Prospecto do Draft 2018 – Devonte’ Graham

Devonte’ Graham

Idade: 23 anos
País: Estados Unidos
Universidade: Kansas
Experiência: senior
Posição: armador
Altura: 6’1.5’’ (1.87m)

Médias na última temporada: 17.3 pontos, 4.0 rebotes, 7.2 assistências, 1.6 roubos de bola, 0.1 toco, 2.8 erros de ataque, 40.0% de aproveitamento nos arremessos de quadra, 40.6% de conversão nos tiros de longa distância, 82.7% de acerto nos lances livres em 37.8 minutos em quadra

Pontos fortes

– Graham é um atleta extremamente rápido e fluido com a bola nas mãos, que soa ter habilidade natural para jogar com a posse. Possui controle de bola avançado e leveza na mudança de direções.

– Mostrou resistência nas últimas duas temporadas: disputou todos as partidas de Kansas, com média de 36.6 minutos por jogo. Só teve quatro atuações de menos de 30 minutos de ação nesse período.

– A maior virtude de Graham é o arremesso. Seu ponto de lançamento não é muito alto, mas ele é muito eficiente: acertou quase 41% dos arremessos de três pontos e 80% dos lances livres na carreira universitária.

– Sua combinação de velocidade e controle de bola avançado ajudam-no a atacar a cesta em profusão e até criar o próprio arremesso. Pull ups e floaters, em especial, são a base do seu jogo de pontuação.

– Sempre foi um bom e voluntarioso passador, mas pareceu ter apurado sua visão de quadra e atenção ofensiva ao longo das quatro temporadas universitárias. Deu 2.57 assistências por erro cometido na campanha passada.

– Analisando a partir de seus (limitados) recursos físicos, Graham é um reboteiro surpreendentemente produtivo em nível universitário que sai em velocidade para criar problemas para as defesas adversárias.

– É um competidor no lado defensivo da quadra, que utiliza sua força e os braços longos (1.98m) para tirar oponentes da zona de conforto e possui compreensão bastante sólida da marcação coletiva.

– Graham é extremamente ativo na quebra de linhas de passe, registrando boas médias de roubos de bola ao longo da carreira inteira. Suas mãos rápidas estão sempre prontas para interceptar a passagem da bola.

– Simplesmente um atleta muito inteligente e trabalhador, que evoluiu a cada ano e recebe elogios por seu espírito de liderança atuando por um dos melhores programas universitários da NCAA.

Pontos fracos

– Não se trata de um armador particularmente alto e, para piorar, os seus atributos atléticos não passam de medianos. Percebe-se, neste sentido, porque não é um prospecto de elite.

– Algo não muito comum: o aproveitamento nos arremessos de longa distância de Graham foi superior aos de dois pontos na última temporada. Reflete sua extrema dificuldade finalizando em torno da cesta.

– É um jogador que parece precisar da bola nas mãos para mostrar o melhor de seu jogo no momento. Pode ser um problema passageiro, já que chegou a atuar sem a bola nas mãos no início da carreira universitária.

– Criar o próprio arremesso é uma das habilidades de mais difícil tradução para o basquete profissional e, sinceramente, Graham possui alguns sinais pessimistas neste sentido (mecânica de tiro baixa, dependência da velocidade).

– Mesmo que tenha evoluído como passador – em especial, na última temporada –, ele sempre foi um jogador muito mais orientado para pontuar do que dinamizar o jogo ou criar para outros.

– Graham tende a tornar-se um alvo fácil no lado defensivo da quadra para outros times, mesmo que sejam os armadores adversários, por conta de seus recursos físico-atléticos pouco destacados.

– Não é um prospecto que oferece muita versatilidade nos dois lados da quadra: criador que precisa excessivamente da bola nas mãos no ataque e jogador que parece limitado a marcar armadores na defesa.

Upside não é algo que um prospecto como Graham vai te oferecer: além de sua condição físico-atlética “comum”, ele já completará 24 anos de idade durante a possível primeira temporada na NBA.

Comparações: Yogi Ferrell (Dallas Mavericks) e Patrick Mills (San Antonio Spurs)

Projeção: de 40ª a 60ª escolhas gerais

Confira alguns lances de Devonte’ Graham

Ricardo Stabolito Jr.
Ricardo Stabolito Jr.
Jornalista de 27 anos. Natural de São Bernardo do Campo, mas vive em Salvador há mais de uma década.
  • Leilson Joaquim

    Caso o Magic consiga negociar Shelvin Mack, seria uma boa escolha para uma das duas escolhas de loteria da equipe. Supondo que se confirme a escolha do Trae Young, ficaria um trio de armadores com Young, DJ Augustin e Grahan.

    • BucksDream

      Não da pra gastar escolha de loteria com um cara projetado pra 40 a 60.

    • Lucas Antunes

      Com Steve Clifford no comando? Sei não..

      Poderia se desenvolver bastante, sobretudo em termos defensivos, em equipes com estilos de jogos mais organizado e coletivo dos dois lados da quadra (celtics, jazz e principalmente spurs). Se Ettore Messina for mesmo pra toronto, pode ser um destino interessante pro jovem armador. A única “dificuldade” é que toronto teria que fazer algum negócio pra adquirir uma pick de segunda rodada antes que o pegassem.