Prospecto do Draft 2018 – Bruce Brown Jr.

Dec 31, 2016; Coral Gables, FL, USA; Miami Hurricanes guard Bruce Brown (11) reacts after slam dunking the ball against North Carolina State Wolfpack during the second half at Watsco Center. Miami won 81-63. Mandatory Credit: Steve Mitchell-USA TODAY Sports

Bruce Brown Jr.

Idade: 21 anos
País: Estados Unidos
Universidade: Miami
Experiência: sophomore
Posição: ala-armador / armador
Altura: 6’5’’ (1.96m)

Médias na última temporada: 11.4 pontos, 7.1 rebotes, 4.0 assistências, 1.3 roubo de bola, 0.8 toco, 2.3 erros de ataque, 41.5% de aproveitamento nos arremessos de quadra, 26.7% de conversão nos tiros de longa distância, 62.9% de acerto nos lances livres em 33.7 minutos em quadra

Pontos fortes

– Do ponto de vista físico-atlético, Brown está pronto para atuar como ala-armador na NBA: é um atleta explosivo com um físico já bem desenvolvido e estatura ideal (1.96m de altura, 2.04m de envergadura) para a competição profissional.

– Opera de forma mais assertiva em transição. Movimenta-se para preencher linhas de passe nos contra-ataques quando está sem a bola e, com a posse, usa o perfil atlético para atacar agressivamente em quadra aberta.

– Embora não tenha tido aproveitamento sensacional na última temporada, Brown é um finalizador decidido e explosivo próximo do aro que mostra ótimos controle de corpo e agilidade no ar.

– Sua movimentação sem a bola, aliás, é um ponto positivo. Trata-se de um atleta bem esforçado neste sentido, que corta para a cesta velozmente e dá opção de passes para os companheiros.

– Brown vem atuando cada vez mais (e evoluindo) como um iniciador do ataque: sabe utilizar bloqueios para criar espaço e ver por cima das defesas, melhorou a visão de quadra sensivelmente no último ano.

– É um dos melhores guards reboteiros do recrutamento, se não for o melhor. Usa o corpo para proteger espaço e pegar rebotes defensivos e, do outro lado, não hesita em atacar a tábua contra atletas mais altos.

– Tem potencial para ser um excelente marcador individual no próximo nível, pois combina recursos atléticos de elite com braços longos e uma disposição natural para enfrentar o jogo mais físico.

– Sai de bloqueios com facilidade quando está focado e possui capacidade de trocar marcações no perímetro. Agilidade lateral e força física conferem-lhe potencial para defender até quatro posições diferentes.

– É provável que Brown seja muito ajudado pelo espaçamento da NBA, encontrando a quadra mais aberta para atacar a cesta, enxergar alvos de passe e “compensar” sua falta de arremesso.

Pontos fracos

– Perdeu a segunda metade da última temporada por conta de uma fratura no pé esquerdo, que exigiu cirurgia e acabou mantendo-o longe das quadras por mais tempo do que inicialmente esperado.

– Brown não é dono de um controle de bola particularmente refinado: seu drible é alto e exibe dificuldades para mudar de direção, o que limita sua capacidade de criar separação para marcadores.

– Analisar suas tentativas de post up, floaters e ganchos passa a sensação de que não se trata de um jogador capaz de concluir jogadas com leveza perto da cesta. Ele atira a bola próximo do aro, não faz arremessos.

– Retrocedeu terrivelmente como chutador na temporada passada, apesar de ter uma mecânica de arremesso sólida. Seus 62.9% de conversão nos lances livres, particularmente, são preocupantes projetando-o na NBA.

– Até pode iniciar o ataque e apresentar boa proporção de assistências por erros, mas Brown não é um passador natural e carece daquela capacidade instintiva de antecipar jogadas típica dos armadores.

– Aliás, ele não soa ser um jogador de basquete com instintos dos mais apurados. Sua tomada de decisão aparenta ser especialmente lenta em um jogo que está cada vez mais rápido.

– Brown carece de maior disciplina como defensor, oscilando entre a agressividade excessiva para quebrar linhas de passe e uma desatenção/falta de esforço que incomoda em alguns momentos.

– Há uma distância considerável entre o que o prospecto dava sinais de que poderia ser na temporada de freshman universitária (um popular 3&D) e o que ele, de fato, é após sua segunda campanha.

Sophomore velho, Brown já terá 22 anos de idade quando a próxima temporada da NBA começar. A idade é um forte limitador de upside, especialmente em um atleta que ainda não mostra uma alta compreensão da dinâmica do jogo.

Comparações: Marcus Smart (Boston Celtics) menos talentoso

Projeção: da 18ª a 35ª escolha geral

Confira alguns lances de Bruce Brown Jr.

Ricardo Stabolito Jr.
Ricardo Stabolito Jr.
Jornalista de 27 anos. Natural de São Bernardo do Campo, mas vive em Salvador há mais de uma década.
  • Maicon Gomes

    Comparações: Marcus Smart (Boston Celtics) menos talentoso .

    Melhor passar longe dele então kk

  • Kurdt

    Smart menos talentoso kkkkk

  • Lucas Henrique

    Eu vejo potencial nesse moleque, lembra um pouco o Russel Westbrook

  • Sander Santos Baptista

    Estou empolgado para ver o que o Ainge vai fazer no Draft. Terá bons pivôs, bom alas armadores e bons armadores ate na segunda rodada.

  • Tulio Machado

    Stats razoável pra ruim, sophomore de 22 anos quando começar a temporada… Eu como GM não perderia uma escolha de primeira rodada com um prospecto que ja esta quase que totalmente desenvolvido

  • Kevin Viana
    • Kevin Viana

      Wade piorado ao quadrado kkkkk top 10 com certeza!!