Paul Reed

Idade: 20 anos
País: Estados Unidos
Universidade: DePaul
Experiência: junior (terceiro ano universitário)
Posição: ala-pivô
Altura: 6’9″ (2,06m)
Envergadura: 7’2″ (2,18m)
Peso: 100 kg

Médias na última temporada: 15.1 pontos, 10.7 rebotes, 1.6 assistência, 1.9 roubo de bola, 2.6 tocos, 2.3 desperdícios de bola, 51.6% de aproveitamento nos arremessos de quadra, 30.8% de aproveitamento nas bolas de três pontos, 73.8% de aproveitamento nos lances livres, 31.7 minutos por jogo

Pontos fortes

– ala-pivô dotado de ótimos atributos atléticos; corre a quadra bom bastante fluidez, letal no jogo de transição, destaca-se pela impulsão e possui altura adequada e envergadura invejável para jogar na posição 4
– grande e explosivo finalizador; capacidade de finalizar com ambas as mãos, alvo fácil em pontes aéreas, exibe um excelente trabalho de pés e movimentos avançados no low post (spin moves, fakes, euro-step), ataca closeuts com eficiência e é um sólido cutter (jogador que se movimenta subitamente buscando uma melhor posição para finalizar)
– excelente e versátil defensor (no um contra um, sem a bola e na ajuda); agressivo, combina bem sua agilidade lateral de elite, instintos, verticalidade e fundamentos para defender com eficiência o perímetro e a área pintada, usa com propriedade seus braços longos para antecipar linhas de passe e tem um ótimo timing para bloquear arremessos
– reboteiro de elite; agressivo nas duas tábuas, utiliza muito bem seus braços longos e tem uma impulsão invejável, executa bem o box out
– intensidade em quadra; grande competidor, Reed atua sempre com muita garra e dedicação
– protótipo de role player que poderá trazer um grande impacto defensivo; deverá ter o seu lugar em uma NBA cada vez mais adepta ao jogo em velocidade e com formações baixas; forte candidato a steal no recrutamento, já que vem sendo projetado como escolha de segunda rodada

Pontos fracos

– náo é franzino, mas precisa adicionar força física para enfrentar os bigs na NBA, já que deverá ter bastante espaço na liga como pivô nas formações mais baixas, em resumo: tem fundamentos e atributos atléticos, mas ainda lhe faltam músculos para encarar o jogo mais físico na área pintada
– mecânica de arremesso problemática e pouco ortodoxa; falta fluidez à forma de seu arremesso
– jogo de perímetro; não espaça tanto a quadra e não tem um arremesso de média e longa distância consistente, precisa melhorar isso para garantir minutos na posição 4 na NBA atual
– tomada de decisões questionável; peca em determinados momentos na seleção de arremessos e força passes complicados, de tão intenso em quadra, ele acaba se precipitando e cometendo erros tolos e se pendurando em faltas
– controle de bola apenas mediano, o que poderá lhe trazer problemas na criação do próprio arremesso no nível profissional, mostra dificuldades quando tenta bater a bola e partir para a cesta
– embora seja fácil enxergar sua utilidade na NBA, não se trata de um prospecto que ofereça muito upside

Comparações: Paul Millsap (Denver Nuggets) mais atlético e magro / Christian Wood (Detroit Pistons)

Projeção: início de segunda rodada

Confira alguns lances de Paul Reed