Prospecto do Draft 2019 – Luguentz Dort

Por Gabriel Andrade

Luguentz Dort

Idade: 20 anos
País: Canadá
Universidade: Arizona State
Experiência: freshman
Posição: ala-armador
Altura: 6’4.25’’ (1.93m)

Médias na temporada 2018-19: 16.1 pontos, 4.3 rebotes, 2.3 assistências, 1.5 roubada de bola, 0.2 toco, 2.9 desperdícios de bola, 40.5% de aproveitamento nos arremessos de quadra, 30.7% de aproveitamento nas bolas de três pontos, 70.0% de aproveitamento nos lances livres, 31.5 minutos em quadra

Pontos fortes

  • Excelente perfil físico para atuar como um combo guard na NBA, combinando altura, braços longos (2.04 m de envergadura) e um corpo extremamente forte, entre os atletas mais musculosos de sua posição no basquete universitário.

  • Bastante explosivo e agressivo, Dort joga com muita intensidade e busca usar sua vantagem física para atacar a cesta e conquistar muitos lances livres. Joga por cima do aro é um perigo em transição.

  • Extremamente intenso em quadra, competindo na defesa contra atletas mais altos utilizando sua base forte, pressionando adversários sem a bola e busca sempre tirar o adversário da zona de conforto.

  • Por conta dos atributos físico-atléticos e sua velocidade lateral, defendia das posições 1-4 no College. Na NBA, é esperado que, ao menos, tenha potencial para defender qualquer atleta de perímetro.

  • Apesar de ainda obter resultados mistos, o arremesso do ala-armador canadense não possui uma mecânica quebrada, a bola sai de suas mãos com boa rotação e pode aprimorar no futuro.

  • Contribui em várias facetas menores do jogo, movendo a bola de um lado para o outro, jogando sem a bola para receber em movimento, atacando a tábua defensiva e atacando as linhas de passe.

  • Trata-se de um jogador que os técnicos adoram, visto sua entrega em quadra e mentalidade de role player.

Pontos fracos

  • Muito ineficiente pontuando no nível universitário em basicamente todos os aspectos do jogo ofensivo, precisará de muito trabalho para se manter em quadra sem ser ignorado pelos adversário.

  • Apesar de explosivo e agressivo, não é um bom finalizador ao redor do aro, por conta da falta de criatividade para fazer bandejas acrobáticas sob contato ou buscar melhores ângulos para conseguir finalizar na área pintada.

  • Sua seleção de arremessos não condiz com suas limitações pontuando, tenta muitos chutes após o drible contestados, o que prejudicava suas porcentagens (5.2 arremessos de três pontos por jogo). Com ponto de lançamento baixo e lento, seu arremesso é mais fácil de ser contestado.

  • Pouco usa a mão esquerda para driblar ou arremessar, o que lhe torna previsível atacando a cesta.

  • Não possui um conjunto avançado de dribles e variações de velocidade para conduzir um ataque, depende da força e explosão para criar espaços para si mesmo, o que acaba em um número elevado de desperdícios de bola em relação às assistências,

  • No geral, não toma as melhores decisões em quadra com a bola em suas mãos e constantemente fica fora de controle, não parece ter potencial para ser um condutor de ataque.

  • Comete muitas faltas para um atleta de perímetro, pode dosar melhor a agressividade para se manter em quadra.

  • Com muitas responsabilidades ofensivas por Arizona State, seu papel ofensivo tende a mudar drasticamente quando for para a NBA, sobretudo quando citadas as limitações que possui como pontuador.

  • Já com 20 anos completos, é mais velho do que a maioria dos freshmen

  • Muito físico e intenso, ainda precisa evoluir em vários aspectos técnicos para causar maior impacto como jogador de basquete

Comparações: Marcus Smart (Boston Celtics) pior passador, Lance Stephenson (Los Angeles Lakers) menos talentoso, Rawle Alkins (Chicago Bulls)

Projeção: entre as escolhas 25 e 40

Confira alguns lances de Luguentz Dort

Legenda: freshman (primeiro ano universitário)

  • Joabe#VamoSpurs

    Nas próximas análises, já vou direto pra comparação com outros jogadores, é a parte q mais chama atenção do leitor 😶

    • Rodrigo Wellerson

      Mas os desse ano, mdsss. Dá uma tristeza.
      Vejo os pontos positivos, acho que vem um role player fantastico, aí vejo a comparação, “lance menos talentoso”, dá vontade de chorar.
      “smart pior passador”.
      Esse vai ter que treinar muito ainda.

  • Maicon Gomes

    Esse cara é um monstro fisicamente já, problema é que falta QI nos dois lados da quadra.