Quem quer enfrentar o Warriors?

Por Ricardo Romanelli

Quase todos os anos, surge um time que não é um dos favoritos ao título, mas, com certeza, nenhum dos principais candidatos a vencer o campeonato deseja enfrentar nos playoffs. Na atual temporada, acredito que a equipe que se encaixa nesta descrição é o Golden State Warriors.

Formado por uma combinação de jovens armadores e pivôs mais experientes, o time comandando por Mark Jackson acaba de emplacar uma série de dez vitórias seguidas – terminou contra o Nets, fora de casa, na última quarta –, a maior em 40 anos da franquia.

Esta série invicta vem apoiada em diversos fatores que explicam o sucesso do Warriors, mas o maior deles talvez seja o poderio ofensivo de Stephen Curry –evidenciado não apenas na pontuação, como também na criação de jogadas. O armador sempre foi um jogador diferenciado, mas, nesta temporada, vem calando os críticos exibindo sua qualidade como passador. Além dos 23 pontos, ele fica atrás apenas de Chris Paul no quesito assistências (9.6 por jogo). Belo número para quem, no passado, foi taxado de “fominha” ou simplesmente um arremessador.

Esta mudança de postura se explica pela tutela de Mark Jackson. O treinador, que chegou em 2011 ao time, foi armador durante sua carreira na NBA. Não um dos mais brilhantes, é verdade, mas foi titular em quase todas as equipes que passou e sempre buscou envolver seus companheiros de equipe. É essa mentalidade que ele conseguiu que Stephen Curry assimilasse, tornando o jovem armador no grande jogador que é hoje.

Além disso, também deve-se apontar o sucesso do garrafão do Warriors. David Lee e Andrew Bogut são o complemento perfeito um do outro. Lee tem ótimo jogo ofensivo de frente para a cesta, corre muito bem a quadra e dá algumas assistências direto do low-post, dando ao Warriors uma excelente segunda opção, diferenciada, de iniciação de jogadas. Por sua vez, Bogut é um excelente defensor, com boa noção de jogo e de espaçamento, que sabe cobrir os espaços vazios na quadra, especialmente aqueles deixados por Lee. Tem um jogo razoável de costas para a cesta e é a âncora de um sistema defensivo mais eficiente do que se poderia imaginar. Ambos também são grandes reboteiros, figurando entre os líderes da liga.

Os jogadores de perímetro também são uma atração a parte. Klay Thompson, que disputa sua terceira temporada na NBA, se firmou como grande pontuador. Beirando os 20 pontos de média por partida, o ala-armador compõe o equilibrado ataque do Warriors, que tem Curry, Lee e ele próprio como principais expoentes. Não é um atleta brilhante na defesa, mas nem de longe compromete o time.

Quem carrega a defesa do perímetro é o experiente Andre Iguodala, principal contratação do time no último período de férias, e grande “coringa” de Mark Jackson em quadra. Iguodala sempre foi um jogador versátil, que sabe infiltrar e também se garante com seu arremesso. Bom defensor que corre bem a quadra e sabe carregar a bola caso necessário – o que tem feito ainda mais constantemente neste ano. Após nove anos de NBA, não vive sua melhor fase estatística, mas, tarimbado, é um jogador imprescindível no atual esquema do Warriors: é o homem que dá segurança ao perímetro formado pelos jovens Curry e Thompson.

O time tem excelente relação ataque/defesa. Com aproximadamente 104 pontos de média, o ataque é o nono melhor da liga, ao passo que a defesa, que concede aproximadamente 98 pontos por jogo, é a 10ª melhor da NBA. Por isso, se existe uma palavra que define bem o Warriors, é o equilíbrio. Equilíbrio entre ataque e defesa, entre perímetro e garrafão, entre juventude e experiência, entre intensidade e frieza.

