Prospecto do Draft 2019 – Charles Bassey

Por Gabriel Andrade

Charles Bassey

Idade: 18 anos
País: Nigéria
Universidade: Western Kentucky
Experiência: freshman
Posição: pivô
Altura: 6’10’’ (2.08m)

Médias na temporada 2018-19: 14.6 pontos, 10.0 rebotes, 0.7 assistência, 0.8 roubada de bola, 2.4 tocos, 2.9 desperdícios de bola, 62.7% de aproveitamento nos arremessos de quadra, 45.0% de aproveitamento nas bolas de três pontos, 76.9% de aproveitamento nos lances livres, 31.4 minutos em quadra

Pontos fortes

  • Possui altura e envergadura (2.24m) mais do que suficientes para atuar como pivô no próximo nível, combinada com boa habilidade de salto e um corpo forte, preparado para o basquete profissional

  • Bastante móvel para alguém de seu peso e altura, se desloca com fluidez em quadra. Finaliza jogadas em transição e acompanha contra-ataques.

  • Joga por cima do aro com propriedade dos dois lados da quadra, intimidando adversários na área pintada enquanto protetor de aro e finalizando ponte-aéreas

  • Cria muitas estatísticas na defesa, um big man ativo no ataque às linhas de passe e utiliza sua envergadura e explosão para bloquear muitos chutes vindo do lado contrário na defesa de cobertura

  • Grande reboteiro, que combina força, raio de ação e constante energia para batalhar pelos ressaltos na defesa e no ataque

  • No geral, joga com muita intensidade em quadra, se doando na defesa e fazendo o possível dentro de seu papel

  • Aproveitamento razoável na linha de lances livres, especialmente para um pivô, Pode arremessar de meia distância com efetividade

  • Jogador bastante físico, enérgico, maduro e ciente de suas limitações, protótipo de um possível role player

  • Muito jovem, completa 19 anos em outubro, tem considerável espaço para evoluir ainda

Pontos fracos

  • Não é um jogador polido em meia quadra, perde o balanço quando exigido a driblar a bola ou buscar finalizações que exigem maior destreza ao redor do aro, cego da mão esquerda

  • Possui visão de túnel e comete um número muito grande de desperdícios de bola em relação às assistências, raciocina de maneira lenta para entender as disfunções do adversário

  • Extremamente dependente dos atributos físicos neste ponto da carreira, raramente cria algo para si mesmo ofensivamente

  • Jogo de pés precisa de trabalhos, não possui movimentos refinados de hesitação para conseguir bons arremessos de maneira individual

  • Não é ágil lateralmente, um pivô pesado, que enfrenta dificuldades para mover seus pés em deslocamento lateral para defender jogadores de perímetro. Sua falta de agilidade de elite o afeta também na defesa de pick and roll

  • Enfrentou bastante dificuldades precisando defender atletas mais móveis, atléticos ou espaçadores de quadra do que ele no College, projeção defensiva não é tão alta neste ponto da carreira

  • Cru em ambos os lados da quadra, Bassey ainda precisa de muito trabalho, sobretudo ofensivamente, para sobreviver na NBA moderna. Muito dependente da força e atleticismo no nível do College, atributos que não serão elite quando enfrentar atletas de NBA, projeto a longo prazo

Comparações: Tarik Black (ex-Houston Rockets), Ike Anigbogu (Indiana Pacers) e Kevin Seraphin (ex-Washington Wizards)

Projeção: entre as escolhas 25 e 40

Confira alguns lances de Charles Bassey

Legenda: freshman (primeiro ano universitário)

  • João Víctor Matos

    Essas comparações no final são uma ducha de agua fria da peste kkk.

  • Maicon Gomes

    Eu gosto do Bassey. É um cara bem jovem ainda e apresenta talento pra ser desenvolvido.

  • Pablo Monteiro

    Ou seja cheirinho de bust rs

    • Thiago YoungBull

      Bust? O mlk n é nem cotado pra primeira rodada

      • Pablo Monteiro

        No inicio do college era hypado dms.