Prospecto do Draft 2018 – Jevon Carter

Jevon Carter

Idade: 22 anos
País: Estados Unidos
Universidade: West Virginia
Experiência: senior
Posição: armador / ala-armador
Altura: 6’1.5’’ (1.87m)

Médias na última temporada: 17.3 pontos, 4.6 rebotes, 6.6 assistências, 3.0 roubos de bola, 0.4 toco, 2.6 erros de ataque, 42.2% de aproveitamento nos arremessos de quadra, 39.3% de conversão nos tiros de longa distância, 85.8% de acerto nos lances livres em 35.5 minutos em quadra

Pontos fortes

– Carter é um armador impositivo fisicamente, com uma combinação interessante de força e rapidez. Movimenta os pés com leveza e fluidez para um jogador que, em um primeiro momento, pode soar pesado.

– Trata-se de um atleta incansável e ativo, com uma mentalidade muito agressiva nos dois lados da quadra. Sua entrega e foco em quadra garantem que ele, pelo menos, nunca vá perder um jogo pela omissão.

– Ataca a cesta com eficiência em nível universitário, utilizando a disposição para o jogo físico como uma vantagem absorvendo contato próximo da cesta. Cobrou quase cinco lances livres por 40 minutos na última temporada.

– A evolução de Carter como chutador – posicionado e saindo do drible – é sensível ao longo da carreira, com os índices de conversão nos tiros de três pontos e lances livres sugerindo boas perspectivas no próximo nível.

– Ele também cresceu como passador e em termos de atenção ofensiva no último ano, registrando uma ótima proporção de 2.54 assistências distribuídas para cada desperdício de posse que comete.

– O fisico impositivo contribui para que Carter seja uma força nos rebotes, muito mais impactante do que a maioria dos armadores. Sabe estabelecer espaço no garrafão e ser oportunista/inteligente em situações pontuais.

– De forma geral, o prospecto toma boas decisões e mostra maturidade em ações nos dois lados da quadra. A agressividade funciona como recurso ou filosofia de jogo do que, propriamente, um instinto.

– Carter é o melhor defensor individual entre os armadores universitários: combina disposição para o jogo físico, agilidade lateral, intensidade e instintos apurados na defesa. Ele está preparado para a NBA, neste quesito.

– Seus instintos defensivos aparecem com força total na quebra de linhas de passe. Conseguiu, usando suas mãos rápidas e ótima leitura de jogo, registrar média de 3.0 roubos de bola na temporada passada.

– Competidor experiente e provado, Carter evoluiu do ponto de vista físico, técnico e comportamental ao longo dos quatro anos em West Virginia. Deixa a instituição como a reputação de ser um líder pelo exemplo.

Pontos fracos

– A maior parte dos atributos físico-atléticos não ajudam Carter: não impressiona pela estatura (1.87m) e envergadura (1.93m), além de possuir condição atlética, no máximo, adequada para a competição profissional.

– Típico caso de um ala-armador preso no corpo de armador, no lado ofensivo da quadra. Não se trata de um organizador e, apesar da evolução como criador para outros, tem clara orientação para pontuar.

– Seu controle de bola não é dos mais avançados ou refinados, passando impressão de insegurança. Parte da média de 2.6 erros de ataque deriva-se da dificuldade para manter a posse quando pressionado.

– Carter não projeta ser um grande finalizador próximo da cesta na NBA, por uma diversidade de razões: controle de bola simples, falta de explosão e envergadura, pouca criatividade em movimento.  

– Mais provável que seja um ballhandler secundário do que um armador principal entre os profissionais, por conta da inclinação natural de seu jogo ofensivo para um perfil mais arremessador/pontuador.

– As limitações de altura e envergadura não oferecem muita versatilidade defensiva para Carter, em uma liga que preza pela capacidade de defender várias posições. Parece ser um marcador de armadores – e só armadores.

– É questionável como ele poderá adaptar-se em uma inevitável função menor na NBA, sem a bola nas mãos e liberdade de criação dentro de quadra ou sem certa abertura para ser uma liderança fora das quatro linhas.

– Completará 23 anos de idade antes do início da próxima temporada, o que indica fortemente que Carter não tem muito potencial físico e técnico a ser trabalhado. Ele “é o que é”, provavelmente.

Comparações: Marcus Smart (Boston Celtics) piorado e Lindsay Hunter (ex-Detroit Pistons)

Projeção: primeira metade da segunda rodada

Confira alguns lances de Jevon Carter

Ricardo Stabolito Jr.
Ricardo Stabolito Jr.
Jornalista de 27 anos. Natural de São Bernardo do Campo, mas vive em Salvador há mais de uma década.
  • felipe fernando Oliveira

    Pra mim será um dos vários steal desse draft

    • Lucas Henrique

      Smart piorado vai ser steal? KKKKKKKKKKKKKK

      • felipe fernando Oliveira

        Não acho que a comparação dizendo que ele é um Smart piorado foi a adequada. Mas respeito a opinião do Stabolito.

        • Ricardo Stabolito Junior

          Essa parte da comparação é complicada. Somos sempre instruídos a tentar trazer alguém que está jogando atualmente e faço paralelos bem pé no chão. Não adianta comparar um cara que vai ser escolhido na segunda rodada com um astro. Para cada Wesbrook, há dez Jon Leuers na NBA.

          Meu melhor comparativo seria Lindsay Hunter moderno mesmo. Mas, convenhamos, Smart foi o sexto ou sétimo jogador de um time finalista de conferência, que vai receber US$10 milhões por ano em um novo contrato, provavelmente. Decisivo em alguns jogos de playoffs.

          Ser uma versão piorada do Smart é ter espaço em uma rotação da NBA, que é muito mais do que uma escolha de segunda rodada costuma conseguir. Vocês precisam ser mais realistas com as expectativas também. Bem mais realistas. Draft não é a fórmula mágica que parece.

          • Lucas Henrique

            Perfeito seu comentário

          • jetnba

            Boa… como se todo o draft tivesse um Ginobili disponivel na escolha 57!!!

          • felipe fernando Oliveira

            A discordância é salutar e faz parte do crescimento do saber. Concordo que a comparação é algo difícil de se fazer, até porque dizer que determinado jogador se parece com A, alguns entendem que eles serão. Mas no caso do Jevon Carter que é a questão, Stabolito disse que ele é o Smart piorado, eu ja acho que ele é o Smart melhorado, ou Isaiah Thomas com defesa. Mas isso é questão de ponto de vista mesmo… Draft não é formular magica mas é o único parâmetro que temos pra opinar. Jevon pode vir a ser um IT com defesa, como pode vir a ser um ninguém…

  • Leonardo Baeve

    Smart piorado kkkkkkkkkkk, melhor passar longe

  • Gabriel De Oliveira Meira

    Ele é irmão do Vince?

  • Nic_Arcoverde

    Este cara defende muito, não será um astro mas vai ser util para qualquer equipe.