Chicago Bulls

Campanha: 22-60, 13° na conferência Leste (não se classificou)
Técnicos: Fred Hoiberg e Jim Boylen
Executivo: Gar Forman

Jogos MP FG% 3P% FT% TRB AST STL BLK PTS/J
Zach LaVine 63 34.5 .467 .374 .832 4.7 4.5 1.0 0.4 23.7
JaKarr Sampson 4 31.8 .537 .357 .810 8.0 1.0 1.0 0.8 20.0
Lauri Markkanen 52 32.3 .430 .361 .872 9.0 1.4 0.7 0.6 18.7
Otto Porter 15 32.8 .483 .488 .906 5.5 2.7 1.2 0.6 17.5
Walt Lemon 6 27.8 .437 .400 .727 4.5 5.0 1.8 0.2 14.3
Jabari Parker 39 26.7 .474 .325 .731 6.2 2.2 0.6 0.4 14.3
Bobby Portis 22 24.1 .450 .375 .780 7.3 1.3 0.5 0.4 14.1
Justin Holiday 38 34.9 .383 .359 .891 4.4 2.2 1.8 0.6 11.6
Kris Dunn 46 30.2 .425 .354 .797 4.1 6.0 1.5 0.5 11.3
Wendell Carter 44 25.2 .485 .188 .795 7.0 1.8 0.6 1.3 10.3
Robin Lopez 74 21.7 .568 .226 .724 3.9 1.2 0.1 1.1 9.5
Wayne Selden 43 22.9 .407 .315 .714 3.2 1.7 0.5 0.2 8.0
Antonio Blakeney 57 14.5 .419 .396 .658 1.9 0.7 0.2 0.2 7.3
Timothé Luwawu-Cabarrot 29 18.8 .394 .330 .771 2.7 0.8 0.5 0.2 6.8
Ryan Arcidiacono 81 24.2 .447 .373 .873 2.7 3.3 0.8 0.0 6.7
Shaquille Harrison 73 19.6 .432 .270 .667 3.0 1.9 1.2 0.4 6.5
Cameron Payne 31 17.3 .411 .271 .880 1.7 2.7 0.6 0.2 5.7
Chandler Hutchison 44 20.3 .459 .280 .605 4.2 0.8 0.5 0.1 5.2
Brandon Sampson 14 15.3 .467 .379 .667 1.1 0.7 0.6 0.2 5.1
Cristiano Felício 60 12.4 .531 .000 .685 3.6 0.6 0.2 0.1 4.0
Rawle Alkins 10 12.0 .333 .250 .667 2.6 1.3 0.1 0.0 3.7
Tyler Ulis 1 1.0 0.0 0.0 0.0 0.0 0.0

Sem grandes ilusões, o Chicago Bulls iniciou a temporada 2018-19 sem alguns de seus principais jogadores, lesionados. Lauri Markkanen e Kris Dunn, dois dos titulares, começaram o ano em recuperação e só passaram a contribuir em dezembro. Quando entraram em quadra, a situação já não estava boa e o técnico Fred Hoiberg, próximo de demissão. Não demorou muito. Após 24 jogos e somente cinco vitórias, Hoiberg foi mandado embora.

O Bulls, então, passou a administrar seu elenco. Trocou Bobby Portis e Jabari Parker por Otto Porter, reduziu o tempo de quadra de Robin Lopez para dar espaço ao jovem Wendell Carter, mas este último se machucou e perdeu o resto da temporada. Aos poucos, os principais atletas foram poupados para que o time recebesse as melhores chances na loteria do draft.

Embora Zach LaVine tenha feito o melhor ano da carreira, o Bulls não teve a menor chance de se classificar. Muitas lesões em um grupo extremamente jovem. O brasileiro Cristiano Felício acabou não tendo tantas oportunidades quanto nos anos anteriores e viu seu tempo de quadra cair, produzindo apenas 4.0 pontos e 3.6 rebotes em cerca de 12 minutos.

Nas últimas quatro temporadas, a franquia de Illinois ficou fora dos playoffs em três. O projeto de Hoiberg acabou, mas o time segue respirando reconstrução.

2019-20

A próxima temporada tem cheiro, cor e textura da última. O Chicago Bulls tem sim um elenco jovem e promissor, mas não possui grandes reforços capazes de uma mudança imediata. Chegaram Tomas Satoransky e Thaddeus Young, que vão fazer parte da rotação. Coby White é o próximo na fila e espera por uma negociação de Kris Dunn para assumir a titularidade. Ou nem isso. Será um processo natural, no mínimo.

