Prospecto do Draft 2018 – Michael Porter Jr.

Michael Porter Jr.

Idade: 19 anos
País: Estados Unidos
Universidade: Missouri
Experiência: Freshman
Posição: ala/ala-pivô
Altura: 6’10.75’’ (2.10m)

Médias na última temporada (apenas três jogos): 10.0 pontos, 6.7 rebotes, 0.3 assistência, 1.0 roubo de bola, 0.3 toco, 1.0 erros de ataque, 33.3% de aproveitamento nos arremessos de quadra, 30% de conversão nos tiros de longa distância, 77.8% de acerto nos lances livres em 17.7 minutos em quadra

Pontos fortes

– Porter possui medições ideais para atuar como ala de ofício e ala-pivô na NBA: são 2.10m de altura, combinado a 2.13m de envergadura e, com os braços levantados, o mesmo alcance de Anthony Davis (9’0’’).

– Atleta extremamente fluido e coordenado, com ótima impulsão e considerável agilidade para alguém de sua estatura. Sempre foi visto como um dos jogadores mais atléticos dessa classe.

– A condição atlética de elite e rápida tomada de decisão faz com que Porter seja uma ameaça executando em transição, saindo em alta velocidade com a bola nas mãos e preenchendo linhas de passe.

– Esforça-se movimentando sem a bola, revelando-se um bom finalizador em torno da cesta tanto em lances mais explosivos, quanto ao operar de costas para a cesta contra adversários mais baixos.   

– Ótimo arremessador, especialmente difícil de ser marcado por conta da mecânica com alto ponto de lançamento e impulsão. Capaz de converter pull ups com alcance da linha de três pontos da NBA.

– O bom aproveitamento de lances livres no nível colegial e universitário sugere que, de fato, o arremesso de Porter vai realmente converter-se em um recurso sólido entre os profissionais.

– No pouco tempo em que atuou por Missouri, Porter mostrou maior versatilidade como arremessador do que no colegial: teve oportunidades saindo de bloqueios fora da bola e no pick and pop, por exemplo.

– Trata-se de um reboteiro defensivo sólido, que traz especial valor pensando no jogo da NBA pela habilidade de iniciar o ataque imediatamente e puxar o contra-ataque sem ter que dar um passe.

– Exibe momentos pontuais de instintos apurados no lado defensivo da quadra, quebrando linhas de passes agressivamente e com grande potencial para fazer coberturas protegendo o aro.

– Porter tem todos os recursos necessários para ser um interessante defensor no um contra um. Ocupa muito espaço e sua envergadura tira oponentes da zona de conforto com a bola nas mãos.

– Ele é um jogador com mentalidade agressiva nos dois lados da quadra. Pode nem sempre tomar as melhores decisões, mas não é indeciso ou reticente: realiza cada movimento de forma direta e incisiva.  

– Não há como negar que, lesão à parte, Porter é dono de um inegável upside. Era apontado como o principal prospecto colegial do país, até o meio do ano passado, pelos serviços especializados.

Pontos fracos

– Porter disputou só três jogos da temporada universitária por conta de uma fratura por estresse nas costas. A lesão, que costuma ser debilitante para atletas, exigiu cirurgia e levanta dúvidas sobre seu futuro.

– Embora atlético, ele nunca foi particularmente explosivo ou veloz comparado aos outros prospectos. Sua disparada (primeiro passo), em especial, não parece das mais impressionantes desde antes da contusão.

– Precisa de um trabalho de fortalecimento físico para adaptar-se ao jogo em nível profissional, uma vez que já evitava contato e não conseguia defender jogadores mais pesados até entre os colegiais.

– Agilidade lateral é um dos grandes problemas de Porter: movimenta-se de forma pouco desenvolta lateralmente e não projeta ter capacidade de trocar marcação no perímetro e perseguir atletas mais baixos.

– Seu controle de bola não é nada mais do que adequado, no máximo. Não parece sugerir tanto potencial driblando em espaços curtos, criando separação para defensores ou iniciando o ataque.

– A seleção de arremessos de Porter no jogo de meia quadra sempre foi bastante problemática: apresenta tendência a tentar tiros em movimento, desequilibrado e mais contestado do que deveria.

– Não se trata de um atleta egoísta, mas, como um pontuador, sua característica nunca foi passar a bola em volume. Visão de quadra e leitura de jogo não são seus pontos fortes, para dizer o mínimo.

