Prospecto do Draft 2019 – Goga Bitadze

Por Gabriel Andrade

Goga Bitadze

Idade: 19 anos
País: Geórgia
Time: Mega Bemax (Sérvia) / Buducnost Voli (Montenegro)
Posição: pivô
Altura: 6’11,25’’ (2.11m)

Médias na Euroliga 2018-19: 12.1 pontos, 6.4 rebotes, 1.2 assistência, 0.5 roubada de bola, 2.3 tocos, 1.4 desperdício de bola, 54.8% de aproveitamento nos arremessos de quadra, 31.2% de aproveitamento nas bolas de três pontos, 71.4% de aproveitamento nos lances livres, 24.2 minutos em quadra

Médias na Liga Adriática 2018-19: 14.0 pontos, 5.9 rebotes, 0.7 assistência, 0.5 roubada de bola, 1.7 toco, 1.8 desperdício de bola, 60.3% de aproveitamento nos arremessos de quadra, 40.9% de aproveitamento nas bolas de três pontos, 65.1% de aproveitamento nos lances livres, 23.3 minutos em quadra

Pontos fortes

  • Boa altura e envergadura (2.18m) para a posição de pivô na NBA, além de possuir uma base sólida e um corpo já relativamente forte nos membros superiores para a sua idade.

  • Dentre os jogadores da posição 5 desta classe, trata-se do mais polido ofensivamente. Muito bom pontuando de costas para a cesta usando sua força, fluidez, jogo de pés avançado para a idade e capacidade de manipular a defesa com giros e hesitações.

  • Potencial stretch big, Bitadze é dotado de boa mecânica de arremesso que o torna muito efetivo arremessando da meia distância e capaz de chutar de três pontos em situações de pick and pop.

  • Melhor passador do que as estatísticas dizem, capaz de achar companheiros livres em situações de short roll ou de costas para a cesta.

  • Joga por cima do aro pela combinação de tamanho, força e fluidez.

  • Atua com uma mentalidade extremamente agressiva, chamando companheiros para jogo, sem fugir do contato hora alguma, buscando ir para a linha de lances livres e se doando ao máximo para a sua equipe.

  • Possui ótimo timing para distribuir tocos, seja protegendo o aro vindo do lado contrário, cobrindo arremessadores na meia distância ou lendo os movimentos do adversário no poste. Liderou a Euroliga em tocos aos 19 anos.

  • Jogou parte da temporada emprestado ao Buducnost e pode, com isso, jogar a Euroliga, em que foi, com muitas sobras, o melhor jovem jogador da competição. Ser produtivo em um campeonato muito mais forte que o College é uma credencial a mais para o georgiano.

  • Grande reboteiro, que sempre faz box out e domina as tábuas em ambos os lados da quadra, com a combinação de instintos, força e disciplina,

  • A união de polidez de ambos os lados da quadra, jogar com agressividade e dureza, além de experiência em um nível mais alto o torna uma escolha relativamente segura neste recrutamento. Foi MVP da temporada regular da Liga Adriática.

Pontos fracos

  • Não é um prospecto moderno defensivamente, com agilidade lateral mediana que o prejudica como defensor de perímetro. Apesar de jogar duro, seu impacto na defesa é bastante instável.

  • Possui potencial, mas seu impacto como arremessador, especialmente na linha de três pontos, é inconsistente, por vezes arremessando com diferentes formas.

  • Por não ter explosão de elite, pode ter mais dificuldades para finalizar ao redor do aro na NBA, sobretudo por parecer fora de controle em certas situações.

  • Jogador que se deixa tomar pelas emoções e é extremamente reativo ao que acontece em quadra. Comete 6,5 faltas por 40 minutos, constantemente é ejetado por seis faltas e leva muitas faltas técnicas.

  • Aproveitamento dos lances livres pode melhorar, até por ser alguém que tem projeções como arremessador.

  • Pivôs mais experientes conseguem forçar faltas para cima dele, precisa entender melhor as regras de verticalidade.

  • Demonstra dificuldades para ler marcações duplas e finalizar em tráfego, comete muitos desperdícios de bola quando lida com marcação mais pressionada.

Comparação: Jusuf Nurkic (Portland Trail Blazers) com arremesso, Ivica Zubac (Los Angeles Clippers) mais atlético

Projeção: entre as escolhas 12 e 25

Confira alguns lances de Goga Bitadze