Prospecto do Draft 2018 – Kevin Huerter

Kevin Huerter

Idade: 19 anos
País: Estados Unidos
Universidade: Maryland
Experiência: sophomore
Posição: ala-armador / ala
Altura: 6’7.25’’ (2.01m)

Médias na última temporada: 14.8 pontos, 5.0 rebotes, 3.4 assistências, 0.6 roubo de bola, 0.7 toco, 2.5 erros de ataque, 50.3% de aproveitamento nos arremessos de quadra, 41.7% de conversão nos tiros de longa distância, 75.8% de acerto nos lances livres em 34.4 minutos em quadra

Pontos fortes

– Huerter possui combinação adequada de altura e envergadura (2.02m) para atuar como ala-armador e ala no próximo nível. Não é um jogador explosivo, mas parece mais atlético do que costuma receber crédito.

– Muito esforçado e inteligente na movimentação sem a posse da bola, mostrando agilidade no preenchimento de linhas de passe e uma excelente compreensão de posicionamento no jogo de meia-quadra.

– Mais eficiente do que propriamente impressionante, Huerter tem a capacidade de finalizar com as duas mãos em torno da cesta e exibe até considerável capacidade de adaptar o movimento no ar.

– Trata-se de um dos melhores arremessadores do recrutamento, com alcance além da linha de três pontos da NBA. Está entre os jogadores mais produtivos da NCAA chutando na saída de bloqueios fora da bola (off screens).

– Passador de elite para sua posição e, não por acaso, até atuava como armador no colegial. Huerter é dono de especial visão de quadra, lê defesas e consegue passar em movimento operando no pick-and-roll.

– Ele apresenta fundamentos bastante sólidos como reboteiro: bloqueia adversários e sabe proteger espaço no garrafão para ter vantagem sobre atletas mais fortes. Só tende a melhorar quanto mais forte ficar.

– Huerter tem uma subestimada agilidade lateral e capacidade de marcação em espaço aberto. Compensa eventual falta de velocidade e explosão com instintos apurados e aplicação contestando arremessos ou passes.

– Oferece versatilidade defensiva, especialmente por conta de sua inteligência e disciplina defendendo fora da bola. Além de reagir muito rápido a passes e decisões do ataque, posiciona-se com precisão.

– Trata-se simplesmente de jogador de basquete natural, a julgar pela combinação rara de técnica e instintos nos dois lados da quadra. Huerter é inteligente, toma boas decisões e exibe uma noção de ângulos bem pouco alardeada.

– Um dos sophomores mais jovens do recrutamento, que só vai completar 20 anos pouco antes do início da próxima temporada, mas já possui um estilo de jogo bem delineado para atuar na NBA de imediato.

Pontos fracos

– Não dá para ignorar que Huerter não possui força física esperada de um prospecto à caminho da NBA. Foi o segundo atleta mais alto que registrou menos de 90 quilos no NBA Draft Combine.

– Seu controle de bola, na verdade, parece muito básico e passa certa insegurança pelo alto quique. Possui a tendência a segurar a bola e colocar-se em posições ruins em quadra, quando pressionado.

– Até pela questão física, Huerter costuma evitar o jogo de contato no lado ofensivo da quadra. O ótimo aproveitamento em lances livres é pouco explorado pelo baixo índice de faltas cavadas, por exemplo.

– Mecânica de arremesso com baixo ponto de lançamento, embora seja rápida, que poderá ser muito mais “incomodada” no basquete profissional por conta dos adversários mais longos e atléticos.

– Huerter mostrou potencial criando o próprio arremesso na última temporada, mas isso não deve se traduzir na NBA. A falta de envergadura e trabalho de pés mais refinado tendem a limitá-lo bastante no quesito.

– Pode precipitar decisões quando pressionado, o que reflete-se em média de 2.5 erros de ataque por partida. Alguém com tamanha visão de jogo deveria registrar proporção maior do que 1.36 assistências por desperdício de bola.

– É difícil imaginar que Huerter seja um grande defensor em isolations, enfrentando atletas de elite, no próximo nível. Parece ser muito melhor marcando em âmbito coletivo do que individualmente.

– Ele não soa como uma escolha de alto potencial ou upside, apesar da inteligência e pouca idade. Nunca foi considerado um prospecto de elite e mal estava entre os 100 melhores jogadores colegiais de sua classe.

Comparações: Joe Ingles (Utah Jazz) e Kyle Korver (Cleveland Cavaliers)

Projeção: segunda metade da primeira rodada

Confira alguns lances de Kevin Huerter

Ricardo Stabolito Jr.
Ricardo Stabolito Jr.
Jornalista de 27 anos. Natural de São Bernardo do Campo, mas vive em Salvador há mais de uma década.
  • Lucas Henrique

    Boa opção pro OKC

    • Franklin Gomes Peixoto

      Boa mesmo, jogador muito interessante e pode agregar demais em OKC

  • Danilo Barroso

    Boa escolha para os Spurs

    • KleineBosch

      qualquer um é boa opção para o Spurs

  • Tulio Machado

    É um jogador interessante, vai ser útil a qualquer equipe que escolher ele

  • Rafael lima

    Se sobrar até a 28° GSW tem que ir nesse MLK, Que o donte divincenzo e o Grayson Allen devem ser escolhidos antes …. mais um pras bolas de 3.