Prospecto do Draft 2017 – Thomas Bryant

Thomas Bryant

Idade: 19 anos
País natal:
Estados Unidos
Universidade:
Indiana
Experiência:
sophomore
Posição:
pivô
Altura:
6’10.75’’ (2.11m)

Médias na última temporada: 12.6 pontos, 6.6 rebotes, 1.5 assistências, 0.8 roubos de bola, 1.5 tocos, 2.3 erros de ataque, 51.9% de aproveitamento nos arremessos de quadra, 38.3% de acerto nos tiros de longa distância e 73% de conversão nos lances livres em 28.1 minutos de ação

Pontos fortes:

– Em termos físicos, Bryant é um legítimo pivô de ofício: possui corpo de 2.11m e 112.5 kg. combinados a 2.29m de envergadura.

– É mais veloz do que alguém do seu tamanho, conseguindo acompanhar contra-ataques e mostrando postura bastante participativa em quadra.

– Trata-se de um eficiente finalizador em torno da cesta, que compensa a falta de explosão aproveitando-se dos atributos físicos e fintas simples.

– Ótima evolução como arremessador de média e longa distância. A sólida mecânica sugere que possa tornar-se um espaçador entre os profissionais.

– Destaca-se nos rebotes ofensivos, rompendo bloqueios com sua força física e braços longos.

– Passador em evolução, que mostra especial talento em passes longos.

– Os atributos físicos sugerem bom potencial como protetor de aro e contestando arremessos próximos da cesta.

– É um sophomore mais jovem do que alguns freshmen inscritos no recrutamento, que possui ética de trabalho muito elogiada.

Pontos fracos:

– Se as físicas são destaques, as ferramentas atléticas de Bryant deixam a desejar: carece de explosão, impulsão e não se movimenta com particular fluidez.

– É muito dependente da altura e força física para pontuar, o que não costuma se traduzir muito bem contra os oponentes mais altos, fortes e ágeis da NBA.

– Seu trabalho de pernas ainda precisa melhorar bastante, limitando o refinamento de seu jogo de costas para a cesta.

– Possui altíssimos índices de erros de ataque: falta-lhe ritmo ao atacar a cesta, seu drible é descoordenado e, sinceramente, não parece ser muito inteligente em vários momentos.

– Tem enormes dificuldades defendendo em espaço mais aberto e é um ponto que os adversários vão explorar nos pick-and-rolls.

– Aliás, seus instintos e constância como defensor em geral são criticáveis.

– Não é um criador de jogadas por natureza e a maior parte de seus movimentos em quadra soam mecânicos.

– Bryant é o tipo de jogador com um estilo de jogo que não se encaixa muito nos padrões da NBA atual.

Comparação: Marreese Speights (Los Angeles Clippers) melhorado

Projeção: de 18ª a 35ª escolha geral

Confira alguns lances de Thomas Bryant:

Legenda:
– Sophomore (segundo ano universitário)

Ricardo Stabolito Jr.
Ricardo Stabolito Jr.
Jornalista de 27 anos. Natural de São Bernardo do Campo, mas vive em Salvador há mais de uma década.