Prospecto do Draft 2019 – Coby White

Coby White

Idade: 19 anos
País: Estados Unidos
Universidade: North Carolina
Experiência: freshman
Posição: ala-armador / armador
Altura: 6’5″ (1.95m)

Médias na última temporada: 28.5 minutos, 16.1 pontos, 3.5 rebotes, 4.1 assistências, 1.1 roubos de bola, 0.3 tocos, 2.7 erros de ataque, 42.2% de aproveitamento nos arremessos de quadra, 35.3% de acerto nos tiros de longa distância e 80.0% de conversão nos lances livres em 35 jogos disputados

Pontos fortes

– White é dono de rara combinação de impressionante velocidade e força física para um atleta de armação. Tem potencial para transformar qualquer rebote casual em contra-ataque, atacando a cesta antes que pivôs possam posicionar-se.

– Sua assertividade e inteligência no jogo de transição é acentuada, tomando boas decisões sobre quando infiltrar e finalizar por sua conta ou passar a bola e enxergar a movimentação dos companheiros em quadra aberta.

– Trata-se de um dos pontuadores mais versáteis do draft: “ameaça” as marcações tanto arremessando de média e longa distância, quanto agredindo a cesta – onde exibe capacidade de absorver contato e criatividade para finalizar.

– Ele comprovou ter a habilidade para criar o próprio arremesso em nível colegial e universitário, criando separação para defensores com stepbacks, desaceleração do drible e mudanças de direção.

– Projeta ser um dos melhores arremessadores do recrutamento, impulsionado por 80% de conversão nos lances livres. É capaz de chutar em movimento, saindo de bloqueios e após o drible com qualidade.

– White é um passador em franca evolução, embora não seja um facilitador natural ou mostre visão de quadra acima do comum, que já mostrou potencial para passar a bola em movimento em meio a infiltrações.

– Defensor comprometido e competente em nível universitário, apoiado em sua ótima agilidade lateral. A velocidade, talvez, seja um dos poucos artifícios que possam ser valiosos na tentativa de marcar armadores na NBA.

– Seu estilo de jogo, de imposição da transição para pegar defesas desarmadas e ótimo arremesso no jogo de meia-quadra, tende a ser de considerável valia nas “espaçadas” quadras do próximo nível.

– Todos os técnicos para quem White jogou são unânimes em exaltar sua ética de trabalho e compromisso com o sucesso coletivo. Impressiona pela maturidade em entrevistas, minimizando interesses pessoais e assumindo responsabilidades.

Pontos fracos

– A sensação em quadra é que White tem (muito) menos do que 1.95m de altura: possui envergadura menor do que a estatura e, excetuando a velocidade acima da média, passa longe de ser um atleta de elite.

– Os braços curtos (envergadura de 1.96m) e a falta de impulsão fazem com que a capacidade de finalização do prospecto perto da cesta no próximo nível seja questionada. Mesmo na NCAA, ele apresenta dificuldades contra pivôs mais longos e atléticos.

– White costuma ter problemas quando pressionado com a posse da bola, o que acaba evidenciando/expondo seu drible alto demais e a qualidade de passe que ainda pode ser mais refinada.

– Embora seja um ótimo chutador, a tradução do seu arremesso da NCAA para a NBA pode ser prejudicada pela falta de envergadura e – provavelmente, mais – mecânica com ponto muito baixo de lançamento.

– Criar o próprio arremesso é uma habilidade de difícil tradução dos níveis de base para o jogo profissional. É seguro ter dúvidas sobre essa faceta do jogo de White, diante de suas evidentes limitações físico-atléticas.

– Deve funcionar muito mais como um ballhandler secundário na NBA do que ser um armador de ofício, até porque tende a acelerar demais o jogo e não parece possuir boa noção de controle de ritmo ofensivo.

– Potencial defensivo limitado pela falta de melhores atributos físico-atléticos. Ele não apresenta grande versatilidade, cobre pouco espaço em quadra e não quebra linhas de passe com a frequência que poderia.

– Aliás, em termos de instintos e fundamentos, White pode ser mais refinado no lado defensivo da quadra: seu senso de posicionamento, ângulos e compreensão de defesa coletiva é rudimentar no momento.

Comparações: Jamal Murray (Nuggets) menos talentoso e Brandon Knight (Cavaliers)

Projeção: Escolha de loteria (TOP 14)

Confira alguns lances de Coby White

Legenda
freshman (primeiro ano universitário)