Prospecto do Draft 2018 – Jaren Jackson Jr.

Por Gabriel Andrade

Jaren Jackson Jr.

Idade: 19 anos
País: Estados Unidos
Universidade: Michigan State
Experiência: Freshman
Posição: ala-pivô/pivô
Altura: 6’11’’ (2.11m)

Médias na última temporada: 10.9 pontos, 5.8 rebotes, 1.1 assistência, 0.6 roubo de bola, 3.0 tocos, 1.8 erro de ataque, 51.3% de aproveitamento nos arremessos de quadra, 39.6% de conversão nos tiros de longa distância, 79.7% de acerto nos lances livres, 21.8 minutos

Pontos fortes
– Ótimos atributos físicos para atuar em ambas as posições do garrafão, com altura e envergadura (2.26m) para competir contra jogadores de qualquer tamanho, além de agilidade lateral e explosão de elite. Ótimo em transição
– Muito desenvolvido defensivamente para alguém da idade, jogador no NCAA com maior taxa de tocos (5.5 para 40 minutos), entende rotações, ocupa bem espaços, protege o garrafão com maestria, pode trocar marcação no perímetro, melhor defensor da classe.
– Espaça a quadra na linha de três pontos em bom volume e aproveitamento. Mecânica de arremesso não é perfeita, mas a bola sai rápido de suas mãos, defesa precisa ficar atenta.
– Possui controle de bola e explosão para atacar a cesta vindo do perímetro com efetividade. Arremesso permite que as defesas sejam mais agressivas, abre espaços
– Jogo encaixa na direção da NBA atual, raro tipo de jogador que pode trocar marcação, proteger o aro e arremessar para três pontos. Permite que o time o explore de diferentes maneiras e esquemas táticos
– Vai bastante para a linha de lance livre para alguém que não tem perfil de ser um jogador de grande volume ofensivo
– Intangíveis bastante elogiados entre os olheiros. Cresceu bastante na temporada. Mentalidade para causar impacto de qualquer maneira que for usado na NBA

Pontos fracos
– Bastante inconsistente ofensivamente, pode passar várias posses seguidas sem participação efetiva no ataque (passes, corta-luzes, arremessos tentados), longe de ser um pontuador de impacto ou que chama o jogo para si, passivo
– Mecânica de arremesso possui baixo ponto de lançamento, relativamente mais fácil de ser contestada
– Acumula problemas com faltas que limitam seus minutos (5.9 faltas pessoais por 40 minutos)
– Reboteiro apenas adequado. Não traz impacto na tábua ofensiva por jogar sempre aberto, falta força e disciplina para fazer o box out contra jogadores mais fortes/ativos nesse aspecto do jogo
– Passador limitado em instintos e criatividade, comete mais desperdícios de bola do que dá assistências
– Possivelmente não tem um grande upside como pontuador, projetado como jogador complementar, role player

Comparações: Serge Ibaka (Toronto Raptors), Chris Bosh (ex-Miami Heat) e Myles Turner (Indiana Pacers)

Projeção: entre as escolhas 3 e 7

Confira alguns lances de Jaren Jackson Jr.

Legenda
– Freshman (primeiro ano universitário)