Boston Celtics

Campanha: 49-33, 4° na conferência Leste – eliminado pelo Milwaukee Bucks em cinco jogos na semifinal de conferência
Técnico: Brad Stevens (270-222)
Executivo: Danny Ainge

 

Jogos MP FG% 3P% FT% TRB AST STL BLK PTS/J
Kyrie Irving 67 33.0 .487 .401 .873 5.0 6.9 1.5 0.5 23.8
Jayson Tatum 79 31.1 .450 .373 .855 6.0 2.1 1.1 0.7 15.7
Marcus Morris 75 27.9 .447 .375 .844 6.1 2.1 0.6 0.3 13.9
Al Horford 68 29.0 .535 .360 .821 6.7 2.9 0.9 1.3 13.6
Jaylen Brown 74 25.9 .465 .344 .658 4.2 1.4 0.9 0.4 13.0
Gordon Hayward  72 25.9 .466 .333 .834 4.5 2.3 0.9 0.3 11.5
Terry Rozier  79 22.7 .387 .353 .785 3.9 2.5 0.9 0.3 9.0
Marcus Smart 80 27.5 .422 .364 .806 2.9 1.1 1.8 0.4 8.9
Daniel Theis 66 13.8 .549 .388 .737 3.4 3.5 0.3 0.6 5.7
Aron Baynes 51 16.1 .471 .344 .855 4.7 1.0 0.2 0.7 5.6
Brad Wanamaker 36 9.5 .476 .410 .857 1.1 1.6 0.3 0.1 3.9
Semi Ojeleye  56 10.6 .424 .315 .615 3.6 1.5 0.2 0.1 3.3
PJ Dozier 6 8.5 .381 .250 .500 4.0 2.8 0.3 0.6 3.2
Robert Williams 32 8.8 .706 .600 2.5 2.5 0.3 1.3 2.5
Greg Monroe 2 2.5 .600 2.2 1.5 0.0 0.0 3.0
Guerschon Yabusele 41 6.1 .455 .321 .682 2.5 1.3 0.2 0.2 2.3
RJ Hunter 1 26.0 .462  .400 .500 3.0 3.0 1.0 0.0 17.0

 

A temporada 2018-19 do Boston Celtics pode ser classificada entre antes e depois que começou. O time de Massachusetts era um dos favoritos, mas quando a bola subiu, a equipe simplesmente não rendeu. Problemas dentro dos vestiários foram noticiados com o astro Kyrie Irving como o principal pivô, Terry Rozier reclamou publicamente do tempo de quadra, enquanto o grupo não rendia. A coisa não funcionou. O técnico Brad Stevens foi obrigado a mudar o quinteto inicial pela pouca eficiência de Gordon Hayward, tentou várias formações com Al Horford de ala-pivô, porém ainda assim não houve grandes mudanças.

Nos playoffs, o Celtics superou o desfalcado Indiana Pacers em quatro jogos, dando a entender que a situação nos mata-matas seria outra. Veio o Milwaukee Bucks e, de cara, uma vitória por 112 a 90 fora de casa contra um dos times mais temidos da conferência. Só que a sequência parou por ali. O Bucks virou a série vencendo os quatro embates seguintes, colocando fim ao sonho de título.

2019-20

Não dá para ignorar o fato de que o Boston Celtics regrediu em qualidade no seu elenco para a próxima temporada. Perder Kyrie Irving, Al Horford, Terry Rozier e Marcus Morris é difícil você conseguir uma reposição. Quando chegam Kemba Walker e Enes Kanter, podemos cravar que Danny Ainge não obteve sucesso na agência livre.

Walker é um cestinha com características similares a Irving. Mas… não é a mesma coisa. O agora armador do Brooklyn Nets é um arremessador muito melhor e mais habilidoso. O que conta a favor é o fato de que Walker, no Celtics, não terá tanta obrigação de arremessar quanto tinha no Charlotte Hornets, podendo selecionar seus lances.

