Prospecto do Draft 2018 – DeAndre Ayton

Por Gabriel Andrade

DeAndre Ayton

Idade: 19 anos
País:
 Bahamas
Universidade:
 Arizona
Experiência:
 Freshman
Posição:
 pivô
Altura:
 7’0’’ (2.13m)

Médias na última temporada: 20.1 pontos, 11.6 rebotes, 1.6 assistência, 0.6 roubo de bola, 1.9 toco, 2.0 erros de ataque, 61.2% de aproveitamento nos arremessos de quadra, 34.3% de conversão nos tiros de longa distância, 73.3% de acerto nos lances livres, 33.5 minutos em quadra

Pontos fortes

– Atributos físico-atléticos de elite. Explosivo, ágil lateralmente, forte, grande alcance vertical, altura e envergadura (2.26m), se movimenta como uma ala em corpo de pivô
– Grande finalizador próximo ao aro graças à combinação físico-técnica. Possui combinação de giros, hesitações e trabalho de pés para completar bandejas. Difícil de contestar por conta do tamanho e extensão dos movimentos
– Bom arremessador da meia distância, com potencial para arremessar de três pontos no futuro
– Pode jogar de frente para a cesta. Arremesso abre espaço para infiltrações
– Bom passador, principalmente quando recebe a bola dentro do garrafão, sabe achar jogadores livres cortando para a cesta ou prontos para arremessar
– Reboteiro feroz, combinando instintos naturais com um físico avantajado
– Potencial defensivo incalculável graças à sua velocidade de pés, alcance vertical e explosão. Se dá bem em trocas de marcação no perímetro, longe de ser um pivô lento
– União rara de físico sobrenatural com técnica ofensiva apurada, um dos maiores upsides da classe

Pontos fracos

– Defensor muito limitado para alguém de seus atributos físicos. Constantemente se perde e fica sem marcar ninguém, não entende muito bem rotações defensivas, instintos fracos como protetor de aro, tende a preferir sempre o rebote do que contestar o arremesso, se perde quando precisa tomar decisões defensivas em quadra espaçada, técnica ruim
– Não parece jogar sempre no modo mais agressivo em quadra, principalmente na defesa, cede posições facilmente no poste baixo, não contesta chutes
– Parece ter raciocínio lento em quadra, demora a estabelecer posição, não se movimenta sempre de acordo com seu corpo, precisa de tempo para entender o que está acontecendo em quadra
– Gosta de jogar fora de sua posição natural (pivô) para ser um ala-pivô, o que faz que ele enfrente jogadores mais baixos, porém não aproveita todo seu potencial espaçando a quadra e aproveitamento de adversários mais lentos e menos atléticos do que ele
– Tende sempre a preferir o pop do que se atirar rumo à cesta em situações de pick-and-roll. Previsível em seu arremesso, geralmente usa apenas jab steps e arremessa. Não lê bem quando chutar ou quando partir para o garrafão
– Abaixa a cabeça em infiltrações, visão de túnel
– Trajetória plana do arremesso atrapalha sua consistência na linha de três pontos, provável que seu alcance de chute se traduza apenas na meia distância
– A ver o quanto a velocidade do jogo da NBA se adequará ao seu estilo

Comparação: Karl Anthony-Towns (Minnesota Timberwolves)

Projeção: primeira ou segunda escolha

Confira alguns lances de DeAndre Ayton

Legenda
– Freshman (primeiro ano universitário)

Gustavo Lima
Gustavo Lima
Jornalista graduado pela UFMG e pós-graduado em Produção em Mídias Digitais pela PUC-MG. Natural de Ipatinga e residente em BH. Editor do Jumper Brasil desde 2007. Acompanha a NBA desde 1993. Torcedor do Phoenix Suns, mas adepto da imparcialidade.