Prospecto do Draft 2017 – Donovan Mitchell

Donovan Mitchell

Idade: 20 anos
País:
Estados Unidos
Universidade:
Louisville
Experiência:
Sophomore
Posição:
ala-armador
Altura:
6’3’’ (1.91m)

Médias na última temporada: 15.6 pontos, 4.9 rebotes, 2.7 assistências, 2.1 roubos de bola, 0.5 tocos, 1.6 erros de ataque, 40.8% de aproveitamento nos arremessos de quadra, 35.4% de acerto nos tiros de longa distância e 80.6% de conversão nos lances livres em 32.3 minutos de ação

Pontos fortes:

– Mitchell não é alto, mas compensa com ótimas envergadura (2.08m), condição atlética, explosão e físico (96 kg.) para atuar como ala-armador na NBA.

– Movimenta-se com coordenação e fluidez pela quadra. É uma ameaça saindo de bloqueios e faz estragos no jogo de transição, atacando em quadra aberta.

– Possui controle de bola avançado e trabalho de pés adequado, o que sugere que também será capaz de criar separação para defensores em nível profissional.

– Arremessador em franca evolução, que teve melhor aproveitamento da carreira nos tiros de longa distância na última temporada. Mecânica de arremesso rápida, com alto arco e eficiente nos lances livres, é promissora.

– Trata-se de um passador sólido em movimento que comete poucos desperdícios de posse. Mostra boa atenção ofensiva.

– Excelente e versátil defensor. Troca marcação, cobre espaço com seus atributos físicos e possui agilidade lateral para acompanhar armadores. Pressiona a bola, persegue adversários sem ela.

– Instintos defensivos e antecipação de elite. Protetor de aro excelente para posição em que joga e quebra linhas de passe com naturalidade (0.5 tocos e 2.1 roubos de bola por jogo na última temporada).

– É um sophomore jovem, com ética de trabalho dentro e fora de quadra exaltada. Oferece upside consideravelmente maior do que um típico prospecto de 20 anos.

Pontos fracos:

– Em termos de altura e alcance vertical, ele é um ala-armador preso no corpo de um armador de ofício.

– Mitchell, embora bastante atlético, não parece particularmente veloz ou ter uma disparada explosiva – o que limita sua utilização como armador.

– Visivelmente mais confortável operando com a mão direita. É seguro dizer que profissionais vão tirá-lo da zona de conforto forçando-o a usar a esquerda.

– Não parece ter potencial para ser um armador natural no lado ofensivo da quadra. Não apresenta uma noção avançada de leitura de defesas ou controle do ritmo de jogo. Parece acelerado em suas ações.

– Índices abaixo do esperado como finalizador em torno da cesta. Absorve contato, mas vai pouco à linha dos lances. Seu jogo se favoreceria muito com um floater.

– O arremesso de longa distância é algo consistente ou a última temporada foi um ponto fora da curva?

– Seleção de arremessos pode melhor bastante e ajuda a entender seu baixo índice de acerto nos arremessos de quadra. Tendência a tentar tiros muito contestado e deixa-se desequilibrar com facilidade.

– Consistência e atenção defensivas ainda podem melhorar. Comete faltas bobas e perde foco em momentos aleatórios.

Comparação: Avery Bradley (Boston Celtics) e E’Twaun Moore (Chicago Bulls)

Projeção: dezoito primeiras escolhas gerais

Confira alguns lances de Donovan Mitchell:

Legenda:
– Sophomore (segundo ano universitário)

Ricardo Stabolito Jr.
Ricardo Stabolito Jr.
Jornalista de 27 anos. Natural de São Bernardo do Campo, mas vive em Salvador há mais de uma década.
  • Leo Matos

    Pelo mock do Jumper cotado para ir ao Pistons, mesmo tendo o KCP, talvez possa ser interessante pro Pistons.