Prospecto do Draft 2019 – P.J. Washington

P.J. Washington

Idade: 20 anos
País: Estados Unidos
Universidade: Kentucky
Experiência: sophomore
Posição: ala-pivô
Altura: 6’8″ (2.03m)

Médias na última temporada: 15.2 pontos, 7.6 rebotes, 1.8 assistência, 0.9 roubo de bola, 1.2 toco, 2.0 desperdícios de bola, 52.2% de aproveitamento nos arremessos de quadra, 42.3% de aproveitamento nas bolas de três pontos, 66.3% de aproveitamento nos lances livres, 29.3 minutos por jogo

Pontos fortes

– ala-pivô dotado de atributos físico-atléticos de elite: tem força física necessária para encarar o basquete profissional, ótima mobilidade em quadra e envergadura invejável (2.20m)
– agressivo no ataque à cesta; consegue cavar muitas faltas, não foge do contato físico no garrafão, consegue finalizar bem com ambas as mãos, mostra agilidade no primeiro passo, ótimo em atacar closeouts
– bom jogo de costas para a cesta; trabalho de pés em franca evolução, tem um eficiente gancho de mão direita, mãos grandes para segurar bem a bola, bom em estabelecer posição na área pintada, especialista em hesitations (movimentos em que troca a passada, fingindo mudar de direção com o objetivo de se livrar da marcação), controle corporal elogiável
– evoluiu como arremessador da média distância e do perímetro; sua mecânica de arremesso melhorou em relação ao primeiro ano no College (ponto de alcance, elevação), mostrou eficiência no spot up (quando recebe a bola parado em uma região da quadra e arremessa) e tornou-se uma ameaça no catch and shoot, na primeira temporada em Kentucky acertou cinco chutes de perímetro em 21 tentativas, no segundo ano, os números melhoraram consideravelmente: 33 acertos em 78 tentativas
– passador em franca evolução; visão de quadra e controle de bola acima da média para um jogador do seu tamanho, consegue enxergar o jogo sobre o adversário, bom passador no drive and kick (quando infiltra e passa a bola para um companheiro em melhor condições de pontuar), consegue iniciar ações ofensivas da cabeça do garrafão
– grande defensor no um contra um; combina bem força física, agilidade, braços longos e agressividade, bom timing e impulsão para bloquear arremessos dos adversários, versátil (capaz de defender até três posições)
– bom reboteiro ofensivo; utiliza bem os seus atributos físico-atléticos para aproveitar as segundas chances de ataque, finalizando com putbacks
– aproveitou bastante o segundo ano universitário para evoluir em praticamente todos os aspectos de seu jogo, especialmente como pontuador e passador; aposta segura no recrutamento e potencial para se tornar um role player sólido na NBA
– seu jogo de perímetro (em evolução) tende a encaixar-se consideravelmente melhor no basquete profissional do que no College devido ao espaçamento de quadra muito maior no jogo profissional

Pontos fracos

– falta de explosão pode limitar seu poderio como finalizador na NBA e dificultar sua vida quando for enfrentar marcadores mais fortes e ágeis
– precisa melhorar a movimentação sem a bola e se estabelecer como cutter (jogador que se movimenta subitamente buscando uma melhor posição para finalizar)
– sua mecânica de arremesso está melhor, mas ainda necessita de ajustes, já que a bola não sai tão rapidamente de suas mãos
– tomada de decisões questionável; precisa melhorar a seleção de arremessos e diminuir o número de desperdícios de bola quando tenta o drible para alcançar a cesta
– não chama a atenção como reboteiro defensivo; não executa bem o box out e não mostra a mesma agressividade na tábua defensiva
– deixa a desejar como defensor sem a bola; tem alguns lapsos defensivos, precisa ser mais focado e ter mais disposição na ajuda defensiva e nas trocas de marcação

Comparações: Paul Millsap (Denver Nuggets), Taj Gibson (Minnesota Timberwolves) e Jerami Grant (Oklahoma City Thunder)

Projeção: entre as escolhas 10 e 20

Confira alguns lances de P.J. Washington

Legenda: sophomore (segundo ano universitário)