Kanter, que passou por New York Knicks e Portland Trail Blazers na campanha passada, sabe atacar, tem um ótimo posicionamento para os rebotes, mas não defende bem, o que não surpreende ninguém. O pivô, com tempo de quadra, tem volume de jogo suficiente para ser uma das principais armas no Celtics, basta saber se é isso o que Stevens pretende.

Hayward deverá ter mais oportunidades e espera-se que ele corresponda após um ano complicado. Recuperado da grave lesão ocorrida em seu jogo de estreia pelo Celtics, o atleta não rendeu bem em 2018-19 e foi sacado do quinteto titular. Sem Irving e Horford, provavelmente ele vai receber chances de ser a terceira ou quarta opção ofensiva.

Jaylen Brown e Marcus Smart serão tão exigidos quanto foram na temporada passada. Smart, melhor defensor de perímetro da equipe, parece ter se estabelecido como titular. Brown ainda mostra evolução lenta, mas é esperado que ele ganhe mais espaço.

Mais uma vez, o Celtics não tem a mesma qualidade técnica que nos últimos anos, mas pode brigar por algo. A classificação aos playoffs é tida como obrigação, entretanto.

Quem saiu

Kyrie Irving (Brooklyn Nets)
Marcus Morris (New York Knicks)
Al Horford (Philadelphia 76ers)
Aron Baynes (trocado para o Phoenix Suns)
Terry Rozier (Charlotte Hornets)

Quem chegou

Carsen Edwards – calouro
Enes Kanter – agente livre
Tacko Fall – calouro
Javonte Green – calouro
Romeo Langford – calouro
Vincent Poirier – calouro
Kemba Walker – agente livre
Grant Williams – calouro

Provável time base

PG – Kemba Walker
SG – Marcus Smart
SF – Jaylen Brown
PF – Jayson Tatum
C – Enes Kanter

Principais reservas: Gordon Hayward (SG/SF), Romeo Langford (SG), Daniel Theis (PF/C), Robert Williams (C)

Classificação: após brigar pelos primeiros lugares do Leste nos últimos anos, o Celtics chega em 2019-20 com boas chances de playoffs, mas em um patamar abaixo do que teve recentemente.

Gustavo Freitas
Gustavo Freitas
Mineiro de Uberaba, é co-fundador do Jumper Brasil e fã do Boston Red Sox.
  • Guilherme

    Os Celtics vão aos playoffs, só uma catástrofe impede isso de acontecer. E, se tudo der certo, tem boas chances de brigar pelo manda de quadra. De todo modo, não tem como não ficar decepcionado quando na temporada passada se projetava um time com chances de chegar a final e incomodar Golden State, a partir da premissa de que Tatum e Brown iriam se consolidar como jogadores de primeira linha e Hayward iria, saudável, entregar um basquete parecido com os bons tempos de Utah… Nada aconteceu e a sensação de “fim de festa” é inevitável.

    É bem possível que essa equipe seja bem mais divertida de se acompanhar, mas pra franquia mais vencedora da NBA, ver apenas um time divertido, sem muitas chances de sucesso, é frustrante, não tem como negar. Especialmente se atravessarmos o país e ver que na costa oeste o maior rival tem grandes possibilidades de levantar a taça. Veremos o que acontece, Stevens precisa encontrar soluções com as peças que tem. Se Tatum e Brown subirem de nível, Kemba for o mesmo Kemba de Charlotte e os rookies já contribuírem de imediato, as coisas podem dar certo. Mas tudo isso envolve uma série de variáveis, então, é difícil cravar algo agora. Fica a minha torcida, é tudo que dá pra fazer rs

  • Alan Ribeiro

    O que impressiona em tatum é seu aproveitamento de tiro mesmo caindo em relação a última temporada em nenhuma das três principais estatísticas ele é ruim pelo contrário é um ótimo arremessador ele tem que trabalhar nisso se ele melhorar um pouco o aproveitamento e ainda aumentar a quantidades de tiro por jogos ele alcança fácil a média de 20 PPG aí já viu o celtics vai achar outro ala para o Hall of fame.

