Prospecto do Draft 2018 – Kevin Knox

Kevin Knox

Idade: 18 anos
País: Estados Unidos
Universidade: Kentucky
Experiência: Freshman
Posição: ala/ala-pivô
Altura: 6’9’’ (2.06m)

Médias na última temporada: 15.6 pontos, 5.4 rebotes, 1.4 assistência, 0.8 roubo de bola, 0.3 toco, 2.3 erros de ataque, 44.5% de aproveitamento nos arremessos de quadra, 34.1% de conversão nos tiros de longa distância, 77.4% de acerto nos lances livres em 32.5 minutos em quadra

Pontos fortes

– Knox é o protótipo de combo forward na NBA: tem ótima estatura e envergadura (2.12m) para atuar como ala e ala-pivô no próximo nível. Soa como um perfeito “quatro” em formações baixas para várias equipes.

– Atleta surpreendente fluido para alguém de seu tamanho, movimentando-se com mais leveza do que propriamente velocidade pela quadra. Exibe agilidade tanto no perímetro, quanto no garrafão.

– Mais do que móvel, Knox é um jogador esforçado sem a bola. Ele se desloca com inteligência e propósito pela quadra, acompanha contra-ataques e mostra instintos interessantes em termos de posicionamento.

– Seu arremesso parece muito bom e passa no “teste visual”: a mecânica até pode ser um pouco lenta, mas é de difícil contestação por conta de seus braços longos. O bom aproveitamento nos lances livres é um sinal sólido de eficiência.

– Embora não seja explosivo, Knox é um excelente finalizador em torno da cesta. Tem promissor jogo de costas para a cesta e um floater extremamente avançado (e já muito testado) em seu arsenal.

– Trata-se de um dos melhores prospectos do recrutamento executando saindo de bloqueios, apesar do tamanho. Possui jogo no off-screens bastante consistente, atacando e defendendo.

– Knox exibe instintos apurados como protetor de aro, rotacionando para defender a cesta com uma compreensão da dinâmica defensiva acima da média para sua idade e ótima reação.

– Aliás, de forma geral, ele é um defensor subestimado: sempre atento e esperto nas trocas de marcação, antecipa as ações adversárias com agilidade lateral bem melhor do que recebe crédito.

– O jogo mais espaçado da NBA deverá ajudá-lo em relação ao estilo “afunilado” de Kentucky, possibilitando que ataque a cesta com mais naturalidade e use a noção de posicionamento mais organicamente.

– É fácil entender em que função Knox pode encaixar-se no basquete profissional: além da projeção como arremessador, trata-se de um jogador voluntarioso com mentalidade de role player.

– Um dos atletas mais jovens do recrutamento, que só completará 19 anos antes do início da temporada. Não é um produto formado, mas o tempo está a seu favor e existe potencial a ser desenvolvido.

Pontos fracos

– Knox não é explosivo e, na verdade, parece ser menos atlético do que, de fato, é em quadra. Precisará de um trabalho de fortalecimento físico para atuar como ala-pivô regularmente no próximo nível.

– Foi um arremessador bastante instável na temporada, como evidencia os 34% de aproveitamento nos tiros de longa distância. Embora sua mecânica de arremesso agrade, ele precisa trabalhar em ser mais equilibrado.

– O controle de bola de Knox não passa de regular, o que limita-o nas infiltrações, criando separação para defensores no jogo de meia quadra e como um potencial iniciador de ataque.

– Reboteiro nada mais do que adequado, algo decepcionante para alguém de sua estatura. Sua baixa taxa de rebotes indica falta de fundamentos no quesito e até pouca disposição para o jogo mais físico.

– A seleção de arremessos de Knox pode ser questionada: “contenta-se” demais com oportunidades contestadas e floaters, sem mostrar um maior ímpeto para agredir a cesta.

– O passe não é o ponto mais forte do seu jogo: apesar de voluntarioso, ele não mostra visão de jogo apurada ou potencial no drive and kick. Registra baixíssimo índice de assistências por erros de ataque (0.61).

– É um defensor sólido, mas pouco produtivo. Historicamente, os baixos índices de roubos de bola e tocos são indicativos de que um atleta pode não ser um marcador eficiente na NBA.

– Knox foi um jogador bastante irregular e inconstante em sua única temporada na NCAA, de muitos altos e baixos. É questionável o que pode oferecer ofensivamente a um time nos dias em que o arremesso não estiver caindo.

– Eis um prospecto que carece de lapidação e vai precisar ser desenvolvido. Hoje, a diferença entre o que o talento sugere que Knox pode ser e o que ele realmente é parece ainda ser significante.

Comparações: Otto Porter Jr. (Washington Wizards) e Marvin Williams (Charlotte Hornets)

Projeção: da 10ª a 20ª escolha geral

Confira alguns lances de Kevin Knox

 

 

Ricardo Stabolito Jr.
Ricardo Stabolito Jr.
Jornalista de 27 anos. Natural de São Bernardo do Campo, mas vive em Salvador há mais de uma década.
  • Sanliv

    Meu amigo torcedor do Hornets está louco pra ver ele em Charlotte

  • Evandro

    Pensei que Knox fosse ficar mais um ano na NCAA o que seria um desperdício.. .ainda com 18 anos este cara vai dar mole acima da top 10 e na minha opinião muito melhor prospecto que os Bridges…pode cair nos Braços do 76 ears…PQP…sixers pode acrescentar um all star que pode ser o melhor do planeta LJ ou KL ou PG e ainda vai colocar outro excelente prospecto na rotação para fazer Cia ao Markelle…isso se não acrescentaram dois all star como deseja o Lakers

  • Igor

    Top 10 fácil pra mim.
    Subestimado demais, é melhor que miles e mikal bridges, e eu também o escolheria antes de Trae Young