Tyrell Terry

Idade: 19 anos
País: Estados Unidos
Universidade: Stanford
Experiência: freshman (primeiro ano universitário)
Posições: armador / ala-armador
Altura: 6’1″ (1,85m)
Envergadura: desconhecida
Peso: 72 kg

Médias na última temporada: 14.6 pontos, 4.5 rebotes, 3.2 assistências, 1.4 roubo de bola, 0.1 toco, 2.6 desperdícios de bola, 44.1% de aproveitamento nos arremessos de quadra, 40.8% de aproveitamento nas bolas de três pontos, 89.1% de aproveitamento nos lances livres, 32.6 minutos por jogo

Pontos fortes

combo guard que é uma verdadeira ameaça no jogo de transição, seja na tomada de decisões ou como pontuador
– arremessador versátil; excelente chutador do perímetro, é letal nas situações de catch and shoot (recebe a bola e arremessa) e spot up (fica parado em um local da quadra, recebe o passe e logo arremessa), capaz de chutar em movimento e após o drible (utiliza muito bem os corta-luzes), possui uma sólida mecânica de arremesso (a bola sai rapidamente de suas mãos)
– ataca closeouts com inteligência e é um eficiente cutter (jogador que se movimenta subitamente buscando uma melhor posição para finalizar)
– capacidade de criar para si e para os companheiros; bom passador no drive-and-kick (quando infiltra e passa a bola para um companheiro em melhor condições de pontuar), tem uma sólida visão de quadra (especialmente em transição)
– não precisa da bola nas mãos para ser útil; sabe se posicionar e movimenta-se muito bem sem a bola
– esforçado na marcação, apesar das limitações físico-atléticas, tem um bom trabalho de pés
– protótipo de armador que, no profissional, deverá ser mais útil vindo do banco de reservas, ‘incendiando’ a equipe com sua capacidade de arremessar de todos os cantos da quadra, de preferência atuando ao lado de um playmaker

Pontos fracos

– necessita ganhar força física para encarar o basquete profissional; poderá ter problemas na marcação de armadores mais ágeis, altos e fortes e nas infiltrações no garrafão adversário
– falta de atleticismo de elite; carece de um primeiro passo explosivo, não é um grande saltador e nem se destaca pela impulsão
– não ataca a cesta com tanta frequência, talvez por conta do corpo franzino, prefere arremessar a infiltrar
– não é um bom defensor (no um contra uma, na marcação sem a bola, na ajuda, perde-se facilmente nos corta-luzes e nos pump fakes), no nível profissional terá que ser “escondido” na defesa
– precisa ser mais consistente no arremesso após o drible e nos chutes de média distância
– controle de bola mediano, não é um passador criativo, tendência de ser utilizado mais como ballhandler secundário

Comparações: Seth Curry (Dallas Mavericks) / Jason Terry (ex-Dallas Mavericks)

Projeção: entre as escolhas 22 e 36

Confira alguns lances de Tyrell Terry