Prospecto do Draft 2017 – Markelle Fultz

Markelle Fultz

Idade: 18 anos
País: Estados Unidos
Universidade: Washington
Experiência: Freshman
Posição: armador/ala-armador
Altura: 6’4’’ (1,93m)

Médias na temporada 2016-17: 23.2 pontos, 5.7 rebotes, 5.9 assistências, 1.6 roubada de bola, 1.2 toco, 3.2 desperdícios de bola, 47.6% de aproveitamento nos arremessos de quadra, 41.3% de aproveitamento nas bolas de três pontos, 64.9% de aproveitamento nos lances livres, 35.7 minutos em quadra

Pontos fortes: na classe que é tida como a mais forte dos últimos anos, Fultz é a “cereja do bolo”. Considerado o prospecto mais talentoso de 2017, o armador não conseguir levar o seu (fraco) time ao March Madness, mas deixou a melhor das impressões durante a sua única temporada no basquete universitário. Fultz é um armador dotado de atributos físico-atléticos de elite – força física, altura e envergadura privilegiadas, excelente controle corporal, mãos grandes, encara sem problemas o jogo de contato quando parte em direção à cesta, explosão e impulsão de darem inveja. Capaz de jogar nas posições 1 e 2, com ou sem a bola nas mãos, ele é um pontuador versátil. Fultz combina eficiência nas infiltrações, pois absorve bem o contato e finaliza com as duas mãos, utiliza sua altura privilegiada para arremessar sobre o marcador adversário, na média distância, e tem um chute consistente da linha de três pontos. Ele ainda é capaz de imprimir diferentes velocidades quando ataca a cesta, utilizam bem os spin moves para finalizar e chama a atenção como driblador (excelente arremessador após o drible, especialmente na longa distância). Ou seja, ele pontua de todas as formas que você imaginar. Como criador de jogadas, Fultz é um passador acima da média e tem visão de jogo privilegiada. Apesar de ter sido um dos cestinhas da NCAA, na última temporada, ele não é um armador ‘fominha’. Fultz é eficiente operando no pick and roll, tem facilidade em passar a bola para o companheiro melhor colocado quando parte em direção à cesta e pode causar estragos com o espaçamento de quadra visto na NBA. Outra característica do armador que chama a atenção é o conjunto de ferramentas que ele possui para se tornar um defensor de primeira linha no basquete profissional. Fultz combina os já citados atributos físico-atléticos com instinto e leitura de jogo acima da média. Ele demonstrou eficácia cortando linhas de passe e bloqueando arremessos (suas médias em roubadas e tocos comprovam isso) e, quando focado, é um marcador implacável, daqueles que não desgrudam do adversário que está com a bola. Por conta de seu potencial defensivo, Fultz será capaz de marcar tanto os jogadores da posição 1 quanto os da posição 2 na NBA. Enfim, ele é um prospecto raro. Cestinha versátil, ótimo passador e potencial para se tornar um defensor de elite. É a combinação dos sonhos! Fultz tem as ferramentas necessárias para ser uma estrela na NBA. Vem aí mais um talento em uma posição já recheada de excelentes jogadores na liga. Fultz chega à NBA para causar estragos e marcar época!

Pontos fracos: mesmo com a pouca idade, Fultz tem poucas lacunas em seu jogo. Apesar do potencial de tornar-se um defensor de elite, ele mostrou lapsos na temporada pela falta de foco em quadra. Em alguns jogos, vimos que Fultz se perdeu na marcação justamente por deixar a desejar nos quesitos concentração e intensidade. Vale destacar, aqui, seus vacilos defensivos sem a bola. No basquete profissional, ele vai precisar estar mais ‘ligado’ em quadra para ser um defensor de alto nível. O armador também precisa melhorar a taxa de desperdícios de bola, ou seja, precisa ser mais eficiente na tomada de decisões. Boa parte de seus erros foram consequências de passes displicentes, telegrafados. Mais uma vez, o fator concentração entrou em cena. Além disso, sua mecânica de arremesso não é das mais confiáveis. Apesar do grande aproveitamento nos chutes de longa distância, ele deixou a desejar nos lances livres (64.9% de aproveitamento para um armador é preocupante). Sua seleção de arremessos também precisa melhorar, pois, na NCAA, ele adorava chutar mesmo quando era contestado. Obviamente, Fultz é muito novo e tem tempo para se aprimorar e se tornar um atleta de elite no basquete profissional. O potencial está lá. Fultz precisa trabalhar, especialmente, a questão da mentalidade em quadra. Focado, e sendo treinado por um bom técnico, ele tem tudo para se destacar na NBA.

Comparação: mix de Dwyane Wade (Chicago Bulls), Bradley Beal (Washington Wizards) e James Harden (Houston Rockets)

Projeção: primeira ou segunda escolha geral

Confira alguns lances de Markelle Fultz

 

Legenda
– Freshman (primeiro ano universitário)

Gustavo Lima
Gustavo Lima
Jornalista graduado pela UFMG e pós-graduado em Produção em Mídias Digitais pela PUC-MG. Natural de Ipatinga e residente em BH. Editor do Jumper Brasil desde 2007. Acompanha a NBA desde 1993. Torcedor do Phoenix Suns, mas adepto da imparcialidade.