Prospecto do Draft 2019 – Bol Bol

Por Gabriel Andrade

Bol Bol

Idade: 19 anos
País: Sudão
Universidade: Oregon
Experiência: freshman
Posição: pivô
Altura: 7’2.5’’ (2.21m)

Médias na temporada 2018-19: 21.0 pontos, 9.6 rebotes, 1.0 assistência, 0.8 roubada de bola, 2.7 tocos, 2.0 desperdícios de bola, 56.1% de aproveitamento nos arremessos de quadra, 52.0% de aproveitamento nas bolas de três pontos, 75.7% de aproveitamento nos lances livres, 29.8 minutos em quadra

Pontos fortes

  • Filho de um dos jogadores mais altos da história do basquete (Manute Bol), Bol Bol herdou um físico extremamente chamativo, dono de 2.21m de altura e 2.34m de envergadura, que o torna uma presença intimidante próximo à cesta de ambos os lados da quadra.

  • O perfil físico lhe dá habilidade física de bloquear chutes, mas é a combinação de genética e instintos de rotação, antecipação e recuperação que lhe dão potencial imenso como protetor de aro. Por vezes, consegue se recuperar de lances em que estava muito atrasado por conta da “margem de erro” que seu físico lhe permite.

  • Apesar de ter uma mecânica de arremesso pouco ortodoxa, possui uma incrível eficiência e consistência ao longo dos anos, raro achar um big man com tamanha capacidade de chute, tanto quando recebe parado, quanto em situações em que atacar de frente para a cesta ou em arremessos após o drible.

  • Controle de bola acima da média para alguém de seu tamanho, capaz de atacar a cesta e mudar de direções para chegar ao aro ou arremessar após um drible.

  • Possui um enorme raio de ação para rebotes, que lhe dá muita vantagem na batalha pelos ressaltos em ambos os lados da quadra.

  • Por conta do tamanho e fluidez, recebe passes muito altos e finaliza por cima do aro com muita tranquilidade.

  • Parece ser muito coordenado em relação ao seu corpo, o que é difícil para jovens jogadores. Comete poucas faltas, corre em transição e dribla com a naturalidade de alguém muito menor do que geralmente são atletas de seu biótipo.

  • Bol Bol ainda tem muitas questões para lidar para ser um grande jogador na NBA, mas possui um inquestionável talento para ser investido.

Pontos fracos

  • Não parece estar sempre engajado do lado defensivo da quadra, pouco luta por posições próximo à cesta, faz pouco box out para proteger rebotes ou corre com senso de urgência na transição defensiva.

  • Deverá ter problemas para defender o perímetro na NBA, visto que não possui agilidade lateral de elite, algo natural para alguém tão grande e com alto centro de gravidade.

  • Ainda muito magro (94,3 kg) e sem explosão de elite, tem dificuldades de jogar contra jogadores mais fortes, físicos ou explosivos, sobretudo a respeito da finalização ao redor do aro.

  • Comete muitos desperdícios de bola, sobretudo, forçando passes em ângulos ruins em tráfego. Precisa de tempo para tomar boas decisões.

  • Dependente do chute para pontuar, terá que melhorar, ao menos, sua capacidade de atacar mismatches contra defensores mais baixos, ou poderá ser defendido por atletas bem menores.

  • Uma lesão grave no College acende alertas sobre sua possível durabilidade a longo prazo a respeito de lesões. Alguém tão magro e grande conseguirá se manter saudável em um calendário tão exigente como o da NBA?

  • Muitas vezes arremessa bolas muito bem contestadas após o drible, pode trabalhar na seleção de arremessos.

  • Possui um histórico de questionamentos sobre sua “paixão pelo jogo”, atitude e desejo por aprimoração.

  • Um dos prospectos mais difíceis de se avaliar do Draft, devido ao seu típico físico, talento natural, background e histórico de lesões, potencial Boom ou Bust.

Comparações: Kristaps Porzingis (Dallas Mavericks) e Thon Maker (Detroit Pistons)

Projeção: TOP 20

Confira alguns lances de Bol Bol

Legenda: freshman (primeiro ano universtário)