– Aliás, Porter não soa ser um jogador dos mais brilhantes. Detalhes como seleção de arremessos, falta de disciplina defensiva e proporção de assistências por erros de ataque colocam dúvidas sobre seu QI de basquete.

– Ele participou dos dois últimos jogos da temporada de Missouri e, embora esteja saudável, retornou muito limitado atleticamente. É possível que não volte a ser o atleta de elite dos tempos de colegial.

– Porter é um freshman “velho”, que terá 20 anos completos já na Liga de Verão. Pensando no desenvolvimento e aprendizado como jogador, ele foi obrigado a ficar parado em uma temporada estratégica na carreira de um prospecto.

Comparações: Harrison Barnes (Dallas Mavericks) e Keith Van Horn (ex-New Jersey Nets) mais atlético

Projeção: dez primeiras escolhas gerais

Confira alguns lances de Michael Porter Jr.

Ricardo Stabolito Jr.
Ricardo Stabolito Jr.
Jornalista de 27 anos. Natural de São Bernardo do Campo, mas vive em Salvador há mais de uma década.
  • Anthony#27

    Torcendo pra não ser mais um Oden na NBA

  • Evandro

    Este moleque deu só o azar de ter perdido quase toda temporada mas pode ser á sorte de times que não irão figurar entre o top5 ter á sorte de draftar o Rockie da próxima temporada…Cavs pode dar está sorte, mas acho difícil ele passar pelo Chicago…este moleque com 2,08 19 anos e a habilidade que tem, deve ter o mesmo impacto que Simmons está tendo nesta temporada, pois são muito semelhantes físico e jogo

    • Vinicius Brasil

      mas ele não é um bom passador ou é?, kkk eu acho que o forte do jogo dele vai ser o arremesso e a transição.

  • Beto #61DiasParaoDraft #MFFL

    Seria minha 3a opção nesse draft, Dallas precisa de pontuador e o MPJr sempre foi um scorer nato, acho que Barnes e ele formariam um bom duo.

    • King Cuban #MFFL

      Quem vai defender nessa dupla… Não podemos deixar passar o Ayton, Doncic, JJJ, Bagley ou Bamba…. só se ficarmos com a pick nr6 é que eu escolheria ele…

  • Tulio Machado

    Particularmente, acho ele o melhor jogador da classe junto com o Doncic, mas a condição física vai pesar na hora de escolher ele no Draft, tomara que vá pda um time que saiba evoluir seu jogo… Knicks, Bulls ou Hawks seria uma boa, o Kings iria acabar com sua carreira

  • Spurs mentality

    The San Antonio Spurs select Porter!

    .
    .
    .
    Johntay Porter from Missouri

    • Jake “The Motherfucking” Guy

      Acho que o estilo de jogo do Spurs não adequa com o dele. Os vídeos que vi dele, ele tem um jogo rápido, explosivo, já o Spurs é um time que trabalha bem a bola.

  • Eu acho que é o qur tem maior potencial de Bust da classe

    • Diego Costa

      Discordo totalmente. Porter tem um teto absurdo, atleticamente falando é muito acima da média, além de saber arremessar. Se é que podemos considerar isso, eu acho que ele pode ser a grande surpresa entre os 6,7 primeiros pois ele chega sem a hype que merecia devido aos seus problemas físicos. Mas sem dúvidas ele é um grande talento, se for parar pra analisar os pontos fracos citados ali, a maioria ele pode mudar este cenario tranquilamente

      Ganho de massa
      Seleção de arremessos
      Ritmo de jogo.

  • Gustavo

    É sem duvida a maior relação risco/benefício do draft. Vai para algum franquia que precisa arriscar. Deve ficar entre Bulls e Kings.

  • Ele tem potencial de super estrela, e isso que se tem que ter em mente!

    Porter Jr já mostrou que é um jogador completamente diferenciado, e vem para NBA com status de alguém que ganhou tudo e todos os prêmios individuais no HS. Infelizmente a hérnia de disco não deixou ele mostrar isso em nível universitário, mas o teto dele deve ser um dos mais altos, se não o mais alto nessa classe.

    E sobre ele ser um freshman velho, é até meio estranho se comentar isso já que ele tem a mesma idade e nasceu no mesmo ano que DeAndre Ayton, Mo Bamba, Trae Young e outros e não vi isso ser ponderado.

    Eu vi uma resposta do Gabriel no twitter, que é basicamente o que eu penso dele:

    https://twitter.com/GabrielAndPaula/status/985870952679559170