Rei 2K: os melhores e piores novatos avaliados das últimas edições do jogo

Caros e caras, com a recente polêmica da lista dos melhores atletas da NBA feita pela ESPN, uma discussão importante surgiu. Quão bons realmente os novatos são? Quem está sendo valorizado demais e quem está recebendo o desprezo absoluto e total da 2K?

O método de rating dos atletas foi modificado ao longo dos anos e isso sempre gerou muito mimimi. Ora por muito hype, ora por falta de hype. Como um Rei justo, não irei voltar à época do 2K4, onde LeBron James ficou com um overall de “apenas” 78. O jogo mudou muito de lá pra cá e o sistema também.

A discussão começa na classe de rookies do NBA 2K12. Kyrie Irving e Kemba Walker foram os grandes destaques da edição com 76 pontos cada, mas e o resto? Klay Thompson ficou com 65, atrás de Alec Burks, que gosta de um ambulatório, e MarShon Brooks, o famoso quem. Na ala, Kawhi Leonard recebeu 72. Tudo bem que ninguém esperava que ele se tornasse o superstar que se tornou, mas faltou generosidade. Mesmo caso de Jimmy Butler, 67. Tobias Harris (65), Tristan Thompson (66) e Nikola Vucevic (57) foram outros injustiçados do Draft.

No 2K13, menos polêmicas. Uma geração com as estrelas bem mais definidas e poucas surpresas. Anthony Davis foi o destaque com 80, seguido por Bradley Beal, Damian Lillard e Harrison Barnes, todos com 75. Thomas Robinson, que em seu último ano jogando por Kansas teve médias de 17 pontos e 12 rebotes, recebeu 74, mas isso nunca foi demonstrado nas quadras reais da NBA.

O de 2014, meu Draft favorito. O Cleveland Cavaliers teve a ousadia de escolher Anthony Bennet na primeira posição. 76 de rating, o mais alto dentre os novatos. Me recuso a comentar a carreira do canadense na liga. Trey Burke, 73, Michael Carter-Williams, 61. 61! MCW ainda foi ROY. C.J. McCollum, 72. Giannis Antetokounmpo, 60. Neste momento meus olhos sangram. Queria chamar atenção para como os “profissionais” do 2K eram bons em avaliarem pivôs. Alex Len e Steven Adams ficaram com 57 cada, enquanto Rudy Gobert 53! #JeSuisGobert

Na edição seguinte do jogo, devem ter mudado a equipe de ratings. A melhora na escolha dos atributos ficou clara. Veja a lista aqui e tire suas próprias conclusões. Talvez eu desse mais um ou dois pontos a T.J. Warren e Zach LaVine, ambos com 72.

A classe de 16′ era parecida com a de 13′. Os melhores novatos estavam claros e não teriam como ser mal avaliados. Meu destaque vai para Karl Anthony Towns e Kristaps Porzingis. Os grandalhões começaram o jogo com 78 e 74, respectivamente. Terminaram com 86 e 80 de overall. D’Angelo Russel e Jahlil Okafor ficaram com justos 77. O mimimi da geração ficou por conta de Devin Booker e Myles Turner. O pivô foi a décima primeira escolha e parou nos 73 pontos, enquanto o ala-armador, décimo terceiro, 72. Curiosamente, hoje os dois estão melhores que D-Lo e Okafor.

No NBA 2K17 os rookies foram liderados por Ben Simmons, que ainda nem estreou. O ala australiano foi o top-overall(79) mas quebrou o pé e não pode mostrar a que veio ainda. Brandon Ingram recebeu GENEROSOS 78 e decepcionou. Mesma história de Kris Dunn, com 77. A dupla terminou a temporada em baixa com os fãs do 2K. Dragan Bender(72) e Jaylen Brown(74) tiveram espaço mas não produziram e justificaram a pontuação.

FINALMENTE, 2K18. A lista é essa e ficam vários pontos a serem discutidos. Lonzo Ball e Markelle Fultz foram os armadores com maior destaque(80), mas terminarão a temporada a frente dos outros? E quanto a dupla de alas Jayson Tatum e Josh Jackson? Jackson saiu na frente, 78 contra 77, porém ambos devem começar o ano como reservas. Quem conseguirá mais minutos e mais ratings? Bam Adebayo(72) conseguirá se manter ativo no garrafão do Heat? Falta profundidade e o pivô tem tudo para dar um grande salto durante a temporada. Luke Kennard(73) vai ser o shooter que o Pistons tanto precisa? Harry Giles (70) superou as lesões que o assombraram no College e vai atuar em alto nível?

