Prospecto do Draft 2018 – Kevin Knox

Kevin Knox

Idade: 18 anos
País: Estados Unidos
Universidade: Kentucky
Experiência: Freshman
Posição: ala/ala-pivô
Altura: 6’9’’ (2.06m)

Médias na última temporada: 15.6 pontos, 5.4 rebotes, 1.4 assistência, 0.8 roubo de bola, 0.3 toco, 2.3 erros de ataque, 44.5% de aproveitamento nos arremessos de quadra, 34.1% de conversão nos tiros de longa distância, 77.4% de acerto nos lances livres em 32.5 minutos em quadra

Pontos fortes

– Knox é o protótipo de combo forward na NBA: tem ótima estatura e envergadura (2.12m) para atuar como ala e ala-pivô no próximo nível. Soa como um perfeito “quatro” em formações baixas para várias equipes.

– Atleta surpreendente fluido para alguém de seu tamanho, movimentando-se com mais leveza do que propriamente velocidade pela quadra. Exibe agilidade tanto no perímetro, quanto no garrafão.

– Mais do que móvel, Knox é um jogador esforçado sem a bola. Ele se desloca com inteligência e propósito pela quadra, acompanha contra-ataques e mostra instintos interessantes em termos de posicionamento.

– Seu arremesso parece muito bom e passa no “teste visual”: a mecânica até pode ser um pouco lenta, mas é de difícil contestação por conta de seus braços longos. O bom aproveitamento nos lances livres é um sinal sólido de eficiência.

– Embora não seja explosivo, Knox é um excelente finalizador em torno da cesta. Tem promissor jogo de costas para a cesta e um floater extremamente avançado (e já muito testado) em seu arsenal.

– Trata-se de um dos melhores prospectos do recrutamento executando saindo de bloqueios, apesar do tamanho. Possui jogo no off-screens bastante consistente, atacando e defendendo.

– Knox exibe instintos apurados como protetor de aro, rotacionando para defender a cesta com uma compreensão da dinâmica defensiva acima da média para sua idade e ótima reação.

– Aliás, de forma geral, ele é um defensor subestimado: sempre atento e esperto nas trocas de marcação, antecipa as ações adversárias com agilidade lateral bem melhor do que recebe crédito.

– O jogo mais espaçado da NBA deverá ajudá-lo em relação ao estilo “afunilado” de Kentucky, possibilitando que ataque a cesta com mais naturalidade e use a noção de posicionamento mais organicamente.

– É fácil entender em que função Knox pode encaixar-se no basquete profissional: além da projeção como arremessador, trata-se de um jogador voluntarioso com mentalidade de role player.

– Um dos atletas mais jovens do recrutamento, que só completará 19 anos antes do início da temporada. Não é um produto formado, mas o tempo está a seu favor e existe potencial a ser desenvolvido.

Pontos fracos

– Knox não é explosivo e, na verdade, parece ser menos atlético do que, de fato, é em quadra. Precisará de um trabalho de fortalecimento físico para atuar como ala-pivô regularmente no próximo nível.

– Foi um arremessador bastante instável na temporada, como evidencia os 34% de aproveitamento nos tiros de longa distância. Embora sua mecânica de arremesso agrade, ele precisa trabalhar em ser mais equilibrado.

– O controle de bola de Knox não passa de regular, o que limita-o nas infiltrações, criando separação para defensores no jogo de meia quadra e como um potencial iniciador de ataque.

– Reboteiro nada mais do que adequado, algo decepcionante para alguém de sua estatura. Sua baixa taxa de rebotes indica falta de fundamentos no quesito e até pouca disposição para o jogo mais físico.

– A seleção de arremessos de Knox pode ser questionada: “contenta-se” demais com oportunidades contestadas e floaters, sem mostrar um maior ímpeto para agredir a cesta.

– O passe não é o ponto mais forte do seu jogo: apesar de voluntarioso, ele não mostra visão de jogo apurada ou potencial no drive and kick. Registra baixíssimo índice de assistências por erros de ataque (0.61).

– É um defensor sólido, mas pouco produtivo. Historicamente, os baixos índices de roubos de bola e tocos são indicativos de que um atleta pode não ser um marcador eficiente na NBA.

– Knox foi um jogador bastante irregular e inconstante em sua única temporada na NCAA, de muitos altos e baixos. É questionável o que pode oferecer ofensivamente a um time nos dias em que o arremesso não estiver caindo.

– Eis um prospecto que carece de lapidação e vai precisar ser desenvolvido. Hoje, a diferença entre o que o talento sugere que Knox pode ser e o que ele realmente é parece ainda ser significante.

Comparações: Otto Porter Jr. (Washington Wizards) e Marvin Williams (Charlotte Hornets)

Projeção: da 10ª a 20ª escolha geral

Confira alguns lances de Kevin Knox

https://www.youtube.com/watch?v=XQbAC_CIS2Q