Reservas fazem a diferença e Thunder empata série contra o Mavs

Contando com uma atuação inspirada do seu banco de reservas, o Oklahoma City Thunder venceu o Dallas Mavericks por 106 a 100 e empatou a final da Conferência Oeste em 1 a 1. Essa foi a primeira derrota do time de Dallas, em seus domínios, nos playoffs desta temporada. As duas equipes voltam a se enfrentar no próximo sábado, dia 21, às 22 horas (horário de Brasília), desta vez em Oklahoma.

A partida foi marcada pelo equilíbrio, do começo ao fim. O Thunder venceu o primeiro tempo por 59 a 57, com destaque para o ala Kevin Durant, que marcou 16 pontos. Pelo Mavs, o ala-pivô Dirk Nowitzki anotou 13 pontos. No terceiro período, as defesas dos dois times se sobressaíram e o placar foi baixo: 19 a 18 a favor do time de Dallas.

No quarto final, o técnico Scott Brooks arriscou e o único titular em quadra, por quase todo o período, foi Durant. Até o armador Russell Westbrook, que não vinha decepcionando, ficou o período inteiro no banco. A tática deu certo e os reservas guiaram o Thunder ao triunfo. O ala-armador James Harden anotou dez pontos e o ala-pivô Nick Collison não deu sossego para Nowitzki, apesar de o alemão ter marcado 16 pontos no período. O banco do time de Oklahoma anotou incríveis 50 pontos na partida.

O cestinha do Thunder foi Kevin Durant, com 24 pontos. James Harden marcou 23 e Russell Westbrook anotou 18. O armador reserva Eric Maynor também foi importante, contribuindo com 13 pontos. O time de Oklahoma teve um aproveitamento de 55.7% nos arremessos de quadra. Foram 39 acertos em 70 tentativas.

Pelo Mavs, o destaque mais uma vez foi o alemão Dirk Nowitzki, que anotou 29 pontos. O pivô Tyson Chandler conseguiu o duplo-dígito: 15 pontos e 13 rebotes. O veterano armador Jason Kidd marcou 13 pontos, distribuiu sete assistências e ainda foi responsável por cinco roubos de bola.

Gustavo Lima
Gustavo Lima
Jornalista graduado pela UFMG e pós-graduado em Produção em Mídias Digitais pela PUC-MG. Natural de Ipatinga e residente em BH. Editor do Jumper Brasil desde 2007. Acompanha a NBA desde 1993. Torcedor do Phoenix Suns, mas adepto da imparcialidade.