Zach LaVine e Lauri Markkanen seguirão sendo as principais armas ofensivas do elenco, enquanto o pivô Wendell Carter ganha experiência. Otto Porter vai ajudar mais do que em 2018-19, já mais ambientado e com espaço para tornar-se uma das referências. Jim Boylen afirmou recentemente que vai utilizar Markkanen como pivô em algumas ocasiões, deixando Cristiano Felício sem muito tempo de quadra.

Ainda não será dessa vez, mas o Bulls parece estar no caminho certo para uma reconstrução de seu elenco. A tendência é que o time comece a crescer aos poucos, superando as 22 vitórias de 2018-19.

Quem saiu

Robin Lopez (Milwaukee Bucks)
Walter Lemon (sem time)
Timothé Luwawu-Cabarrot (sem time)
Wayne Selden (sem time)
JaKarr Sampson (sem time)

Quem chegou

Coby White (calouro)
Daniel Gafford (calouro)
Tomas Satoransky (Washington Wizards)
Thaddeus Young (Indiana Pacers)
Luke Kornet (New York Knicks)

Provável time base

PG – Kris Dunn
SG – Zach LaVine
SF – Otto Porter
PF – Lauri Markkanen
C – Wendell Carter

Principais reservas: Coby White (PG), Tomas Satoransky (PG/SG), Thaddeus Young (SF/PF)

Classificação: apesar de a conferência Leste não ser tão forte, o Bulls só se classifica se alguma mudança drástica acontecer no andamento da temporada. A expectativa é que a equipe evolua já em 2019-20 para ter chances nos próximos anos.

Gustavo Freitas
Gustavo Freitas
Mineiro de Uberaba, é co-fundador do Jumper Brasil e fã do Boston Red Sox.
  • Alan Ribeiro

    Há chicago o que fazer para esta equipe ser campeã novamente?

    Primeiramente o GM deveria repensar toda a sua equipe e procurar estabelecer uma cultura vencedora, as vezes parece que os jovens desistem no meio das partidas é como se tivessem acostumados a perder.
    Depois de trocar zach lavine e não acredito que ele vá desenvolver uma defesa depois de todo este tempo e acho que ele não combina com Lauri, depois Estabelecer Lauri como Cara da equipe, não sei como Coby vai ser mas Wendel não será a próxima super estrela de Chicago então é melhor investir em Lauri mesmo.
    Por fim cercaria a equipe de jogadores defensivos afinal Lauri não é um bom defensor.

  • Satoranský deve ser titular. Jakarr Sampson assinou com o Indiana Pacers.

  • João Víctor Matos

    O banco deu uma considerável melhora com as adições dos experientes Satoransky e Thadeus Young. Acho que dá para terminar no top 10 do leste e quem sabe beliscar uma vaga nos playoffs.

  • Eduardo Muniz

    Ainda aguardo uma reformulação da direção do Bulls! Estes sim são os grandes vilões de a franquia ter se apequenado nos últimos anos.

  • JASPION DA MASSA

    Provavelmente mais um ano sem offs….a base é boa , mas ainda falta um armador pra chegar chegando. Não gosto e nem levo fé no cabeludo hahaha

  • Andre

    O que aconteceu com aquele denzel valentine, acho que e isso msm, alguem poderia me fala?

    • Guilherme

      Segue no elenco. Foi mais um que se machucou na última temporada.

  • Cavs&KingJamesaondeestiver

    está base do Chicago está bem interessante, o garrafão e muito promissor com W. Cartier e Markkanem, as alas com Levine e Otto Porther, só falta um PG confiável e poderiam ter oferecido uma proposta ao ídolo Rose.

  • Gustavo

    O time do Bulls é aquele caso clássico de que não é bom o suficiente pra chegar nos playoffs, nem ruim o suficiente pra ter uma escolha alta (se bem que com a nova regra do draft, isso depende mais da sorte do que da incompetência).

    É uma política que pode até render frutos, mas tem que ser com um planejamento muito bem executado, e de curto prazo. Tem que se trabalhar os ativos para enganar o mercado, fazer caras como Lauri, Lavine e Carter parecerem melhores do que realmente são, e trocar por ativos que realmente possam levar o time para um outro nível. Tem que saber aproveitar o potencial de bom roller players de Porter, Satoransky e Young para despachá-los para contenders que precisem de ajuda em seus bancos em troca de ativos futuros, ou jovens jogadores. E por fim, tem que manter o CAP baixo, CAP aberto sempre pode render um negócio como o D’Lo pros Nets.

    Enfim, o Bulls não pode se apegar a esses jogadores do atual elenco. Embora tenha talento ali, nenhum deles vai reconduzir o time à parte de cima da tabela. Se apegar a eles, é traçar um plano para ser o novo Orlando Magic.

    • Guilherme Petros

      Só valeria o esforço pra manter Lauri ou Carter. Mas tbm não muito: se pintar troca boa, manda… hehehe

      • Gustavo

        Exatamente