Prospecto do Draft 2019 – R.J. Barrett

Por Gabriel Andrade

R.J. Barrett

Idade: 18 anos
País: Canadá
Universidade: Duke
Experiência: freshman
Posição: ala-armador/ala
Altura: 6’6,5’’ (1.99m)

Médias na temporada 2018/19: 22.6 pontos, 7.6 rebotes, 4.3 assistências, 0.9 roubada de bola, 0.4 toco, 3.2 desperdícios de bola, 45.4% de aproveitamento nos arremessos de quadra, 30.8% de aproveitamento nas bolas de três pontos, 66.5% de aproveitamento nos lances livres, 35.3 minutos em quadra

Pontos fortes

  • Altura e envergadura de elite para um wing. Braços longos (6’9’’ de envergadura) lhe permite estender finalizações ao redor do aro, além de conceder versatilidade defensiva.

  • Forte, com ombros largos e capaz de absorver contato. Joga em um estilo físico, buscando o contato com agressividade.

  • Jogo de pés acima da média, capaz de usar euro steps, hop steps, side steps e uma gama de movimentos de mudança de direção e controle de corpo, demonstra destreza ao finalizar ao redor do aro e criar separação. O tamanho de sua passada é impressionante, ganha muito espaço em poucos passos.

  • Apesar de nem sempre mostrar isso em seu jogo, Barrett é um playmaker com capacidade de criar em situações diversas, buscando passes para o lado contrário e com criatividade para enxergar os buracos da defesa.

  • A montagem de elenco de Duke deixou a equipe com pouquíssimos arremessadores. Seu jogo de slasher na NBA, em tese, pode se beneficiar do melhor espaçamento de quadra.

  • É capaz de arremessar após o drible em alguns tipos específicos de situações, não se trata de um non-shooter.

  • Possui ampla experiência internacional para além do College, conquistando, entre outras coisas, títulos em torneios de base pelo Canadá e já até estreando pela seleção adulta com boas atuações.

  • É criador de jogadas, capaz de atuar e comandar um ataque por longos períodos de tempos.

  • Adora jogadas de isolação e é habilidoso o suficiente para executá-las em um bom grau.

  • É um prospecto muito polido, experiente e que não foge dos momentos decisivos. Pode não ter o maior potencial e as ferramentas mais chamativas para o jogo coletivo, mas dificilmente será um bust.

Pontos fracos

  • Seleção de arremessos historicamente crítica, sobretudo nos momentos decisivos das partidas. Concentra muito o jogo em si mesmo e pouco envolve os companheiros para alguém que passa tanto tempo com a bola nas mãos.

  • Físico e fluido, mas não tem explosão de elite para criar separação contra os defensores sempre.

  • Arremessador inconsistente de longa distância, com porcentagens historicamente baixas em arremessos de três pontos em um volume considerável. Aproveitamento nos lances livres também denuncia a falta de efetividade nesse quesito. Não possui versatilidade neste momento para arremessar em movimento.

  • Defensor muito aquém de seu potencial, pouco contribui com roubos e tocos, além de ser desatento fora de bola, constantemente perde seu oponente e, por muitas vezes, não demonstra muita energia desse lado da quadra.

  • Muito dependente da mão esquerda, tanto no controle de bola quanto ao redor do aro. Precisará trabalhar sua ambidestridade para se adequar como um grande pontuador no próximo nível.

  • Procura ângulos questionáveis e pode ser previsível forçando seu jogo, por vezes. Enquanto possui um talento natural e imperfeitamente imitável nesta classe, pouco jogou de maneira coletiva durante a temporada do basquete universitário.

Comparações: mix de DeMar DeRozan (San Antonio Spurs), Monta Ellis (ex-Golden State Warriors) e Sarunas Marciulionis (ex-Golden State Warriors)

Projeção: TOP 3

Confira alguns lances de R.J. Barrett

Legenda: freshman (primeiro ano universitário)

  • Gustavo

    Decepcionou um pouco na NCAA, mas ainda assim tem potencial pra ser relevante na NBA.

