Prospecto do Draft 2017 – Tyler Lydon

Tyler Lydon

Idade: 20 anos
País: Estados Unidos
Universidade: Syracuse
Experiência: Sophomore
Posição: ala-pivô / ala
Altura: 6’9.5” (2.07m)

Médias na temporada 2016-17: 13.2 pontos, 8.6 rebotes, 2.1 assistências, 1.0 roubada de bola, 1.4 toco, 1.7 desperdício de bola, 47.2% de aproveitamento nos arremessos de quadra, 39.2% de aproveitamento nas bolas de três pontos, 83.6% de aproveitamento nos lances livres, 36.1 minutos

Pontos fortes
combo-forward capaz de espaçar a quadra
– atleticismo elogiável; corre bem a quadra, com movimentos fluidos, e tem uma impulsão acima da média para um atleta do seu tamanho
– excelente mecânica de arremesso (rápida e com ponto de lançamento ideal)
– trabalho de pés avançado; se desloca muito bem sem a bola
– ótimo chutador de média e longa distância; letal nas situações de catch and shoot e pick and pop
– grande reboteiro, muito em parte devido aos atributos atléticos e aos instintos
– QI de basquete e visão de quadra elogiáveis para um jogador da posição; sólido passador (especialmente da cabeça do garrafão)
– capacidade de bloquear arremessos graças à combinação de impulsão e timing, e de antecipar linhas de passe (mãos rápidas)

Pontos fracos
– corpo ainda franzino para um jogador que atua a maior parte do tempo na posição 4
– foge do jogo físico; não é muito agressivo em direção à cesta; prefere arremessar de média e longa distância do que atacar a cesta
– dificuldades em finalizar ao redor da cesta; não tem explosão e deixa a desejar na absorção de contato e na hora de estabelecer posição (jogo de costas para a cesta quase nulo)
– potencial defensivo é um ponto de interrogação, já que atuou por dois anos no singular sistema de marcação Zona 2-3 de Syracuse, que, em muitos casos, esconde as deficiências defensivas dos atletas
– dúvidas sobre a sua posição ideal em quadra; franzino para um ala-pivô e não tem agilidade lateral destacada para marcar alas mais atléticos
– dificuldades para criar o próprio arremesso; não tem um bom aproveitamento nos chutes após o drible e seu controle de bola é limitado
– inconsistência quanto ao esforço em quadra; precisa estar mais ligado e jogar com dureza e energia

Comparações: Nikola Mirotic (Chicago Bulls) e Chandler Parsons (Memphis Grizzlies)

Projeção: selecionado entre as escolhas 20 e 30

Confira alguns lances de Tyler Lydon

https://www.youtube.com/watch?v=q8YFi1bHdNg

Legenda
– Sophomore (segundo ano universitário)

Gustavo Lima
Gustavo Lima
Jornalista graduado pela UFMG e pós-graduado em Produção em Mídias Digitais pela PUC-MG. Natural de Ipatinga e residente em BH. Editor do Jumper Brasil desde 2007. Acompanha a NBA desde 1993. Torcedor do Phoenix Suns, mas adepto da imparcialidade.
  • Lucas Santana

    Acho que poderia ser um bom nome para o Memphis Grizzlies.

  • Comparação com o Parsons me parece perfeita. O que vi dele me agradou bastante, acho que pode se tornar um steal.

  • Sanliv #RIPChris

    Eu destaco como ponto fraco dele: a inconstância no geral, não só na defesa.

    No começo da temporada, estava tendo um rendimento bem abaixo. Só começou a ter mais destaque da metade pro final da temporada.

  • Beto #23DiasProDraft #RIPChris

    Jogador que pode ser muito útil na NBA de hoje.