Numa conferência com equipes badaladas e candidatos a MVP (Oklahoma City Thunder, San Antonio Spurs, Houston Rockets, Los Angeles Clippers, e até a surpresa Portland Trail Blazers), é verdade que quase ninguém acredita em chances de título para a equipe de Oakland. Mas também é fato que, hoje, nenhum dos favoritos a chegar às Finais quer cruzar com uma equipe tão motivada, balanceada e eficiente em uma das etapas iniciais dos playoffs.

É justamente esta posição que coloca o Warriors em situação única na NBA: ninguém espera que cheguem às Finais, mas quem vai ficar verdadeiramente surpreso caso cheguem?

[polldaddy poll=7702724]

Ricardo Stabolito Jr.
Ricardo Stabolito Jr.
Jornalista de 27 anos. Natural de São Bernardo do Campo, mas vive em Salvador há mais de uma década.
  • Léo NYK

    Ano passado, sem Iguodala, o GSW chegou às semis, sendo derrotados pelo Spurs (q chegaram à final da NBA e quase foram campeões). Pra mim, é muito mais provável um titulo do GSW do que do Blazzers (é um ótimo time, mas está apresentando uma pequena queda de rendimento) Clippers (sério?) e Rockets (depende de quantos lances livre Harden bater, se mantiver a média de 125820 por jogo, quem sabe. E por falar em lance livre, quem sabe Howard não começa a acertar todos? rsrs Difícil o Rockets ser campeão hein. É o time dos free throws da Nba). O OKC depende muito da volta do Westbrook. Durant só não está fazendo chover, mas sozinho fica complicado. Sobre o SAS, é um grande favorito sim, principalmente pq o seu Big 3 tá muito bem (redundância), tem um técnico excepcional e bons role players, como Belinelli, que está fazendo ótima temporada.

  • Luiz Funchal

    Acredito que o maior problema do GSW desse ano em relação ao ano passado é o banco menos eficiente. Jack e Landry fazem muita falta a esse time, e não vejo Harrison Barnes sendo tão eficiente quanto deveria saindo como 6th man

    • Renato Lgb

      Concordo Funchal!!!

  • Esse time é fantástico, em uma partida inspirada, pode vencer qualquer adversário, já em uma série de offs precisa de mais consistencia, ano passado contra o Spurs esteve próximo de fazer um crime épico, porem a falta de maturidade e os desfalques atrapalharam, acho que tudo depende da formatação dos confrontos, mais é um time que pode ir muito longe, e fazer frente a qualquer outro.

  • DUMZ

    Time top !! Muito legal de se ver jogar … assim como Portland e OKC !

  • Zorg

    GSW completo e saudável é um dos times mais perigosos de se enfrentar …. infelizmente não podemos manter o Jack e o Douglas não vem rendendo o esperado mas o acréscimo do AI (além de nos livramos dos contratos de Jefferson e Biendris) compensa e muito a perda …. Barnes ainda está se adaptando a nova função, Speights e O´neal veem dando conta do recado, em breve Ezeli estará retornando e com amadurecimento do Green e do Nedovic estamos montando um forte time e com opções no banco para os próximos anos … além de contarmos com uma base sólida e talentosa é jovem … no banco temos Mark Jackson treinador que vem mostrando saber tirar o melhor do seu grupo além de contarmos com Jerry West comandando as operações ….

  • Marcos Gordinho

    A equipe que mais tenho assistido partidas, apesar de torcer pelo Heat é o Warriors. se Jack tivesse ficado e Curry diminuisse o número de turnovers seria um dos principais concorrentes ao anel. Iggy segurou as pontas na defesa, mas a equipe se esgota demais com titulares com muitos minutos de quadra. Vale destacar que o Warriors nessa sequência de vitórias ganhou várias partidas como visitante, e a torcida deles é muito empolgada com a equipe. Nota: Equilíbrio e experiência no fechamento de certas partidas ainda é o calcanhar de Aquiles.

