Prospecto do Draft 2017 – Josh Hart

Josh Hart

Idade: 22 anos
País: Estados Unidos
Universidade: Villanova
Experiência: Senior
Posições: ala-armador/ala
Altura: 6’6” (1.98m)

Médias na temporada 2016/17: 18.7 pontos, 6.4 rebotes, 2.9 assistências, 1.6 roubada de bola, 0.3 toco, 2.0 desperdícios de bola, 51.0% de aproveitamento nos arremessos de quadra, 40.4% de aproveitamento nas bolas de três pontos, 74.7% de aproveitamento nos lances livres, 33.2 minutos

Pontos fortes
– força física adequada para atuar nas posições 2 e 3 no nível profissional
– versatilidade ofensiva; cestinha da Big East, tem a capacidade de pontuar através de chutes do perímetro, jump shots de média distância e finalizações próximas à cesta (não foge do contato físico)
– arremessador confiável; melhorou seu aproveitamento nos chutes do perímetro e da média distância, tanto nas situações de catch and shoot quanto em movimento
– mecânica de arremesso elogiável (alcance ideal, a bola sai rapidamente de suas mãos)
– alto QI de basquete; se movimenta muito bem sem a bola, leitura de jogo avançada nos dois lados da quadra, passador confiável e disposto a fazer o passe extra (joga para o time)
– marcador implacável graças à combinação de força física e inteligência em quadra; joga sempre com muita disposição, eficiente na marcação sem a bola (excelente na antecipação de linhas de passe) e no um contra um (facilidade para pressionar e forçar erros do adversário)
– mentalidade vencedora; liderou Villanova ao título da NCAA, elogiável ética de trabalho, competidor disciplinado e que joga duro
– protótipo de role player 3 and D; aquele coadjuvante que contribui com bolas de três pontos e defesa
– chega à NBA pronto para contribuir de imediato

Pontos fracos
– não tem teto para evoluir como jogador
– atleticismo deixa a desejar e pode limitar seu jogo na NBA
– suscita dúvidas a respeito de sua capacidade ofensiva no nível profissional
– incapaz de criar separação para marcadores; vai se limitar a pontuar nas situações de catch and shoot?
– dificuldade para finalizar contra adversários mais altos devido à sua limitação atlética (agilidade e tamanho não impressionam, pouco explosivo)
– controle de bola apenas ok; perde a bola com facilidade quando é pressionado por um marcador mais ágil
– limitação como finalizador; quase sempre finaliza com a mão direita, não é veloz o bastante para mudar de direção quando ataca a cesta
– condição atlética impõe possíveis limitações à produção defensiva; será que vai dar conta de marcar alas ágeis e maiores?

Comparações: Danny Green (San Antonio Spurs) e Malcolm Brogdon (Milwaukee Bucks)

Projeção: selecionado entre as escolhas 27 e 40

Confira alguns lances de Josh Hart

Legenda
– Senior (quarto ano universitário)

Gustavo Lima
Gustavo Lima
Jornalista graduado pela UFMG e pós-graduado em Produção em Mídias Digitais pela PUC-MG. Natural de Ipatinga e residente em BH. Editor do Jumper Brasil desde 2007. Acompanha a NBA desde 1993. Torcedor do Phoenix Suns, mas adepto da imparcialidade.
  • felipe fernando Oliveira

    Tomara que não seja escolhido e venha para OKC fora do draft

  • Mavscelo

    Uma boa pro Spurs na pick 29.

  • Pedro

    Esse ponto fraco ficou estranho: “– não tem teto para evoluir como jogador”

    Mas acho que é um bom jogador que vai ter uma carreira longa na NBA, dentro do seu papel. Acho que pode ser uma boa aposta para os contenders, por ser um contrato barato para um jogador que vai espaçar a quadra, defender e que já tem certa experiencia.

  • ThiCavsFaria#DefendtheLand

    Vejo futuro no garoto, tem médias muito boas, dependendo da equipe que for draftado renderia bastante …