Prospecto do Draft 2018 – Dzanan Musa

Por Gabriel Andrade

Dzanan Musa

Idade: 18 anos
País: Bósnia-Herzegovina
Time: Cedevita Zagreb (CRO)
Posição: ala
Altura: 6’9’’ (2,06m)

Médias na temporada 2017-18 (Liga Adriática): 12.5 pontos, 3.3 rebotes, 1.6 assistências, 1.1 roubadas de bola, 0.1 tocos, 1.4 desperdícios de bola, 47.3% de aproveitamento nos arremessos de quadra, 31.5% de aproveitamento nas bolas de três pontos, 82.2% de aproveitamento nos lances livres, 23.7 minutos
Médias na temporada 2017-18 (EuroCup): 10.5 pontos, 3.2 rebotes, 0.9 assistências, 0.7 roubada de bola, 0.3 tocos, 1.4 desperdício de bola, 47.5% de aproveitamento nos arremessos de quadra, 36.4% de aproveitamento nas bolas de três pontos, 75.3% de aproveitamento nos lances livres, 20.2 minutos

Pontos fortes
– Ótima altura para um jogador de perímetro, leva vantagem finalizando em jogadas de curta distância por corte desse atributo, que também ajuda a maquiar sua falta de envergadura de elite na defesa. Estatura permite que jogue por cima do aro por vezes
– Muita experiência a nível profissional. Estreou na Euroliga aos 16 anos de idade e já possui minutos relevantes desde os 17. Sexto homem de uma equipe de bom porte dentro da Europa, papel semelhante ao de Dario Saric, Jusuf Nurkic e Ante Zizic na mesma idade
– Um dos atletas mais competitivos do Draft, agressivo ofensivamente, campeão europeu sub16 com a fraquíssima Bósnia e levou a seleção principal a conquistar uma vaga para as Eliminatórias Europeias na última offseason, principal jogador do time durante o torneio e que liderou em pontuação. Se importa e compete por resultados
– Instintos como pontuador muito elevados para alguém de sua idade, capaz de criar o próprio arremesso em jogadas de isolação ou pick-and-roll, possui conjuntos de dribles avançados como stepbacks, crossovers e shamgods, busca criar seperação
– Mecânica de arremesso pouco ortodoxa e inconsistente, mas longe de ser um non-shooter, cria muitos arremessos após o drible para três pontos e vem evoluindo neste quesito. Mostra versatilidade para arremessar se a defesa passar por trás do corta-luz, além de chutar em movimento após movimentos sem a bola
– Estilo de jogo focado na pontuação, mas possui visão de quadra para acionar companheiros livres, enxerga por cima dos oponentes por conta da altura
– Contribui nos rebotes, combinando instintos e altura para ler a trajetória dos arremessos. Adora puxar a bola da defesa para o ataque, facilitando a transição, após pegar um ressalto
– Despistando que é destro, é ótimo infiltrando e usando seu lado esquerdo
– Tem melhorado defensivamente a cada temporada, possui agilidade e mobilidade para marcar alas e alas-armadores, pode dobrar os joelhos e permanecer de frente quando focado
– Vai muito para a linha de lances livres, mesmo sendo franzino. Adora explorar o contato por desequilíbrios gerados na defesa (6.6 lances livres tentados por 40 minutos)
– Oferece criação versátil para um ala, combinação rara de noção de ângulo, antecipação e criação de espaço para alguém de seu tamanho

Pontos fracos
– Envergadura menor do que a altura (2,04m), o que limita sua versatilidade defensiva contra alas maiores ou alas-pivôs
– Não é um jogador explosivo, tem dificuldade de criar contra jogadores mais longos ou ágeis lateralmente em jogadas de isolação, poderá sofrer com eficiência na NBA
– Mais um pontuador de volume que um pontuador eficiente, força chutes ruins, muitas vezes ataca em situações que poderia ser mais paciente, ama arremessos ineficientes da meia distância
– Mecânica de arremesso com baixo ponto de lançamento e relativamente lenta, fácil de ser contestada. Pula pouco e usa muito o braço direito no movimento, pode ser que não se traduza para a NBA, resultados mistos ao longo da carreira
– Não é um passador altruísta, que busca companheiros livres ou melhores oportunidades, comumente foca o jogo para si próprio
– Postura corcunda, quase sempre com as costas curvadas, o que faz com que jogue menor do que sua altura real
– A maioria de suas infiltrações vem para o lado esquerdo, previsível quando ataca a cesta
– Ainda muito magro, tende a ser explorado por jogadores mais fortes na defesa, tanto em infiltrações como contra jogadores de garrafão perto do aro. Também absorve mal o contato perto do aro
– Defensor ruim, sem agilidade lateral de elite e que constantemente está fora de posição em closeouts ou na defesa individual. Por vezes é agressivo demais nas linhas de passe e acaba cedendo espaços. Não escolhe os melhores ângulos e acaba sendo um alvo defensivo em certas ocasiões
– Não é tão ágil para um atleta de NBA e o chute não é muito confiável, conseguirá traduzir seu melhor atributo – a pontuação – para a NBA?
– Se deixa levar muito pelas emoções, entra em brigas rotineiramente e mostra postura ruim fora de quadra, lembra um pouco como era Mario Hezonja em termos de excessiva autoconfiança

Comparação: Jamal Crawford (Minnesota Timberwolves)

Projeção: entre as escolhas 12 e 22

Confira alguns lances de Dzanan Musa