Obviamente muitos atletas ficaram de fora, mas precisaremos que outubro chegue logo para tirarmos as dúvidas acima e as que ainda restarem. Enquanto isso, vamos jogando!

Dica importante do Rei: cuidado com as Draft Class que você baixa no seu jogo. Muitas são mal feitas e alguns editores se colocam no jogo. Isso mesmo senhor Nick Johnson, classe de 2019. Procurem sempre pelas criações do Embrace The Pace, ele é o cara.

  • Boas dicas, mas para mim a surpresa da temporada não é do NBA2K e sim o concorrente: NBA Live 18. O JOGO ESTÁ BOM DEMAIS!

    As mecânicas de jogo são muito intuitivas e acessíveis para novatos, os gráficos estão lindos, as quadras foram recriadas com perfeição, a trilha sonora é kilometros superior a trilha do 2K17, tem muitos modos de jogo (inclusive um Ultimate Team simplificado, o que pra mim é qualidade) e um modo história que faz o famigerado “Orange Juice” do 2k17 passar vergonha. Eu tô extremamente satisfeito com o NBA Live, perde feio apenas no modo de GM.

    BTW, já estou jogando o 2k18 também e meu veredito até o momento é que o vencedor desse ano é o Live. O modo neighborhood é legal na teoria, mas lembra do VC? Então, nunca foi tão obrigatório e difícil conseguir. Tudo e qualquer coisa custa rios de VC e conseguir VC está muito, mas muito mais difícil do que em qualquer outra edição do 2k. É um sistema de micro transação (típico de jogos F2P) agressivo em um game com valor de U$60,00 – é ofensivo! A jogabilidade é a mestria de sempre e a mecânica de arremessos melhorou demais (léguas a frente do NBA 2K17, a pior versão do jogo em muitos anos). O modo história tá mais direto, sem o melodrama irritante de 2016 do Spike Lee nem as decisões obrigatórias e a amizade forçada do 2017. É um ótimo jogo, mas irritante em muitos aspectos, principalmente pata quem, como eu, tem como modo favorito o MyPlayer.

    Quem jogar no PS4, me adicionem: diogogi

    E deem uma chance ao Live, DUVIDO que se arrependam.

    • Achei bem interessante o live incluir a WNBA, é possível administrar as equipes em modo GM? Disputar campeonatos e afins? Ou só amistosos?

      • Infelizmente não. O modo WNBA resume-se a partidas amistosas, mas extremamente bem feitas. A mecânica feminina é bem apropriada, bastante natural.

        • Que pena, perguntei porque lembro do 2K incluir a EuroLeague em algumas edições, mas eram apenas jogos amistosos também.

  • Cesar Barros

    Melhor produtora de jogo de basquete! 2k é o fifa dos games!

  • Roberto Carlos Habermann

    Galera que vai pegar ou pegou o jogo, manda ID do PS4 ae

    • diogogi.

    • Matheus Bernardo

      paiasu

    • Rafael Martinez

      rafaelzahonih

  • Jimmy Butler, 67 para a 30° escolha do draft é pouco? Na época não lembro que as expectativas se resumiam no Butler se tornar um sólido defensor na liga e só. A maioria das avaliações fazem sentido para um rookie.

  • Matheus Bernardo

    Pelo que vi da Demo do 2k18 a bola parece estar com a cor diferente, mais pro marrom do que pro tradicional laranja, além disso a rede das tabelas estão diferentes também, sei lá, minha opinião haha

  • Fabrica de Vassilo

    Obrigado pela dica do draft class.

  • Rafael Martinez

    Jogando há quase uma semana percebi que no modo “My Team” esses jogadores recém draftados possuem duas versões diferentes e os “jogáveis” com “overall” menor! Fultz por exemplo tem “76” Overall e Lonzo Ball “75”. Fonte: http://2kmtcentral.com/18/players