Prospecto do Draft 2017 – T.J. Leaf

T.J. Leaf

Idade: 20 anos
País natal:
Estados Unidos
Universidade:
UCLA
Experiência:
freshman
Posição:
ala-pivô
Altura:
6’9.75’’ (2.07m)

Médias na última temporada: 16.3 pontos, 8.2 rebotes, 2.4 assistências, 0.6 roubos de bola, 1.1 tocos, 1.5 erros de ataque, 64.4% de aproveitamento nos arremessos de quadra, 46.6% de acerto nos tiros de longa distância e 67.9% de conversão nos lances livres em 29.9 minutos de ação

Pontos fortes:

– Leaf possui boa estatura e alcance vertical (standing reach) para atuar como ala-pivô no próximo nível.

– Não se trata de um atleta particularmente explosivo, mas é dono de agilidade e fluidez de movimentação acima da média para alguém de sua altura.

– É um finalizador eficiente em torno da cesta, com bons instintos em espaço curto e jogo de post up que dá sinais promissores.

– O arremesso é um de seus pontos mais fortes como prospecto: a mecânica tem baixo ponto de lançamento, mas é muito rápida e possui índice de acerto de elite. Ele projeta ser um ótimo espaçador na NBA.

– Grande reboteiro, cujos fundamentos e instintos (posicionamento, bloqueio sobre adversários) sobrepõem as limitadas ferramentas físico-atléticas.

– Leaf é um passador subestimado. Exibe boa qualidade de passe em movimento e proporção muito boa de assistências para erros de ataque para um ala-pivô.

– Tem severas limitações defensivas, mas mostra esforço e inteligência na tentativa de superá-las com uma compreensão sólida das movimentações e cobertura.

– Seu alcance vertical proporciona potencial como protetor de aro, contestando e bloqueando arremessos próximo da cesta.

– Não se apressa para tomar decisões. Sabe ter calma e segurança com a bola nas mãos, joga com ritmo e inteligência.

Pontos fracos:

– Sua envergadura (6’11’’) e explosão atlética são, no máximo, adequadas para um ala-pivô na NBA.

– Tem outro problema natural na falta de um físico mais desenvolvido. Ele é avesso ao jogo físico, o que resulta em dificuldades para finalizar em tráfego e baixa média de lances livres por jogo.  

– Não parece ter versatilidade para atuar na posição cinco, integrando formações mais baixas, no próximo nível.

– Leaf exibe decente potencial operando de costas para a cesta, mas é “sabotado” pela ausência de um trabalho de pernas mais refinado.

– Não é um versátil criador de jogadas para si mesmo. Embora tenha controle de bola adequado, não o utiliza com incisão e a maioria de suas cestas são assistenciadas.

– Quem Leaf será capaz de defender na NBA? Não possui físico ideal para marcar o garrafão e sua agilidade lateral é ruim para cobrir o perímetro.

– Cobre pouco espaço defensivamente, pela falta de força física e braços longos, o que limita sua cobertura em pick and rolls.

– Embora seja fácil enxergar sua função em potencial na NBA, não se trata de um prospecto que ofereça alto upside.

Comparação: Kevin Love (Cleveland Cavaliers) piorado

Projeção: de 14ª a 25ª escolha geral

Confira alguns lances de T.J. Leaf:

Legenda:
– Freshman (primeiro ano universitário)

Ricardo Stabolito Jr.
Ricardo Stabolito Jr.
Jornalista de 27 anos. Natural de São Bernardo do Campo, mas vive em Salvador há mais de uma década.