Prospecto do Draft 2018 – Robert Williams

Robert Williams

Idade: 20 anos
País: Estados Unidos
Universidade: Texas A&M
Experiência: Sophomore
Posição: pivô
Altura: 6’9’’ (2.06m)

Médias na temporada 2017-18: 10.4 pontos, 9.2 rebotes, 1.4 assistência, 0.8 roubo de bola, 2.5 tocos, 1.7 desperdício de bola, 63.2% de aproveitamento nos arremessos de quadra, 47.1% de aproveitamento nos lances livres, 25.6 minutos em quadra

Pontos fortes
– atributos físico-atléticos de elite; ágil, corre a quadra com fluidez, salta bastante, tem uma envergadura invejável (2.26m) e está pronto fisicamente para encarar o basquete profissional
– grande reboteiro; utiliza bem seus dotes físicos – braços longos, impulsão e agilidade
– mãos grandes que facilitam na hora de receber a bola; jogo de costas para a cesta em evolução, trabalho de pés elogiável, bom controle corporal
– potencial para tornar-se um protetor de aro de alto nível na NBA; timing impressionante para dar tocos, boa capacidade de antecipação graças à sua agilidade lateral, excelente nas coberturas defensivas, não foge do jogo físico
– eficiente finalizador ao redor da cesta; alvo fácil de pontes-aéreas, rim runner de primeira linha
– flashes de bom passador, seja em transição ou na meia-quadra; visão de quadra subestimada
– ferramentas necessárias para ter uma carreira sólida na NBA: pivô atlético, forte e agressivo tem seu espaço na liga

Pontos fracos
– mecânica de arremesso pouco confiável (a bola demora a sair de suas mãos); péssimo aproveitamento na linha do lance livre
– pontua basicamente através de enterradas e pontes-aéreas
– jogo ofensivo praticamente nulo fora do garrafão; precisa ao menos evoluir como chutador de média distância para não ter um papel ofensivo limitado na NBA
– necessita ser mais efetivo nos bloqueios para deixar os companheiros em melhores condições para os arremessos
– tem todas as ferramentas físicas para se tornar um defensor de elite, mas ainda peca na falta de concentração e disciplina nesse lado da quadra
– deixa a desejar na defesa de pick-and-roll pela falta de fundamentos; se perde nas trocas com frequência acima do desejável, confia em demasia nos atributos físicos
– às vezes desaparece das partidas; precisa ser mais consistente e focado em quadra
– em sua segunda temporada no basquete universitário, não evoluiu como esperado; o esquema de Texas A&M de jogar com dois pivôs prejudicou seu desenvolvimento no ataque
– imaturidade; foi suspenso por três jogos nesta temporada por conduta prejudicial à equipe

Comparações: Clint Capela (Houston Rockets) e Marquese Chriss (Phoenix Suns)

Projeção: entre as escolhas 12 e 17

Confira alguns lances de Robert Williams

Legenda
– Sophomore (segundo ano universitário)

Gustavo Lima
Gustavo Lima
Jornalista graduado pela UFMG e pós-graduado em Produção em Mídias Digitais pela PUC-MG. Natural de Ipatinga e residente em BH. Editor do Jumper Brasil desde 2007. Acompanha a NBA desde 1993. Torcedor do Phoenix Suns, mas adepto da imparcialidade.
  • Beto Filho

    corrigir as 9.2 assistências para 9.2 rebotes