Prospecto do Draft 2019 – Louis King

Louis King

Idade: 20 anos
País: Estados Unidos
Universidade: Oregon
Experiência: freshman
Posição: ala
Altura: 6’8″ (2.03m)

Médias na última temporada: 29.6 minutos, 13.0 pontos, 5.3 rebotes, 1.3 assistências, 0.8 roubos de bola, 0.2 tocos, 2.0 erros de ataque, 43.5% de aproveitamento nos arremessos de quadra, 38.6% de acerto nos tiros de longa distância e 78.5% de conversão nos lances livres em 32 jogos disputados

Pontos fortes

– Do ponto de vista físico-atlético, King é o protótipo de um ala profissional: possui ótimas altura e envergadura (2.14m), combinadas com explosão, agilidade e coordenação acima da média.

– Mostra inteligência e empenho movimentando-se sem a bola e dando opção de passe para os companheiros. É especialmente eficiente operando em transição, preenchendo linhas de passe e finalizando com incisão.

– Seu senso de espaçamento é bastante apurado, posicionando-se sempre além da linha de três pontos em ângulos adequados para passadores que infiltram a área pintada – algo cada vez mais importante na NBA.

– Excelente arremessador em situação de spot up, posicionado, com uma mecânica rápida, compacta e de alto ponto de lançamento. Embasado por ótimos índices de acerto nas tentativas de longa distância (38.6%) e lances livres (78.5%).

– King pode criar o próprio arremesso pontualmente, embora não seja alguém que estabeleça separação para defensores com refino. Converte pull ups após poucos dribles e tem um chute difícil de ser contestado pelos braços longos.

– Sólido reboteiro que destaca-se pela capacidade de iniciar o ataque rapidamente na tábua defensiva: pega o rebote e não precisa dar um passe para que o contra-ataque seja começado.

– Trata-se de um passador altruísta, consciente da necessidade de manter a bola em movimentação no perímetro e fazer leituras simples com rapidez. Já exibiu flashes realizando passes em movimento.

– Suas ferramentas físico-atléticas sugerem que possa ser um defensor bastante versátil no próximo nível, capaz de marcar três ou quatro posições e quebrar as linhas de passe do oponente.

– Trata-se de um encaixe natural na NBA hoje pela sua combinação de atributos naturais, arremesso e versatilidade defensiva. King é um legítimo combo forward, nos moldes de um role player com alto “piso” (pior cenário possível).

– Embora seja um freshman velho – já tem 20 anos – e um papel projetado muito bem definido, o prospecto apresenta ainda considerável upside a ser trabalhado e pode ser mais do que um mero “3-D” entre os profissionais.

Pontos fracos

– Ainda precisa fortalecer o corpo para tornar-se o defensor e finalizador que pode ser: mesmo em nível universitário, ele tem dificuldades para estabelecer espaço e aproveitar-se de mismatches próximo da cesta.

– Não se trata de um grande finalizador em torno da cesta, pois possui problemas para executar em tráfego, absorver contato em progressão e concluir as jogadas com a mão esquerda.

– Controle de bola nada mais do que adequado para um ala de 20 anos, limitando-se a atacar em linhas retas e sem grande refinamento. Isso limita sua capacidade como infiltrador e criador de arremessos para si mesmo em meia-quadra.

– King não é um atleta dos mais consistentes e regulares, em muito por conta de uma postura agressiva instável nos dois lados da quadra e seleção de arremessos que ainda pode melhorar.

– Apesar de ser um ótimo arremessador posicionado, ele não é um chutador dos mais dinâmicos e não oferece ameaça atirando em movimento – por exemplo, saindo de bloqueios fora da bola (off screens).

– Sua visão de jogo ainda é muito pouco apurada e, por isso, limita-se a realizar passes mais burocráticos. Distribuiu pífias 0.65 assistências para cada desperdício de bola que cometeu na temporada universitária.

– Precisa evoluir em termos de compreensão, disciplina e fundamentos defensivos para tornar-se o marcador versátil que seu potencial sugere. Os seus instintos e a disposição para o jogo mais físico são questionáveis nesse lado da quadra.

– Sofreu duas lesões preocupantes no joelho nos últimos dois anos, incluindo uma ruptura do menisco no ano passado. É seguro dizer que as franquias vão querer analisar seus exames físicos antes de selecioná-lo.

Comparações: Richard Jefferson (ex-Nets), Alfonzo McKinnie (Warriors) e Dorell Wright (ex-Heat)

Projeção: de 20ª a 40ª escolha geral

Confira alguns lances de Louis King

Legenda
freshman (primeiro ano universitário)

Ricardo Stabolito Jr.
Ricardo Stabolito Jr.
Jornalista de 27 anos. Natural de São Bernardo do Campo, mas vive em Salvador há mais de uma década.