Prospecto do Draft 2018 – Mohamed Bamba

Mohamed Bamba

Idade: 20 anos
País:
 Estados Unidos
Universidade:
 Texas
Experiência:
 Freshman
Posição:
 pivô
Altura:
 7’0’’ (2.13m)

Médias na última temporada: 12.9 pontos, 10.5 rebotes, 0.5 assistência, 0.8 roubo de bola, 3.6 tocos, 1.5 erro de ataque, 54.1% de aproveitamento nos arremessos de quadra, 27.5% de conversão nos tiros de longa distância, 68.1% de acerto nos lances livres, 30.2 minutos de ação

Pontos fortes

– Uma aberração física, dono da maior envergadura já registrada em processos pré-draft (2.36m), móvel e coordenado em seus movimentos, jogo por cima do aro e corre bem a quadra toda
– Ocupa muito espaço na defesa com seus braços e tamanho, contesta tudo que vem da meia distância até a proximidade do aro, upside incalculável como protetor de aro
– Pés móveis o suficiente para defender o perímetro em certas ocasiões. Envergadura ajuda a recuperar terreno quando batido
– Movimento estendidos pelo tamanho dos braços, difícil de contestar seu arsenal de meia distância
– Mecânica de arremesso mostra que pode desenvolver um chute confiável no futuro. Chute alto e a bola sai rapidamente de suas mãos
– Ainda não é um passador desenvolvido, mas mostra flashes de leituras rápidas. Papel muito limitado em Texas não o ajudou a mostrar todo seu arsenal
– Cru, mas vez ou outra mostra movimentos coordenados e fluidos como finalizador próximo ao aro, entre giros e hesitações

Pontos fracos

– Ainda bastante magro para o nível profissional. Possui dificuldade de estabelecer posição próximo ao aro, sofre quando enfrenta pivôs mais físicos na defesa
– Finalizador limitado para alguém de seus atributos físicos, sofre bastante em tráfego. Corpo incapaz de absorver contato ainda, não possui destreza para ajustar ângulos e seu corpo no meio do ar
– Visão de túnel, bola costuma travar a movimentação quando envolvido no ataque
– Defensor inconsistente que não joga sempre da maneira mais física ou ativa. Muitas vezes não contestar bandejas fáceis de se defender, não corre em máxima velocidade, falta “motor”
– Mais fluido do que propriamente explosivo fisicamente
– Depende dos atributos físicos para pegar rebotes, não faz box out constantemente
– Possui potencial para espaçar a quadra, mas os resultados ainda estão distantes, visualizados no aproveitamento dos arremessos de três pontos e lances livres
– Comumente parece passivo ao que acontece em quadra
– Muitas limitações ofensivas para criar o jogo por si próprio, não tem jogo de frente ou de costas para a cesta. Conseguirá pontuar com eficiência no nível profissional?

Comparações: Rudy Gobert (Utah Jazz), Willie Cauley-Stein (Sacramento Kings) e Clint Capela (Houston Rockets)

Projeção: entre as escolhas 3 e 8

Confira alguns lances de Mohamed Bamba

Legenda
– Freshman (primeiro ano universitário)

Gustavo Lima
Gustavo Lima
Jornalista graduado pela UFMG e pós-graduado em Produção em Mídias Digitais pela PUC-MG. Natural de Ipatinga e residente em BH. Editor do Jumper Brasil desde 2007. Acompanha a NBA desde 1993. Torcedor do Phoenix Suns, mas adepto da imparcialidade.
  • Vince Mendes

    O Novo Dikembe Mutombo

  • Sander Santos Baptista

    Dependendo do técnico que pegar, vai ser monstro.

  • Gustavo

    Futuro Bulls

    • Vince Mendes

      o ruim dele que ofensivamente é nulo

      • Gustavo

        Mas seria um bom complemento pro finlandês. Seria o cara pra fazer o serviço sujo, enquanto Markannen espaça a quadra.

  • Marcelo Desoxi

    a lata do Gobert.

  • felipe fernando Oliveira

    Esqueceram de colocar JaVale Mcgee na comparação

    • Diego Costa

      Impossível, ele demonstra algum tipo de arremesso, coisa que o Mcgee nunca teve na vida. A mecânica dele é bem aceitavel alias. E apesar de não ser sua praia, ele sempre tenta alguns chutes de 3.
      Tem teto ainda pra melhorar. Ofensivamente ele é muito superior. E sua envergadura é maior que a do JM tambem, o que facilita na defesa.

  • Esse é mais um que ao meu ver se cair na equipe errada tem grandes chances de não se tornar metade do que pode ser. Bom ambiente é sempre fundamental para um pleno desenvolvimento, mas tem atletas que conseguem superar um ambiente ruim, e entre trancos e barrancos transformar seu potencial em realidade (como Cousins) outros são muito mais dependentes de um ambiente adequado para evoluir, e ao meu ver essa classe tem muitos jogadores desse tipo, é gente com grandes chances de virar bust se cair em uma franquia caótica.

    • Vince Mendes

      tem chances de se tornar um Nerlens Noel

  • Diego Costa

    Meu jogador favorito nesse draft. Tem um teto bem alto, mas vai ser preciso paciência com ele. Não espere uma briga pelo ROY em sua 1 temporada. Ainda é muito cru ofensivamente, além de ser muito fraco na parte física pra um C, por isso é necessário tempo pro desenvolvimento dele, deve sair depois do top 5. Não sei o que o Kings pensa sobre o Cauley Stein, ele teve bons momentos nessa temporada, mas não sei se deixariam o Bamba passar. É possivel sobrar pro Cavs até, o que só seria bom se o ameba do Lue deixasse o time.

    • Douglas Vinicius

      É o meu prospect favorito também. Vejo um potencial enorme nesse garoto se ele for bem trabalhado.

  • felipe fernando Oliveira

    Na boa. Pra mim ele vai se tornar com JaVale Mcgee com grife.

  • Rodrigo SMC

    O que tão dando de comer pra esses meninos.

  • Esse tem que rezar pra cair no time certo. No time certo pode ter um futuro brilhante; no errado, pode virar um Bust eterno