    Uma boa escolha pro Cavs, Hawks e Knicks se caírem na 2 ou 3

  • Alex Alves

    O Canadá esta formando uma excelente seleção.

    • Leonardo

      Verdade, além de R.J. temos excelentes nomes na NBA. Os mais famosos que eu lembro são Cory Joseph, Jamal Murray, Andrew Wiggins, Kelly Onlynyk, Tristan Thompson e Andrew Nicholson. Mas provavelmente devo estar esquecendo de alguns.

      • Alex Alves

        Com algum destaque é esse mais: Staukas e o Shae.

        *Nesse draft por exemplo me parece que deve chegar mais uns 4/5 canadenses a longo prazo devem formar uma excelente seleção.

        • Gustavo

          Tem também Dillon Brooks, Trey Lyles e Dwight Powell

          E além do RJ, o Nickeil Alexander-Walker (primo do Shai) é cotado pra ser escolhido na primeira rodada do draft.

          • Alex Alves

            Brandom Clark também que esta me alguns mocks top 15/20.

            * Igual comentei acima a longo prazo eles devem forma uma base boa, e por exemplo você ter 20/25 jogadores na NBA ajuda muito na hora de formar uma equipe.

    • Leonardo

      Claro que não podemos esquecer da lenda Anthony Bennet!

      • Alex Alves

        Bennet realmente rsrs, foi o maior bust da NBA.

  • Em breve o time canadense poderá bater de frente com o time americano.

    • Maicon Gomes

      Não vejo isso amigo.

    • Guilherme

      Ser uma potência do basquete mundial ok, bater de frente com os Estados Unidos, praticamente impossível. Time “B” americano é melhor do que qualquer seleção do mundo.

      • Veja bem, disse bater de frente, fazer jogo duro. Não ganhar continuamente.

    • Alex Alves

      Muito complicado isso, agora virar a segunda maior potência do basquete em 5/10 anos com toda certeza até mesmo pelo número de jogadores na NBA.

      * Se eles conseguirem uma média de adicionar 2/3 jogadores por ano na NBA em pouco tempo consegue montar um elenco todo com jogadores da liga. O problema é que nenhum deles ainda é um FP.

      • Gustavo

        Já da pra fazer uma seleção só com 12 jogadores da liga (considerando o RJ)

        Shai / Cory Joseph
        Jamal Murray / Dillon Brooks / Nik Stauskas
        Andrew Wiggins / RJ Barret
        Kelly Olynyk / Trey Lyles
        Tristan Thompson/ Dwight Powell / Khem Birch

        E ainda sobram Chris Boucher (Raptors), Justin Jackson (Magic) e o Nickeil Alexander que deve ser selecionado na 1a rodada do próximo draft.

        • João Marcelo Silva de Almeida

          E pensar que poderiam ter o Bennett, caso este não tivesse bustado

        • Lucas Henrique

          Um time fraquíssimo por sinal, já imaginou Tristan Thompson, Olynyk, Wiggins no mesmo time? Omg, só escapa a jovem dupla de armação, que apesar de boa, não é de elite

  • Celso Cachali Jr

    Novo Andrew Wiggins.

    • JVC

      Sem preguiça ?

      • Celso Cachali Jr

        Torcemos para que não tenha hehehehehe

    • Jeck Dias

      kkk foda né. Vejo ele com um teto absurdo ate mais que próprio Zion sei que ele te um físico nunca visto antes no basquete universitário já na NBA só tem Monstros tbm.

      • Celso Cachali Jr

        Ele Wiggins tinha uma hype maior que o Barret, vejo os dois muito semelhantes.

  • Nilton Bitencourt

    Cavs

  • Ramon Estevão

    Acredito que, dependendo da franquia que pegue a pick 01, pode ser ele.