  • Michel Moral

    Falando do que a gente observou nessa reconstrução do Celtics nos últimos anos, fica claro que formação do time para 2019-20 tende a ser mais produtiva.

    Só não dá pra ter certeza disso porque Horford é uma baixa importante (e a reposição é duvidosa, com Kanter).

    Acho que para o grupo, Kemba Walker é um upgrade em relação ao Kyrie. Jogador que não chega com uma banca de “eu sou o cara” e que vai colocar os companheiros contra a parede. A última temporada mostrou que não é desse jeito que esse Celtics funciona.

    Irving, por sinal, detonou o trabalho do Stevens. Por diversas vezes se colocou acima da instituição. Até quando saiu de Boston teve atitude mesquinhas, como negar autografar bolas que seriam para caridade. Pra mim, essa foi uma das atitudes mais desprezíveis de um ser humano (não falo nem do jogador de basquete em si).

    Tatum e Brown precisam se reencontrar agora que as coisas devem voltar ao normal, com menos insatisfações e mais trabalho.

    Sobre o Hayward, eu acho que vai depender muito de como ele vai se comportar também. É um jogador que rendeu muito em um Jazz com essa filosofia coletiva mais forte. Com a saída de Horford, pode fazer o papel de “capitão” do time. Vai depender muito dele para isso.

    Se esse grupo restabelecer aquela identidade característica do time do Celtics, pode ser que as coisas melhorem muito para a franquia. Se não já para a próxima temporada, como perspectiva para os próximos anos.

    • Julio Zago

      Belíssima análise! Também penso que a troca do Irving é a grande boa notícia dessa offseason, por mais absurdo que isso possa parecer.
      Irving não se enquadrou na filosofia do Stevens e parece ter sido um péssimo companheiro.
      Na minha visão as pretensões da equipe para o próximo ano vão passar muito pelo desenvolvimento de Tatum e Brown, principalmente do primeiro que possui potencial para ser protagonista, contando também com Kemba, Hayward e o bom trabalho do Stevens acho que o time continuará forte.

  • Fernando Henrique

    Por mais clubista que possa parecer, eu realmente não concordo com essa análise.
    Primeiro ponto, pensando no time (encaixe, características, defesa, etc) Kemba > Irving.

    Segundo, houve sim uma reposição aos jogadores que saíram. Perdemos muito com a ida do Horford (além de ser o melhor defensor do Embiid, que é um dos nossos principais adversários, ele trazia muita experiência e liderança, que agora deve ser oferecida pelo Hayward e Kemba), mas a saída de jogadores como Morris, Baynes e Rozier (mais experiência e alguma juventude) foi suprida por juventude (Langford, Edwards, Williams) e alguma experiência (Kanter)

    Os jovens do draft mostraram bastante potencial até agora, também existem as apostas em talentos do exterior (Poirier) e no Tacko Fall, que se contribuir minimamente vindo do banco na terceira unidade já justifica um lugar no time.

    Acredito que vamos começar com Kemba, Brown, Hayward, Tatum (que consegue jogar na 4 se tiver um pivo com mais presença no garrafão, que não era o caso do Horford) e Kanter, com Smart de sexto homem. Nosso banco com Smart, Langford, Edwards, os dois Williams e o Theis, talvez o Poirier, deve vir ávido pra mostrar serviço, além de ter bons pontuadores e alguma defesa.

    A minha maior expectativa pra essa temporada é que o Robert Williams cresça de produção e se mostre um bom pivô defensivo, roubando o lugar do Kanter no time titular.

  • RodrigoBrBa

    smart vai explodir e vai levar os celtics pra final da NBA
    gravem essas palavras

    • Alan Ribeiro

      Smart é o ator dos celtics aquele cara não joga nada só sabe simular faltas e mal para caramba ainda, não sei se está falando serio mas acho que o celtics devia coloca-lo no banco e utilizar Gordon Hardaway.