  • Luiz Henrique Santos

    Interessante o texto, tenha uma opinião parecida sobre o Warriors, só acho que Mark Jackson foi sim um dos armadores mais brilhantes do seu tempo, não era tão completo, porém um ótimo passador que sabia envolver os seus companheiros.
    https://www.youtube.com/watch?v=g2ikqKQ3XSA
    Claro que Jackson não era um grande arremessador e nem tinha tanta explosão para atacar a cesta, mas, como armador puro, o cara foi uma lenda e só não foi o líder de assistências na NBA, por causa de um tal de John Stockton.

  • rafael taborda

    Me desculpem os torcedores… más acho que esse Warriors não passa das Semifinais no velho OESTE… Playoffs é outra coisa …

  • CosmeCelta

    Time mais legal de ver jogar, sem dúvidas.
    Aposto neles na final do Oeste, contra OKC provavelmente. Ou Spurs, dependendo da configuração das chaves iniciais dos playoffs.

  • Michel Moral

    Realmente o GSW é um time que ninguém quer cruzar.

    Vejo dois problemas nessa equipe, lá vai:

    1 – Lesões: os seus principais jogadores têm problema com isso e a falta de um deles faz com que o rendimento da equipe desmorone.

    2 – Embalo e inspiração: diferentemente dos prováveis campeões, as características do Warriors tem por base “estar em uma boa fase”. Nem sempre os tiros de longe vão cair e quando isso acontecer o garrafão vai ter que dar conta do recado.

    Nesse segundo quesito, Miami, Spurs, Okc e alguns outros saem na frente. É o diferencial do campeão.

    Pode ser que o time amadureça e tudo que eu escrevi vire uma grande bobagem, mas isso só o tempo dirá. De qualquer jeito
    jeito, eu não gostaria de cruzar com Golden State.

  • Jogador Estrela!

    O time mais completo da NBA e para ajudar é jovem. Numa série de 7 jogos só mesmo o Heat que o pode parar porque o resto não vejo quem consiga parar o Curry, Lee, Thompson e Bogut em dia sim.

  • Guga

    Pelo seu ataque, o Warriors tem sido um dos times mais divertidos de se ver jogar nessa season. Torço muito para que eles possam ir longe nos playoffs mas, tendo assistido seus jogos, acredito que ainda falta algum jogador elevar seu jogo ao nível “Superstar”. Ok, o Curry tem evoluído mto bem, porém em alguns momentos do jogo, percebo muita afobação nos seus arremessos e algumas decisões de passe que ainda precisam ser melhor pensadas e amadurecidas, haja visto alguns TO’s bestas que ainda comete… O Thompson, como todo shooting guard puro, está sujeito a ter oscilações e se em uma noite todos os arremessos caem, na noite seguinte pode não cair nada.. O Iguodala parece que com o tempo, abriu mão do jogo de ataque e priorizou sua defesa, algo que sabe fazer como poucos na liga. O Lee sabe agredir bem a cesta, tem forte jogo dentro do garrafão e um ótimo arremesso fora dele, agora se na defesa ele ainda deixa a desejar, o Bogut compensa isso, protegendo bem a cesta, distribuindo tocos e garantindo os rebotes. Ah sim, ainda é um bom passador no post, sabe enxergar mto bem os companheiros qdo está próximo à cesta no ataque. Resta torcer para que qdo abril chegar, esse elenco esteja saudável!
    O banco de fato está pior do que ano passado, o Jack e o Landry fazem falta, Barnes ainda está inconsistente, talvez ainda se ajustando ao papel de sexto homem. Destaque pro Draymond Green, um segundo anista que é um dos mais enérgicos e “chatos” defensores da liga e pro Jermaine que ainda mostra que tem lenha pra queimar e tentar um título nos seus últimos anos na NBA, isso se as contusões deixarem.
    É um time equilibrado, com excelentes jogadores no ataque (Curry, Thompson, Barnes, Lee, Douglas), assim como defensores (Iguodala, Bogut, Green).
    Minha aposta é que são um dos fortes concorrentes às finais de conferência, mas acho que sucumbiriam caso tivessem Spurs ou Thunder pela frente.
    Porém, é um dos times que muito possivelmente podem carimbar uma ida às finais da liga nos próximos 3 anos!