASC Voltaire (FRA)
Posição: ala-armador
Altura: 6’5’’ (1.96m)

Médias no Europeu Sub-18 (2014): 9.7 pontos, 5.6 rebotes, 2.6 assistências, 1.0 roubo de bola, 0.8 toco, 2.1 erros de ataque, 52.5% de aproveitamento nos arremessos de quadra, 38.9% de conversão nas bolas de três pontos, 66.7% de conversão nos lances livres, 23.7 minutos em quadra

Médias na Liga Francesa (2015-16): 10.8 pontos, 3.6 rebotes, 2.0 assistências, 1.2 roubo de bola, 0.5 toco, 2.4 erros de ataque, 50.3% de aproveitamento nos arremessos de quadra, 40.4% de conversão nas bolas de três pontos, 77.9% de conversão nos lances livres, 23.4 minutos em quadra

Pontos fortes: uma das maiores revelações do basquete francês, Cordinier tem passagens pela seleção de base de seu país e já atua como titular no basquete profissional (segunda divisão da Liga Francesa) aos 19 anos. Selecionado para disputar o Nike Hoop Summit deste ano, o ala-armador chama a atenção pelos atributos atléticos (velocidade, explosão e impulsão saltam aos olhos). Utiliza muito bem sua agilidade para se desmarcar e receber a bola para enterrar. Tem um primeiro passo muito rápido, o que o torna uma ameaça em quadra aberta. Como arremessador, Cordinier mostrou evolução na última temporada (aproveitamento nas bolas de três pontos subiu de 25 para 40.4%). Sua mecânica de arremesso não é das mais fluidas, mas ele tem alcance e boa elevação. Efetivo não só nas situações de catch and shoot como também após o drible (vem utilizando cada vez mais os step backs). Cordinier também tem boa visão de quadra e sabe jogar de forma altruísta (talentoso passador quando opera em transição). Na defesa, o francês compete do início ao fim. Marcador implacável, ele é um verdadeiro ‘carrapato’. Sua especialidade é pressionar o adversário que está com a bola graças às mãos rápidas e à agilidade lateral acima da média. Cordinier ainda é elogiado pela ética de trabalho e pela dedicação nos treinos e jogos. Em suma, o ala-armador francês é um candidato em potencial a ser draftado, mas que deverá permanecer mais alguns anos no basquete europeu para amadurecer.

Pontos fracos: se por um lado seu atleticismo é elogiável, Cordinier ainda tem o corpo muito franzino para competir entre os profissionais, o que é natural pela questão da idade. Ganhar massa muscular é um aspecto que a maioria dos prospectos, principalmente os estrangeiros, precisa para poder atuar em bom nível na NBA. Por conta do corpo franzino, ele tem dificuldades para finalizar e marcar jogadores mais fortes. Cordinier ‘foge’ do contato quando ataca a cesta e tem problemas para conter adversários mais físicos. Sua capacidade como defensor é limitada justamente pela falta de força física. Além disso, o francês necessita de melhorar o controle de bola e a tomada de decisões. O fato de seu índice de desperdícios de bola ser maior que o de assistências comprova isso. Apesar da boa visão de quadra, Cordinier é afobado em vários momentos quando tem a bola nas mãos e tende a arriscar nos passes ao invés de fazer a jogada mais simples, o que é explicado pela imaturidade. O fato de ter atuado em um time da segunda divisão da França não inspira muita confiança. Soma-se a isso o fato de Cordinier ter disputado apenas nove jogos na seleção de base (perdeu o Europeu Sub-20 no ano passado conta de problemas no joelho). Seus maiores defeitos em quadra são causados fundamentalmente pela falta de experiência em um nível aceitável. Por conta disso, ele é considerado um projeto de médio e longo prazo. Cordinier é um atleta que precisa ser moldado, ganhar cancha e força física para ter condições de atuar na melhor liga de basquete do mundo.

Comparação: Tyler Johnson (Miami Heat)

Projeção: final da primeira ou início da segunda rodada

Confira alguns lances de Isaia Cordinier

Gustavo Lima
Gustavo Lima
Jornalista graduado pela UFMG e pós-graduado em Produção em Mídias Digitais pela PUC-MG. Natural de Ipatinga e residente em BH. Editor do Jumper Brasil desde 2007. Acompanha a NBA desde 1993. Torcedor do Phoenix Suns, mas adepto da imparcialidade.