      • Matheus Fagundes

        Mas o Smart é um excelente defensor sem ele o Celtics ficam só ataque

        • Alan Ribeiro

          Eu não minto acho mesmo que na última temporada ele foi bem, só que os melhores momentos da carreira dele são suas simulações espalhafatosas, guardadas as devidas proporções em cada esporte parece até o neymar.

  • Julio Zago

    Analisando a temporada, pelo menos ao meu ver, fica um grande sentimento de decepção.
    Irving não se encaixou no esquema do Stevens, Hayward não foi o jogador que se esperava, a parte tática não mostrou o fino ajuste de outros tempos e para finalizar o clima no elenco não parecia dos melhores. Ou seja, muitos dos problemas passavam pelo Irving.
    Enfim, se classificar aos offs era obrigação, mas honestamente jamais acreditei em uma vitória na série contra os Bucks, considerando todo o contexto o time foi até o seu limite.
    Para a próxima temporada, ainda que o elenco tenha perdido em qualidade, acredito que o basquete apresentado pode ter um up, muito pela ausência do Irving e seu jogo individualista, absolutamente contrário a filosofia do Stevens.

  • Alan Ribeiro

    Para o celtics está é a temporada de virada para todos os jogadores, praticamente o elenco inteiro tem que provar alguma coisa vou elencar o que eu acho que alguns jogadores tem de provar.
    1° kemba walker : ele tem que provar que pode jogar junto a outros bons jogadores aguentar a pressão e vencer, afinal em Charlotte ele podia perder 50 jogos e todos colocariam a culpa na lista horrorosa dos hornets, agora não ele tem companheiros capazes alguns jovens outros não mas e ele é o líder deles e tem que vencer, porém mas do que vencer tem ainda que funcionar junto ao grupo como uma equipe, kyrie muitas vezes vencia os jogos mas não funcionava com seus companheiros e em playoffs minutos se a química não estiver boa o time definha.

    2° Gordon Hardaway : este tem que provar que vale o seu contrato, eu sei que sua lesão foi grave e quando o contrataram ninguém imaginava que ele se machucaria tão rápido, mas já se passou a temporada de recuperação e o celtics precisa de um jogador experiente nos playoffs , kemba pode ser velho porém é quase um extreante nos playoffs o único all star experiente na pós temporada na equipe é ele.

    3° jayson tatum: este é um jogador que a prova que ele der pode mudar o futuro da franquia, se kemba falhar e não ser o armador que se esperavam o time pode compensar achando outro protagonista dentro da própria equipe, se Gordon não voltar a ser o que era podem coloca-lo no banco e utilizar o super smart ou esperar está temporada passar e investir em outro ala pivô, mas se tatum não for a estrela em que boston construirá o seu futuro quem vai ser? Boston dificilmente vai cair nesta conferência e conseguir um draft alto, jaylen Brown não me parece a estrela de franquia em que se pode construir um futuro então acho que o destino a longo prazo do boston está hipotecado em tatum.

  • Wilker Pereira

    Previsão da temporada do Celtics ultima temporada :seed 1, NBA finals e Irving brigando pelo MVP
    Revisão da temporada : fracasso total

  • Felipe Monteiro

    Acho que irei um pouco na contramão da análise do Jumper. Penso que o Brad Stevens vai fazer o Celtics jogar como jogava até 2018. Como alguns já falaram aqui, para o jogo do Stevens, Kemba se encaixa melhor do que Kyrie (embora não tenho dúvida de que Kyrie seja um jogador melhor como um todo). O maior problema será p garrafão, Kanter é um decréscimo muito grande se comparado ao Horford. Mas a esperança dos Celtas reside em Gordon Hayward. Se jogar 80% do que jogava em Utah, aliado à juventude de Tatum e Brown, à liderança de Kemba e ao comando de Stevens, na minha opinião, Celtics termina em 3º na Conferência Leste.